As escolas norte-americanas

 

 

Além das intervenções militares, “cooperação” econômica, avassaladora atuação das grandes empresas de mídia, corrupção etc., o imperialismo norte-americano tem duas importantes escolas atuando na América Latina.

 

A primeira, a Escola das Américas. Em 1946, era sediada no Panamá, como “Centro de Adestramento Latino-Americano – Divisão da Terra”. Em 1950, mudou o nome para “Escola Caribenha do Exército dos Estados Unidos”, permanecendo no Panamá até 1964. Foi chamada por um jornal panamenho de “Escola de Assassinos” e por um ex-presidente do país, Jorge Illuaca, de “a base gringa para desestabilização da América Latina”.

 

Em 1963, adotou a denominação de “Escola das Américas”. Foi responsável direta por todos os golpes que implantaram ditaduras no continente. Somente nesse período, preparou 60 mil militares e policiais de 23 países. Inclusive ex-presidentes, como os generais argentinos Roberto Eduardo Viola e Leopoldo Galtieri, Hugo Banzer, da Bolívia, e Manoel Noriega, do Panamá, que acabou derrubado por ordem de Bush, por comandar o tráfico de drogas para os EUA.

 

Hoje, a Escola está sediada em Fort Benning, Columbus, Georgia – EUA. Quase todos os seus formados foram acusados de crimes contra a humanidade, em vários países.

 

Sustentada pelos EUA, promove cursos para militares de um país, em outros países. Ensina espionagem e contra-espionagem, técnicas de contra-insurgência, guerra psicológica, terrorismo, interrogatório e tortura, desaparecimentos etc. Formou muitos militares e policiais brasileiros.

 

Promove a “Doutrina de Segurança Nacional” dos EUA que, aqui no Brasil, pontificou no período da ditadura de 1964.

 

A outra escola é o IADESIL –Instituto Americano para Desenvolvimento do Sindicalismo Livre, com sede em Washington. Promove cursos para dirigentes sindicais. Sem disfarces, esses cursos são diretamente preparados pela CIA (Central Intelligence Agency), organização de espionagem e contra-espionagem do governo dos EUA.

 

Possuía um escritório no Rio de Janeiro, na Avenida Graça Aranha. Em 1963, instalou-se em São Paulo, atuando pela derrubada do governo João Goulart. É um organismo da CIOLS (Confederação Internacional das Organizações Livres), mas é mantida pelos norte-americanos da AFL-CIO (American Federation of Labor-Congress of Industrial Organizations), a maior central sindical dos EUA (12 milhões de sindicalizados).

 

Tanto o Iadesil como a AFL-CIO ministram cursos contrarrevolucionários de “liderança” sindical, desenhados sob medida para parecerem de esquerda, mas, na verdade, servem à política traçada pelo sistema dominante. Também sustentam várias ONGs. A CUT filiou-se à CIOLS em 1992.

 

Na atual conjuntura, com uma ofensiva imperial contra a América Latina progressista, esse centro de aperfeiçoamento de pelegos é tão importante quanto a atuação das grandes empresas de mídia. O norte-americano Noam Chomsky, filósofo e ativista político estadunidense, afirma que a América Latina é uma das únicas regiões do mundo onde há resistência real ao poder do império. Declara que há movimentos caminhando para uma verdadeira independência, onde, historicamente, os EUA derrubavam um governo após o outro.

 

Agora já não podem fazê-lo, diz Chomsky.

 

Os EUA reativaram a IV Frota que atua no Atlântico Sul e instalaram várias bases militares em alguns países satélites. Só na Colômbia, colocaram sete bases militares.

 

Ronald Barata é bacharel em direito, aposentado, ex-bancário, ex-comerciário e ex-funcionário público. Também foi militante estudantil e hoje atua no Movimento de Resistência Leonel Brizola. Autor do livro O falso déficit da previdência.

Comentários   

0 #1 Lulla e Stanley Gacek (AFL-CIO) I,ll,lll - Ligações PerigosasTiTa Ferreira 30-10-2013 21:37
Lulla e Stanley Gacek (AFL-CIO) I,ll,lll ? Ligações Perigosas
Por Raymundo Araujo Filho

11Set2009

CMI Brasil

Advertência:Este artigo (em 3 partes) é impróprio e será enfadonho para aqueles que querem apenas notícias rápidas e mundanas,ao estilo da Revista Caras. E também será supérfulo para aqueles que acham que já sabem de tudo,mas naufragam na própria ignorância dos mais simples fatos e acontecimentos.

Parte I ? A Trama
Dangerous Liaisons,ou Ligações Perigosas ,é um filme de 1988 dirigido por Stephen Frears e baseado em peça homônima de Christopher Hampton,baseada,por sua vez,no clássico da literatura francesa Les Liaisons Dangereuses,de Pierre Choderlos de Laclos.
Ligações Perigosas foi a primeira produção de Frears nos Estados Unidos,e seu oitavo longa-metragem de ficção. Com sete indicações ao Oscar,foi considerada na época uma excelente estréia em Hollywood. Além das atuações bastante elogiadas de Glenn Close,John Malkovich e Michelle Pfeiffer nos papéis principais do romance de Laclos –a Marquesa de Merteuil,o Visconde de Valmont e Madame de Tourvel,respectivamente –destacam-se no elenco Keanu Reeves,Uma Thurman e Swoosie Kurtz entre os coadjuvantes.(Extraído do Wikipedia).
A peça produzida no Brasil e estrelada por Marieta Severo,eu não vi. Mas o filme,com este elenco maravilhoso e com belas atrizes (além do feioso John Malkovicht) é de um profissionalismo e cuidado narrativo,como poucas vezes eu vi. Dentro da baixa velocidade dos acontecimentos,há uma intensa e forte tensão que nos prende a todos os detalhes do filme.
Bem diferente da mediocridade que atravessa a vida política de nosso(?) Brasil.
O jornalista,ex-preso político e ex vereador (PDT-RJ) Pedro Porfírio,em 2003 escreveu um artigo sobre Stanley Gacek e suas ligações íntimas e amistosas com Lulla. O artigo chama-se Anote este nome Stanley Gacek:é ele que dá as cartas (clique aqui). Corajoso o artigo do Pedro Porfírio,ainda em 2003 que,como é de seu feitio,abordou com elegância,mas de forma contundente esta ligação entre o prersidente Lulla e o agente do capitalismo Internacional Stanley Gacec,da AFL-CIO. Sei ser,o Pedro Porfírio adepto da não fulanização da política,o que respeito.


Mas,não sigo esta linha. Penso que a política deve ser discutida de forma coloquial e com citações das pessoas que protagonizam o que criticamos ou elogiamos. Foi a Aristocracia Imperial Europeia que introduziu as ?boa smaneiras?,mas só para assuntos em que eles precisavam ser preservados,nominalmente.
Por isso,escrevo este artigo dirigindo-me principalmente a dois tipos de pessoas:Os Lullo Petistas (notadamente os que se dizem de esquerda) e aos conservadores que ?viajam na maionese?,escrevendo artigos dizendo que Lulla é um subserviente aos ?perigosos presidentes bolivarianos e quetais?,tentando de forma patética fazer oposição ao Lulla,mais à direita do que ele já é,o identificando com alguma coisa parecida com esquerdismo político.
Portanto,fui pesquisar mais sobre esta Ligação Perigosa do ex operário metalúrgico,atual presidente do Brasil,e seu atual amigo íntimo Stanley Gacek,agente da AFL-CIO,mais precisamente articulador do chamado ?braço trabalhista? deste odiento aparelho do Capital que é esta Central Sindical,a mais poderosa dos EUA.
Deparei-me com as relações igualmente perigosas de Stan (como é chamado na intimidade por Lulla) com Carlos Ortega,presidente da CTV (Confederação dos Trabalhadores Venezuelanos –mais informações sobre o gajo,no link http://www.espacoacademico.com.br/012/12col_miro.htm),onde vemos que este,após a fragorosa derrota das forças reacionárias da Venezuela,no plebiscito que confirmou Chávez na presidência em 2000,faz um acordo com a FEDECAMARA (a FIESP de lá) e,custeado pelo chefão empresário venezuelano Pedro Carmona,vai aos EUA se encontrar com quem? Com Stanley Gacek,o Stan de Lulla e do ?braço trabalhista? da AFL-CIO estadunidense. Assim,o golpista venezuelano visita seu mentor estratégico nos EUA.
Já é famosa a ida de Lulla ,aos EUA,cooptado como inúmeros líderes da AL para a tal reunião do chamado Diálogo Interamericano (D.I.),quase 10 anos antes desta viagem do ?sindicalista? Carlos Ortega aos EUA. E foi lá que Lulla conheceu Stanley Gacek,casado com uma ?petista de carteirinha?,falando bom português e,certamente envolvente e simpático igual ao Lulla e todos os 171 que conheço (simpatia é a alma do negócio desta gente). Este chamado D.I. é a faceta executiva do que ficou apontado no conhecido Consenso de Washington,acontecido cerca de dez anos antes (por volta de 1982),onde ficou acertada a ?blitzen? para impor ao mundo,o neoliberalismo transacional e corporativo,com sequestros de Estados e seus políticos,além de vastas lideranças do Movimento Social e Sindical,corrompidos por dólares e altos empregos,além de projeção política. Aliás,James Petras em seu livro Ensaios Contra a Ordem descreve minuciosamente os mecanismos de cooptação,enfim levada a cabo,com a doce permissão dos cooptados.
Sobre esta viagem do pelego venezuelano Carlos Ortega aos EUA,há um vídeo onde conversa na casa do ex presidente venezuelano Carlos Andres Perez (acusado de severa corrupção),onde combinam abertamente e entre gargalhadas,um plano de ?desestabilização? de Chávez,com manifestações,greves,campanhas televisivas e midiáticas,dentro e fora da Venezuela,em uma escalada que culmina com a tentativa de golpe contra o governo legítimo de Hugo Chávez. Stanley Gacek é o articulador e também agente dos repassaes financeiros destas operações,pela AFL-CIO estadunidense.
Assim,em 2002 acontece a tentativa de deposição de Chávez,com sequestro do mesmo,até que o Povo Venezuelano faz a caminhada histórica para a Sede do Governo,em Caracas,contrapondo-se ao Golpe e desmontando-o,em bela jornada cívica e pacífica.
A esta altura,muitos devem conhecer o filme-documentário,que mostra passo a passo a patetada da elite venezuelana,onde nos é mostrado que há um golpe dentro do Golpe. O que estava programado para ser uma ação para colocar na presidência um ?sindicalista? e egresso da PDVSA,na época que nem 10% do petróleo e seus divindendos ficavam para os Venezuelanos,acaba tendo uma autonomeação do Chefão e segundo homem mais rico da Venezuela,Pedro Carmona,o Maldito,sobrepondo-se a Carlos Ortega,o Lacaio.
Chávez volta ao poder e o curso da história retoma o seu leito,margeado e defendido pelas forças populares venezuelanas,em claro protagonismo político popular. E não que eu pense que tudo com Chávez vai as mil maravilhas,pois isso não existe. Mas,ao menos este se faz respeitar e não traiu seus ditos de campanha eleitoral e avança resistindo ao imperialismo ianque. O que já é muito nesta América Latina e Caribe,onde persistem muitos dirigentes pelegos e subservientes.

Lulla e Stanley Gacek (AFL-CIO) II ? Ligações Perigosas -

Este artigo é fruto de uma pequena pesquisa sobre fatos já expostos na internet,apenas ainda não interpretados de forma sequencial,como aqui procuro fazer. Está sendo publicado em 3 partes.

Parte II ? A Execução
No mesmo ano de 2002,o da tentativa de deposição de Chávez,Lulla é eleito para o seu primeiro mandato,já sombreado pela Carta aos Brasileiros (na verdade uma Carta aos Estrangeiros),emitida apenas um mês antes das eleições,onde já apontava para a traição que ora nos impõe. E apoiado por gente que adora dizer que tem história na política brasileira,e ficam chateados quando os chamamos de pelegos. Meu voto em Lulla foi claro e declarado em artigos:Achava que o Brasil teria de passar por esta experiência,para tentar amadurecer politicamente. Mas está difícil este amadurecimento,com a inflexão francamente governista,haja o que houver,pela maioria das lideranças sociais e sindicais brasileiras. A locupletação é enorme!
É fato que só dois estrangeiros estavam no palanque de Lulla,no comício da vitória. Luiz Favre (que nem no PT goza de confiança) e….Stanley Gacek e sua esposa petista e brasileira (mas que adora os EUA). Ah! Não nos esqueçamos do vinho francês de R$65 mil a garrafa,oferecida pelo abjeto Duda Mendonça ao Lulla,em restaurante chique no Rio,logo em seguida. Um achincalhe emblemático à pobreza brasileira.
De lá para cá é o que sabemos. Não foram contempladas NENHUMA das bandeiras de Reformas Estruturais e Apego à Ética,pregada na campanha deste que,afinal,fora eleito sob uma Agenda Popular e pelas Forças Populares,incapazes de perceber a inflexão já feita por este Ovo de Serpente que se tornou o ex operário de São Bernardo,nascido em Garanhuns mas,ao que parece,tornou-se um agente da elite paulista e brasileira,além da estrangeira.
E sob a figura de Stanley Gacek a fazer sombra ao presidente ex operário brasileiro,Lulla visitou os EUA,antes de sua primeira eleição,para beijar a mão de Bush e,a meu ver,ser convidado para ser o líder dos países pobres,fazendo o contraponto aos radicais presidentes que começavam a serem eleito em nosso continente (o das Veias Abertas). Era o desfecho da cooptação que iniciou-se em Washington,dez anos antes. E assim,Lulla sucede FHC com discurso de oposição,mas para continuar a malfeitoria ao Brasil.
E a figura de Stanley Gacek,sempre presente. E como!
Ora,senhores e senhoras! Com atribuir a alguma paranóia ou às risíveis teses de Conspiração da História,estes fatos (e não imaginações) descritas acima? Como não entender como causa e efeito,unha e carne ou feijão com arroz,esta influência nefasta da AFL-CIO,patrocinadora da tentativa de golpe contra Chávez e das tentativas de desestabilização de tudo que cheire a autodeterminação Latino Americana e Caribenha,esta desnacionalização profunda que Lulla faz das riquezas estratégicas brasileiras,evidentemente em um cenário de algumas concessões às corporações sindicais,ONGs (mamadeiras do erário) e quetais,além das esmolas aos brasileiros excluídos,que são impedidos de não reconhecer Lulla como um ato contínuo de FHC e sua política teleguiada dos EUA,vítimas que são,os extratos populares e os mal informados,da Confusão Programada,agora também executada pela ?esquerda? corporativa brasileira.
É que rola muita grana,empregos,projeção política no poder,entre outras odiosas condutas,nesta operação de sequestro institucional,desmonte das bases reivindicativas populares e sindicais,para manter o Brasil como mero fornecedor de matérias primas para o primeiro mundo (aliás em patamares nunca d’antes visto neste país),oligoplizando não só indústrias de produtos elitizados e os ?populares?,além do sistema financeiro,de acordo com os ditames da ?crise? de acumulação de riquezas por poucos,em detrimento de muitos. E com avanço claro e aberto ao erário,através das concessões às grandes corporações,que todos vimos,as quais analisamos recentemente.
E chegamos no Pré Sal,o alvo central (além do Nióbio e outros metais,além da água doce de superfície e reservatórios subterrâneos,além da biodiversidade animal,vegetal e mineral) para nutrir a rapinagem secular que sofremos.
Dia 31 de Agosto de 2009 seria anunciado o modelo de exploração de nossas reservas petrolíferas. Muitas tergiversações e Fundos Soberanos,tudo para mascarar a intenção estratégica de esgotar o Pré Sal em cerca de 15 anos (dados do próprio presidente da AEPET- Assoc. Dos Engenheiros da Petrobrás,que insiste em não ver o Lulla como uma ameaça a tal soberania nacional).
O sindicalismo pelego brasileiro,notadamente os petroleiros,sequer foi ouvido,embora tenham bajulado Lulla e nos chamados de agentes da reação,em tentativas vãs de nos desqualificar ou mesmo intimidar. Até uma pauta prepararam para uma reunião prometida e agendada por Lulla,para antes do anúncio,afinal revogado. Mas,parece que foram outras,as ordens dos EUA,para onde foram a ministra Dilma e o seu par Lobão (Minas e Energia),para anunciar o plano,em primeira mão aos seus chefes ianques,e receber as ordens . Uma semana antes do malfadado anúncio que não houve (parece coisa do Barão de Itararé,o inesquecível Aparício Torelly),com a cara mais lavada do mundo,o presidente da AEPET anunciou no Programa Faixa Livre que o presidente Lulla desmarcou a reunião,deixando todos chupando os próprios dedos,enquanto ficaram a ver navios (petroleiros?) a sumirem no horizonte das promessas não cumpridas.
E,haverá ?concessões? no novo texto,como a mudança do termo Concessão,para Partilha e outros pontos absolutamente periféricos,visando o calendário eleitoral (como bem denunciou dia 30-08-2009 o ex presidente defenestrado por telefone da Petrobrás,o Ildo Sauer). Este,deve saber o que diz,e é insuspeito de estar aliado aos interesses estrangeiros,como gostam de aventar o Lullo Petismo,contra todos aqueles que ousam crtíticas à condução política do país.

