0
0
0
s2sdefault

No futebol, Eduardo Galeano também nos brindou com sua verve política, econômica e sociológica.

0
0
0
s2sdefault

Barba, Cabelo e Bigode retrata três grandes jogadores e rebeldes da chamada era de ouro do futebol brasileiro em meio à ditadura. Conversamos com Lucio Branco, autor do longa.

0
0
0
s2sdefault

Mais uma vez, o país ficou estarrecido com cenas de violência e estupidez extremas no futebol brasileiro, dessa vez em Curitiba, na manhã de domingo, horas antes de um jogo do campeonato nacional. Em entrevista ao Correio da Cidadania, o sociólogo Maurício Murad, que lançou o livro A violência no futebol: novas pesquisas, novas ideias, novas propostas, comenta esse universo e lamenta a incapacidade política do país em apresentar estratégias  de redução de mais essa face da barbárie brasileira.

0
0
0
s2sdefault

 O futebol brasileiro precisa ser pensado na totalidade. Manter seu funcionamento sustentável desde a base da pirâmide traz benefícios ao topo.

0
0
0
s2sdefault

Dante Panzeri foi um grande jornalista, capaz de atuar no mundo do esporte e nunca se omitir.

0
0
0
s2sdefault

Falamos com o jornalista e pesquisador Irlan Simões, que acaba de lançar o livro “Clientes versus Rebeldes”, inaugurador de um novo debate sobre os rumos do esporte mais popular do país.

0
0
0
s2sdefault

O jornalismo esportivo brasileiro foi às favas com os escrúpulos.

0
0
0
s2sdefault

altBoas campanhas na Série A, eliminação na Copa Sul-Americana para o River Plate e finalmente um catarinense chega a uma final internacional. A defesa de Danilo no último lance contra o San Lorenzo é para a posteridade.

 

0
0
0
s2sdefault

O pensamento colonizado, consolidado e enraizado, tem criado milhares de professores de educação física aprisionados a esta cultura esportiva.

0
0
0
s2sdefault

Emily não se furtou de falar tudo o que viu nestes poucos meses em que tentou desenvolver um trabalho sério com a modalidade.

0
0
0
s2sdefault

Estaduais significam exatamente o contrário do que seus defensores acreditam: são a raiz da precariedade do futebol brasileiro em sua base.

0
0
0
s2sdefault

altA verdade é que o futebol-negócio, tão falado e idealizado no apogeu do neoliberalismo, se existiu mesmo, teve uma vida muito breve. A sujeira que vez ou outra escorria pelas frestas agora nem precisa mais ser questionada.