altFaço uma sugestão. Quando alguém lhe disser um humilde “desculpe qualquer coisa”, não deixe barato, responda sem dó: “Não, eu não vou desculpar qualquer coisa, mas desculpo esse seu injusto pedido de desculpas!”.

Medidores antigos e atuais, úteis ou inúteis, que com maior ou menor precisão nos mostram em que medida o homem é de fato a medida de todas as coisas...

 

No Ano da Igualdade, o pior melhora, o confuso se esclarece, o invasor se retira, o agressor se retrai, o traidor chora.

professora.jpgNão era fácil. O professor queria fugir. Olhava para os médicos como uma cobaia presa no laboratório. Andava de um lado para o outro como se estivesse dentro de um labirinto.

altO aborto não é tema religioso ou jurídico, não é matéria política, problema médico ou objeto de pesquisa biológica. Todas essas dimensões são importantes, mas decisiva mesmo é a questão gramatical.

Bem sabia eu que não haveria sinônimos ou substitutos para aquela palavra. O texto e o contexto não permitiam outra palavra. Certamente encontrara outros autores e a eles se entregara.  

filosofar.jpgFalsa polêmica. O livro do MEC não ensina a "falar errado". Quem isso afirma não leu o livro, ou sequer entendeu corretamente a proposta. Talvez sofra de analfabetismo funcional.

criancas.jpgAs crianças erram. Porque são humanas. Mais humanas do que nós, adultos adulterados. Odiamos errar. Queremos a perfeição. E por isso deixamos de aprender com a mesma rapidez com que aprendíamos na infância. Mas os erros revelam verdades. Especialmente os lingüísticos.

 

 

A balada a que se refere Teló alude àquele antigo poema que narrava tradição histórica, acompanhado ou não por instrumentos. Ou àquela peça puramente instrumental como cultivavam Chopin, Brahms ou Liszt.

 

 Há marchas que são marcha a ré. Outras são evolução. Cada marcha tem seu destino, sua convicção. Diga-me a sua marcha, e lhe direi... se vou.

pilha_de_livros.jpgÉ que eu escrevo dia e noite, entregando tudo o que possuo, e, ao mesmo tempo, recebendo dos outros o bem mais precioso para um escritor: a leitura.

professora.jpgProfessor 3-D não é moda fugaz. Sempre existiu, sempre esteve em cartaz, sem ser famoso ou milionário.