Correio da Cidadania

Diversos grupos de paramilitares continuam matando. Os ativistas, suas vítimas de hoje, protestam.

O Marechal Sissi, presidente do Egito, propôs, uma nova e bizarra lei, com pronta aprovação do dócil congresso.

Impossível um órgão com tal função não condenar frequentemente Israel. Mas, de fato, não atende aos interesses dos EUA. Ou de Trump...

Dentre tantas evidencias de apartheid, surge projeto de lei que pode excluir parlamentares árabes de principais decisões.

A crise com a Turquia em torno da prisão do pastor Brunson escancara faceta autoritária da política externa de Donald Trump.

Trump não deseja ser o presidente que perdeu esta guerra. Mas, até 2020, mais um certo número de soldados dos EUA deve morrer.

Depois do cancelamento da separação das crianças dos pais, governo ainda dispõe de uma arma na guerra contra os imigrantes.

Dias antes da liberação para mulheres dirigirem, governo mandar prender lideranças que lutaram por esse direito básico.

Aterrados, os europeus assistiram aos golpes sucessivos vibrados por The Donald contra seus aliados de além mar.

Dezoito parlamentares do Partido Republicano, apoiados por colegas noruegueses, indicaram Trump para o prêmio.

Pesquisas indicam que o partido do presidenciável Obrador e os seus aliados também devem conquistar a maioria no parlamento.

Há duas interpretações sobre esse evento: EUA e Israel, de um lado, e toda a comunidade internacional, do outro, divergem.