topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Aug   September 2016   Oct
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
252627282930 
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

“Habemus Gabiru!” Imprimir E-mail
Escrito por Dom Demétrio Valentini   
Qui, 03 de Julho de 2014
Recomendar

 

Parecia mesmo castigo. No domingo em que o Inter ia jogar a partida mais importante de sua história, precisei colocar duas missas, justo no horário do jogo. Uma na catedral às sete e meia, outra em Turmalina, às nove horas.

 

O jeito era rezar durante o jogo, e só saber do resultado depois que tudo tivesse terminado!

 

Como  a missa na catedral era transmitida pela rádio, mandei um recado a Turmalina: a celebração só começaria pelas nove e quinze.  Assim ganhava quinze minutos para ao menos conferir o andamento da partida, entre uma missa e outra.

 

Encurtei o sermão. Afinal, dá para dizer muita coisa em poucas palavras. E pude passar em casa, onde liguei a televisão, apreensivo para conferir se o Barcelona já tinha feito algum estrago fatal.

 

Mas não. A batalha estava sendo travada com valentia. Nossos soldados lutavam com determinação. E o sorriso do Ronaldinho era amarelo. Senti firmeza.  Desliguei a televisão, e parti  para Turmalina, onde o povo me esperava, e não estava nem aí com o jogo do Inter. Tinha quinze minutos para devorar trinta quilômetros. Enquanto isto, o Clemer pegaria todas!

 

Passei voando pelo trevo de Vitória Brasil.  Foi lá que em 2002 a Globo filmou com antecedência a vibração do povo pela “vitória” do Brasil, que depois não aconteceu. Pensei: -  quem sabe desta vez daria para aproveitar as imagens, com a vitória do Inter. Por que não?

 

Antes de iniciar a missa em Turmalina, certifiquei-me pela rádio que o primeiro tempo tinha terminado zero a zero. Ainda bem!

 

Mas, agora não havia outro jeito. A missa, com a celebração da crisma, iria durar no mínimo uma hora e meia. Enquanto isto, sabe lá o que iria acontecer no segundo tempo!

 

Fiquei com a estranha sensação de viver desconectado do mundo, sem saber nada dos momentos decisivos que marcam a história.

 

Confiei que o Abel saberia tomar todas as providências. Procurei me concentrar na celebração. A Igreja estava cheia, todos atentos à liturgia. Eu também!

 

Escutei bem as palavras de S. Paulo:  “Alegrai-vos, vos digo de novo, alegrai-vos!”.  Será que ele estava falando aos colorados?

 

O tempo ia passando. Chegou a hora da renovação das promessas batismais. Pelos meus cálculos, a partida devia estar chegando ao final. Fiquei pensando que era mais fácil acreditar na Santíssima Trindade do que acreditar que o Inter estava ganhando do Barcelona. Mas, impossível não era. E isto me dava uma teimosa esperança de que no final tudo ia terminar bem!

 

Olhava pela porta da igreja, não via ninguém se movimentando na praça.  Dentro da igreja, ninguém que me fizesse ao menos o sinal de positivo. Nada!

 

Aos poucos vi alguns carros se movimentando. Calculei que teriam visto o jogo, e saíam para espairecer um pouco. Mas ninguém vibrava, não dava para deduzir nada. Também, naquela pacata cidade de S. Paulo só havia palmeirenses e corintianos, com certeza nenhum colorado.

 

Fui me conformando. O silêncio parecia anunciar uma fatalidade. Fazer o quê?  Como tudo já devia ter acontecido, não adiantava mais ficar torcendo.Fui concluindo a missa com calma, escutei as longas mensagens das catequistas, dei a bênção ao povo, atendi a todos os crismandos que queriam tirar foto com o bispo. Talvez lá no Japão também estivessem tirando fotos. Talvez!

 

Finalmente, tinha concluído a celebração. Fui tirando os paramentos, fui me despedindo das pessoas, e fui saindo em direção ao carro.

 

Experimentei de novo a estranha sensação de estar desconectado, junto com a apreensão de receber uma notícia ruim, de estragar o dia inteiro. Preparei o meu espírito para tudo. Afinal, era preciso saber o resultado.

 

Abri a porta do carro, e liguei direto a Rádio Gaúcha!

 

Reconheci a voz do Abel, que estava dando entrevista.

 

Parecia calmo, pensei que estava explicando a derrota. Mas, olha só, ele falou que examinou três jogos do Barcelona, espera aí, quer dizer... É isto mesmo!  “Foi uma vitória da determinação!”.

 

Bastou ouvir isto do Abel.  Com tanta sede de notícias, bastava esta, para entender o essencial: uma vitória da determinação! Só podia ser do Inter. E me mandei em disparada pela rodovia. A certa altura, parei para sintonizar de novo a rádio. Justo no momento em que repetia a narração do gol.

 

Aí entendi tudo! Uma jogada esplêndida, um jogo heróico, uma vitória merecida, um campeão indiscutível!

 

O Barcelona, cheio de estrelas, com seus nomes badalados e conhecidos em todo o mundo. Mas com certeza nenhum deles tinha sequer ouvido falar do Gabiru!

 

Eles têm astros famosos, nós temos o Gabiru!

 

Assim concluí as liturgias da manhã com a melhor das bênçãos, para alegria, sim, de todos os colorados e do Brasil inteiro que torceu com eles:

 

“Aleluia, habemus Gabiru!”. E somos campeões do mundo!

 

 

D. Demetrio Valentini é bispo da diocese de Jales-SP.

Recomendar
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates