Correio da Cidadania

Super-terça democrata se aproxima e atual presidente arma suas baterias pela reeleição.

Fronteiras abertas entre Irlandas trouxeram benefícios que Brexit poderia retirar, o que inclina população à unidade.

Algumas atitudes de Trump que deixam claro como ignora o direito internacional como nenhum antecessor recente o fez.

Condutas contraditórias na Síria expõem facetas de um presidente que se acha dono do mundo.

O acordo é trágico, criada para atender unilateralmente a Israel, de forma escandalosa, violando sem pudor leis e acordos internacionais.

O ministro das Relações Exteriores tem direito a seu mundo paralelo, mas o mote não era “Brasil acima de tudo”?

Tudo indica que o governo, sentindo-se amparado internacionalmente, não pretende admitir concessões sérias ao povo em revolta e ao MAS.

A relação submissa de Bolsonaro e Araujo com os EUA não trouxe nenhum ganho real ao Brasil.

A prisão está completando 18 anos de vida. Foi uma infeliz ideia do governo Bush.

Noção supremacista de si mesmo perde espaço entre a própria população.

Rejeição a guerras e intervenções no estrangeiro se torna majoritária tanto na população como entre veteranos.

Biden perde força, Sanders ainda soa muito radical ao público e Elizabeth Warren ascende.