topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Aug   September 2016   Oct
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
252627282930 
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
A ilegitimidade do novo golpe-fraude em Honduras Imprimir E-mail
Escrito por Mario Ardón Mejía   
Qui, 28 de Novembro de 2013
Recomendar

 

 

Com pesar, estamos vendo que as esperanças fundadas em um novo processo eleitoral marcariam um novo rumo, com a esmagadora participação do povo hondurenho em nome dos quatro maiores partidos partidos políticos (dois do bipartidarismo e dois das novas forças emergentes LIVRE e PAC).

 

Mas ficou claro que os partidos pequenos, antigos e recentes, não chegam ainda nem a pequenos. Sempre foram substuindo a vontade popular com suas opiniões equipadas e acompanhadas de regalias econômicas e algumas vantagens na participação de uma casta malígna e tradicioal de funcionários públicos.


É por isso que, diante de um novo golpe de Estado, gerado por fraude oficialista, não há mais como afirmar diante de nacionais e estrangeiros que esta patranha venha a encher de mais ilegitimidade o já ilegítimo mandato de Porfírio Lobo Sosa, que segue prestando-se ao jogo dos golpistas velhos e novos.

 

Não resta mais nada ao povo hondurenho, inclusive aos mesmos eleitores ingênuos do partido do poder, por terem sido manipulados, portanto, são muito poucos os que celebram tanta vergonha. É claro que Porfirio Lobo Sosa, que nunca mostrou sinais de ser um governante, não conseguiu sequer cumprir acordos com os presidentes da América do Sul que o ajudaram a tentar salvar sua ilegitimidade.

 

 

O povo hondurenho nesses momentos já aumenta seus níveis de indignação e os estudantes da Universidade Nacional e da Universidade Pedagógica Nacional responderam com prontidão e coerência, desconhecendo os fatos, pois também têm sido usados como guardas e observadores de um processo que nas urnas manteve uma participação transparente do povo hondurenho.

 

Povo cuja vontade tem sido traída por membros também ilegítimos do Tribunal Superior Eleitoral Hondurenho, que sequer permitiram a oportunidade de alcançar uma maior paridade em sua formação, uma vez que foram demonstradas as novas forças políticas emergentes a partir das eleições internas.

 

Isso os faz ainda mais ilegítimos e o povo hondurenho os vê quase como os únicos responsáveis de qualquer desastre que possa ocorrer, a partir de sua participação na legitimação de uma fraude anunciada por nacionais e estrangeiros.

 

Esperamos que o povo hondurenho e seus organizadores possam portar-se à altura das circunstâncias e conduzir o país a uma saída que venha a reverter um processo fraudulento de contagem das urnas eleitorais, o qual tem sido conduzido com a maior irresponsabilidade.

 

Esperamos que os povos e governos da região e do mundo não continuem prestando o reconhecimento de tanta ilegitimidade, que unicamente acarretará em mais pobreza e dolo material e espiritual ao povo hondurenho.

 

 

Mario Ardon é professor de agro-ecologia e já realizou diversos trabalhos de campo com comunidades tradicionais do país. Trabalha no grupo Ajintem Derechos, que presta auxílio a imigrantes internacionais.

Recomendar
Última atualização em Sexta, 29 de Novembro de 2013
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates