altO formato atual de financiamento perpetua o status quo, estreita os vínculos entre o conservadorismo político e as grandes corporações que dominam a economia. Ao mesmo tempo, cria obstáculos intransponíveis para que novos valores e interesses sociais conquistem espaços.

altOs partidos políticos, que já não valem grande coisa, valerão menos ainda. Aprovado o “distritão”, a própria ideia de partido perde sentido. Nitidez ideológica e programática, valores que agrupam coletivos de filiados e articulam os representantes eleitos ao cidadão eleitor, compromissos e lealdades capazes de fornecer sentido e previsibilidade ao processo político, tudo isso acaba. Como instrumento ideológico-programático, os partidos estarão definitivamente liquidados.

altProfessor, filósofo, ensaísta, articulista de jornal, ficcionista, poeta bissexto, conferencista brilhante, debatedor vivaz e, quando se fez necessário, até redator de panfletos e agitador de comício relâmpago. Ele sempre bateu bem nas onze.

altOs napoleões retintos, os caciques de Ramos e os operários do bonde de São Januário, juntos e misturados, vão tomar conta da cidade. Tremei podres poderes, pois vai passar, mais uma vez, o sanatório geral que nos redime.

altNo quadro brasileiro atual, o voto facultativo é uma das faces (a mais simpática) da investida conservadora. O "Estado mínimo" da macroeconomia neoliberal demanda, para o seu bom funcionamento, a teoria da representação mínima.

altOs atabaques da cultura popular ensolarada e as tradições libertárias do seu povo fazem do Rio, apesar do todos os percalços, um espaço permanente de experimento e criatividade. Nem tudo, no entanto, são flores.

altPode ser um mero arreganho para garantir os lucros da máquina mercante nos negócios da copa. O aprendiz de feiticeiro, no entanto, desencadeia forças que depois não sabe controlar.

altO espectro da gigantesca irrupção contestatória, com a consistência ameaçadora dos fantasmas, pode retornar a qualquer momento. Na condição de enigma não decifrado, haverá de rondar os acontecimentos do novo ano como um espantoso sinal de alerta.

 

altApesar de desvirtuada pelo casuísmo, a representação proporcional transforma cada eleição em risco potencial para as forças dominantes. Para superar, na dissimulada, tal risco, a proposta melhor articulada até agora pelo conservadorismo é a do chamado “misto alemão".

altO mundo da alta finança, que já abocanhava quase metade daquela "torta" do nosso orçamento comida pelos juros da dívida, agora vai tomar conta da torta inteira. Os economistas de banco estão com a carta branca, a faca e o queijo, o Tesouro e a tesoura nas mãos.

altA forte presença de um desejo de mudança não logrou fechar o circuito de uma mudança qualitativa no quadro da política. Com isso, a transição se definiu como "intransitiva" e seu ponto de chegada, remetido para além da linha do horizonte, é uma maratona sem fim.

altAs manifestações devem ser criminalizadas para garantir o perfeito funcionamento da máquina mercante e a alma dos negócios associados com a copa do mundo. É o que está dito no argumento velado do editorial em pauta.