0
0
0
s2sdefault

O Plano Popular de Emergência pode contribuir para a formulação de algo além de um novo “soluço industrializante”.

0
0
0
s2sdefault

Imagino Cazuza perguntando, indignado: “qual é o teu negócio? O nome do teu sócio?”. Ele certamente teria várias respostas.

0
0
0
s2sdefault

Dom Emílio Odebrecht deu a aula magna sobre as seculares engrenagens do capitalismo brasileiro.

0
0
0
s2sdefault

Em sua insensatez de proteger o setor, governo forneceu os principais motivos para as decisões de suspensão das importações.

0
0
0
s2sdefault

Enquanto vemos equívocos analíticos sobre uma suposta multipolaridade, a guerra se mantém como “solução” para alguns.

0
0
0
s2sdefault

Para levar a sério suas intenções, é bom não subestimar o renascimento do fascismo e do nazismo.

0
0
0
s2sdefault

Apresentar a elite globalista como antifascista é repetir a mentira que encobriu as disputas intercapitalistas dos anos 30.

0
0
0
s2sdefault

Mais um texto do colunista do Correio sobre o livro de Jessé de Souza.

0
0
0
s2sdefault

Não se compreende a crise sem ter claro o sistema financeiro como organizador da produção industrial, agrícola e sua circulação.

0
0
0
s2sdefault

No exato momento em que Lula aparece bem nas pesquisas, o Partido da Mídia muda sua abordagem da corrupção.

0
0
0
s2sdefault

Na prática, a crise está forçando grande parte dos 13 milhões de desempregados a tentar reincorporar-se ao Bolsa Família.

0
0
0
s2sdefault

Mais um texto da série de artigos sobre o livro de Jessé de Souza.