Reportagem especial aborda legado de Plínio de Arruda Sampaio

 

 

Foi com versos da música “When the saints go marching in” que cerca de mil pessoas se despediram de Plínio de Arruda Sampaio, falecido em 8 de julho aos 83 anos, na cidade de São Paulo. Um trecho da canção, famosa na interpretação de Louis Armstrong, foi recitado no enterro pela esposa e companheira inseparável há cerca de 60 anos, Marietta de Azevedo. A música é símbolo da luta por liberdade dos escravos dos Estados Unidos.

 

O compromisso de Plínio em defesa dos excluídos, da democracia e da justiça social era evidente em todos os aspectos de sua vida. É sobre o legado dele para a história e futuro do país que amigos e companheiros da política falam nesta reportagem especial. Confira os depoimentos dos deputados federais Ivan Valente (PSOL) e Luiz Erundina; do senador Eduardo Suplicy (PT); do dirigente do MST, João Pedro Stédile; do jurista Fábio Konder Comparato; e de Guilherme Boulos, da coordenação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

 

Ao longo de seis décadas de militância política, o paulistano Plínio de Arruda Sampaio construiu uma trajetória na vida pública que perpassa episódios importantes da história do Brasil, como o governo de João Goulart, a ditadura militar, a Constituinte, a fundação do Partido dos Trabalhadores (PT) e do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).

 

 

Reportagem: Beatriz Pasqualino

Sonoplastia: Priscila Resende

Coordenação: Juliana Cézar Nunes

Escute o áudio da reportagem no site da EBC – Rádio Agência Nacional http://radioagencianacional.ebc.com.br/politica/audio/2014-07/reportagem-especial-aborda-legado-de-plinio-de-arruda-sampaio

 

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados