topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
Política & salsicha Imprimir E-mail
Escrito por Frei Betto   
Sexta, 18 de Julho de 2014
Recomendar

 

 

Política é como salsicha, melhor não saber como se faz. Em campanha eleitoral tudo fica mais complicado; os ingredientes da receita nem sempre condizem com o paladar dos eleitores.

 

Os candidatos pertencem a um partido que, na teoria, defende um programa. Se você pedir a seus candidatos para destacar dez pontos fundamentais do programa de seus partidos, o que diriam? Desconfio de que a maioria nunca o leu.

 

Há eleitores que priorizam a preferência partidária, e não o candidato. Se o político troca de partido, corre o risco de perder votos. Muitos eleitores negam apoio a quem cede ao pecado da infidelidade partidária.

 

Assim, os partidos transformam-se em confederações de tendências. São como a matrioska, aquela coleção de bonecas russas encaixadas uma dentro da outra. Os partidos abrigam partidecos que, por sua vez, travam suas disputas internas. Deve ser por isso que se chamam partidos... Alguns deveriam ser qualificados de repartidos.

 

Na eleição a governador e presidente da República o que conta – além do horário gratuito no rádio e na TV – é o marketing, resultante de três afluentes que desaguam em imensa pororoca: o candidato, o partido e a agência de publicidade contratada para maquiar o político. Um minuto a mais na TV vale tanto que há quem troque a coerência política por um prato de lentilhas...

 

Os candidatos procuram um publicitário ou jornalista que tenha com eles um mínimo de afinidade ideológica e, se possível, afetiva, e o contratam.

 

Tudo se complica quando chega a hora do rádio e da TV. Os marqueteiros eleitorais são poucos e, em geral, disputadíssimos. Por isso, são caros. E trabalham para quem paga. Os partidos conservadores, fartos em dinheiro, contratam os mais competentes. Para a direita tudo é mais simples, pois se move por interesses, ao contrário da esquerda, que se move por princípios (ou deveria fazê-lo).

 

Marqueteiros eleitorais dificilmente são progressistas. Eis um complicador. Alguém deve ceder: o marqueteiro, submetendo-se às decisões da coordenação da campanha, ou o candidato, submetendo-se às exigências de marketing.

 

Em geral, cede o candidato e, com ele, ficam desfigurados seu perfil ideológico, o programa da campanha e o caráter do partido.

 

Resultado: o candidato encantador vira abóbora ao ser eleito, e o eleitor que não examinou bem antes de votar fica chupando os dedos…

 

Valorize o seu voto. E a sua inteligência!

 

 

Frei Betto é autor de “Calendário do Poder” (Rocco).

Website: http://www.freibetto.org/

Twitter: @freibetto.

 

Recomendar
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates