topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

Edição 884 - 04/11/2013 a 10/11/2013
Arquivos do Correio
Qui, 14 de Novembro de 2013
Recomendar

 


‘Brasil é o país mais atrasado no debate sobre a megamineração na América do Sul’

Valéria Nader e Gabriel Brito, da Redação

 

alt

 

Maior potência mineradora do mundo, o Brasil é o país mais atrasado no debate sobre a megamineração dentre todos os sul-americanos, afirma Eduardo Gudynas, economista e pesquisador do CLAES, de Montevidéu, em entrevista ao Correio da Cidadania. Mesmo o debate sobre o novo Código de Mineração vem ocorrendo marginalmente a outros acontecimentos políticos. “Se o desenvolvimentos se orientasse  de outra maneira, os recursos minerais do Brasil, ao invés de alimentarem a China, poderiam ser utilizados em necessidades nacionais e continentais”, reforça o pesquisador.

 


 

‘O desaparecimento forçado não ficou nos anos 70; é atual e precisa ser combatido’

Gabriel Brito e Valéria Nader, da Redação

 

alt

 

De passagem pelo Brasil para lançar seu livro, “Poder e desaparecimento: os campos de concentração na Argentina”, a socióloga Pilar Calveiro conversou com o Correio da Cidadania. A relação entre o sumiço de pessoas na época da ditadura argentina e as formas de atualização que tais políticas receberam por distintos governos, tanto no plano interno quanto global, foi um dos importantes pontos abordado nessa entrevista. “Deve-se dizer que na América Latina segue existindo a modalidade do desaparecimento forçado, hoje aceito de distintas maneiras”.

 


 

POLÍTICA

 

Dirceu, o democrata

Gilvan Rocha

 

O stalinismo esteve e está abaixo da democracia burguesa, assim como o fascismo islâmico está hoje, em relação aos chamados Estados Democráticos de Direito. Porém, estes escondem a ditadura do capital sobre o trabalho sem deixarem de ser, politicamente, democráticos.

 


 

Da (Anti)Reforma Urbana brasileira a um novo ciclo de lutas nas cidades

Pedro Fiori Arantes

 

A Reforma Urbana democrático-popular, focada nos meios, nos instrumentos, pouco avançou no pensamento substantivo sobre a cidade, nos fins. Não há imagem, não há forma, não há narrativa para essa cidade almejada – não há projeto e utopia. Se a Reforma Urbana recusou o urbanismo moderno, sua forma e sua ideologia, que tem em Brasília sua expressão/contradição máxima – cidade para um novo país, construída pelos que não puderam nela morar –, por sua vez, abdicou da própria disciplina do urbanismo, enquanto capacidade projetual articuladora e antecipadora da cidade pensada. Negação que impediu antecipações mais claras do que se pretendia.

 


 

O povo quer mais política social, mais democracia e menos polícia

Renato Nucci Jr.

 

O caminho da repressão policial e da criminalização das lutas continua sendo o mais empregado. Porém, não atinge mais os efeitos esperados. Repetimos: parcelas crescentes das massas populares perderam o medo da polícia e adotam formas de protesto cada vez mais radicalizadas. Em suma, a paciência do povo se esgotou e as bombas de efeito moral lançadas pela polícia não intimidam mais. Pelas ruas brasileiras desfila uma juventude destemida, que encara corajosamente policiais bem armados e treinados.

 


 

O Acre de Chico Mendes

Frei Betto

 

Em tempos de expansão de pastos Amazônia adentro, com a derrubada de árvores seculares, e a atividade predatória de mineradoras e garimpeiros, ressaltar a vida e os ideais de Chico Mendes deveria ser um dever cívico obrigatório.

 


 

Um espectro ronda a esquerda palaciana: o black bloc

Celso Lungaretti

 

Dilma mostra muita insensibilidade política ao acusar os black blocs de não serem "democráticos", exatamente num momento em que o desencanto com a democracia brasileira é generalizado.

 


 

Onda de Vandalismo

Léo Lince

 

As palavras usadas em editorial de “O Globo” desnudam o objetivo velado. O que se pede em bom português, não se sabe se por ato falho ou por escancarada nitidez, é a criminalização das manifestações. São elas, na opinião do editorial, a catástrofe que nos ameaça com tempestades no ano eleitoral. As manifestações devem ser criminalizadas para garantir o perfeito funcionamento da máquina mercante e a alma dos negócios associados com a copa do mundo. É o que está dito no argumento velado do editorial em pauta.

 


 

Fantástico, quem contrata o Royal?

Plínio Gentil

 

O caso dos cães beagle resgatados do laboratório Royal é mais um capítulo da luta do capital selvagem/empreendedor contra todo o resto. Não é possível, por isso, confiar naquilo que sai nos pseudo-noticiários ou em outros programas da TV.

 


 

Dom João intimado

João Baptista Herkenhoff

 

Dom João Baptista, como Dom Hélder Câmara e outros Bispos brasileiros, entendia que a luta pela Justiça e pela Igualdade é uma luta cristã, como também é cristã a repulsa aos abusos contra e pessoa humana.

 


 

Classes e luta de classes: nascimento do capital

Wladimir Pomar

 

Olhando com atenção a experiência histórica de nascimento do capital e sua evolução em capitalismo, podemos concluir que a burguesia, isto é, a classe capitalista, surgiu da classe comercial presente no feudalismo.

 


 

SOCIAL

 

Classe médica brasileira teme que medicina cubana abra discussão sobre tratamentos de saúde

Gabriel Brito e Leandro Iamin, da Redação

 

Na entrevista, novamente realizada em parceria com a webrádio central 3, Karine Dias Nascimento, brasileira formada em medicina em Cuba, fala um pouco de seu aprendizado na ilha socialista e explica as concepções para o tratamento de saúde do país, bem diferentes da medicina de mercado que predomina no Brasil. Além disso, declara-se envergonhada com a recepção negativa promovida por órgãos da classe médica e critica, sutilmente, a falta de compromisso social de tais profissionais.

 


 

O Que é o Instituto Royal? Todo aquele que vive da ciência é mesmo cientista?

Carlos A. Lungarzo

 

A realização de numerosos experimentos cruéis, onde se mutilam, esquartejam, cegam, queimam e matam milhares de animais, diminui as despesas dos laboratórios, pois é menos caro que experimentos in silico (simulação com computador) ou in vitro (ensaio com culturas).

 


 

INTERNACIONAL

 

Eleições na Argentina em um horizonte de crise socioeconômica e política

Roberto Ramírez, de Buenos Aires para o Correio da Cidadania

 

Em sua costumeira linguagem crítica, os economistas e políticos patronais de todos os campos falam da necessidade de um “sinceramento” da economia. Ou seja, um brutal ajuste que faça a crise ser paga pelos trabalhadores e os setores populares.

 


 

ECONOMIA

 

A Polêmica Fiscal

Paulo Passarinho

 

Se anualmente não estamos gastando mais do que arrecadamos, tendo cumprido, entre os anos de 2003 e 2008, metas elevadíssimas de superávits primários, sempre superiores a 3% do PIB, como foi possível que a dívida em títulos do governo federal se elevasse? A razão do descalabro é a forma com que a dívida pública é administrada, com base em elevadas taxas reais de juros. Quase a metade do orçamento da União é consumido no pagamento de juros e amortizações, mas os defensores do governo preferem atribuir as dificuldades fiscais do governo às despesas previdenciárias, ao seguro-desemprego e ao abono salarial.

 


 

Tradutor de neoliberalês para discursos sobre petróleo

Paulo Metri

 

O neoliberalês foi criado exatamente para suportar a exploração de massas ingênuas. Além da linguagem e da teoria, era preciso possuir o veículo transmissor da deturpação dos fatos com capilaridade máxima.

 


 

MEIO AMBIENTE

 

Conflitos socioambientais em Suape

Heitor Scalambrini Costa


O que está em jogo em Pernambuco é o Estado de Direito, é o cumprimento da lei. E isto requer uma ação efetiva desses órgãos contra as arbitrariedades e injustiças socioambientais que estão sendo praticadas pela Empresa Suape.

 


 

CULTURA

 

Depois de 1848, nada novo (3)

Frank Svensson


A sociologia positivista e suas formas neopositivistas passaram a disputar com o materialismo histórico dialético o caráter de verdadeira ciência social, e o enfoque positivista da história limitou-se a descrevê-la com suposta imparcialidade, sem participar de sua transformação.

 


Recomendar
Última atualização em Segunda, 18 de Novembro de 2013
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates