Correio da Cidadania

Apesar do insucesso da denúncia de Netanyahu e pano quente dos europeus, Trump deve contribuir para desestabilização.

Ataque do Ocidente a Damasco, horas antes da inspeção, dá margem a se pensar que sabia não poder incriminar Assad.

John Bolton para assessor especial de segurança foi talvez a mais desastrosa nomeação de Donald Trump.

Depois de 12 anos governando Israel, Netanyahu está seriamente ameaçado de cair do cavalo.

Um tapa num soldado israelense tem a mesma gravidade do assassinato doloso de um palestino rebelde.

Mais uma vez Israel violou leis internacionais, de forma especialmente grave, pois premeditada. Mais uma vez sairá impune.

As nomeações de Mike Pompeo e Gina Haspel anunciam uma política confrontativa que beira a irresponsabilidade.

Instruções de combate à guerrilha maoísta não são novidade na trajetória misógina do presidente filipino.

Postura ocidental frente aos casos da Crimeia e Golã reitera sua hipocrisia.

Depois de matar milhares, perseguir, intimidar e criminalizar, ditador do Egito terá um admirador como “adversário” eleitoral.

Diante de desordens de uma classe muito agressiva, um professor pode ameaçar mandar bala, caso a paz não se restabeleça.

Israel tenta forçar 40 mil eritreus e sudaneses a voltarem a seus países.