(Final)- Lulla e Stanley Gacek (AFL-CIO) ? Ligações Perigosas -

Termino aqui a postagem em 3 partes deste artigo,que tenta mostrar e comprovar que grande parte da esquerda brasileira,a tal "esquerda adesista",colabora com um plano de Dominação internacional,que tem em Lulla um dos seus agentes principais. Garboso e ególatra como é,ainda pensa que está bafando…

Parte III ? A Conclusão
Assim,quero dizer que estão plenamente descritos,os adereços de um plano internacional,muito bem gestado que começava por derrubar Chávez,colocando na presidência da Venezuela,um sindicalista petroleiro,pelego venezuelano (Carlos Ortega),que foi furado pelo seu chefe Pedro Carmona que,por sua vez foi deposto pelo Povo Venezuelano,unido a Chávez. Ali,na terra de Simon Bolívar,a coisa deu errado.
Mas,a parte brasileira do plano,na terra do matador Caxias,a meu ver,o Plano vai de vento em popa. Lulla sucede FHC,mas já completamente cooptado (sequestrados fomos nós),e desmonta todo o cartel de reinvindicações construídas ao longo de 20 anos,pelas forças progressistas e populares do Brasil.
Mas,as lideranças populares,sociais e sindicais brasileiras (com raras e honrosas excessões,as quais aqui reverencio) não estiveram a altura do papel que lhes era destinado. Desatinaram em uma aliança com o populismo sequer reformista de Lulla,e a troco de muitas nomeações,financiamentos espúrios e nada republicanos,além do aquinhoamento de verbas públicas (jamais d’antes neste país viram tanta grana) para a Rede Sindical e Corporativa (esta do chamado Terceiro Setor). Venderam-se impunemente (ao menos,até agora). E ainda fizeram o terrível e pérfido papel de agentes de proteção ao presidente entreguista,caluniando aqueles que se inconformam com a situação e não se intimidaram em propalar suas opiniões.
A meu ver,hoje,Lulla tenta,disfarçadamente,humilhar Hugo Chávez,lhe impondo uma série de barreiras na área Petroleira,o obrigando a manobras e demarches,pois tem também os seus problemas de abastecimento alimentar,e não pode simplesmente romper com a unidade Latino Americana e Caribenha,tão arduamente em construção,e nem desprezar o Brasil,afinal nossos povos devem estar unidos,para o que der e vier.
Lulla privatizou os gaseodutos,inviabilizando o projeto do Gaseoduto Sul,proposto por Chávez,e colocando o Brasil,como um receptador do Gás Nigeriano,comercializado e transportado pela British Petroleum. Impôs a retirada da Petrobrás da parceria da exploração da província petrolífera de Carabobo,?por não ser comercialmente atrativa?,agindo como uma REPSOL qualquer,e depois de ter amarrado Chávez no compromisso com a Refinaria Abreu e Lima,nome dado por sugestão do presidente venezuelano,popularizando valoroso general brasileiro,companheiro de Bolívar,um dos Libertadores da América. O exército brasileiro não perdoa Chávez até hoje,por esta sugestão,Caxienses que são.
Assim,Lulla faz o papel de um verdadeiro traidor,não posicionando-se de forma veemente,senão com panos quentes,contra a ingerência dos EUA no cenário militar da Colômbia e AL,apontado suas armas para a Amazônia. Lulla se alia ao primeiro mundo em questões estratégicas,como por exemplo,a questão relativa a emissão de gases,onde abandonou seus parceiros do BRIC,os deixando a ver navios em conferência recente na África,se não me falha a memória.
Compromete-se com a ?economia de mercado?,assinando abjeto documento nos EUA. Faz pequenas concessões,em troca de muita entrega de riquezas,através da qual é exaltado como uma Koala Exótica dos ricos,e o ?país que menos sofreu com a crise (durante as vacas gordas,crescemos metade que nossos iguais,e agora está previsto o excelente crescimento de 1%,no vigésimo ano da aventura neoliberal iniciada com Collor,o Guloso que comeu cru,continuada por FHC e aprofundada por Lulla). E,a diferença entre os juros praticados e a poupança continua nos mesmos patamares de antes,e com o salário médio do trabalhador brasileiro em queda livre (dados do próprio IPEA governamental). Isto é,a Mais Valia (será que ainda sabem o que é isso?).
Desmantela a assistência e promoção da saúde,continuando o país com índices vergonhosos de doenças típicas de países pobres. Somos um Haiti invadido,nesta área. Privatiza portos,aeroportos e rodovias,contradizendo o seu discurso para a reeleição,onde o privatista era só o concorrente do PSDB. Esperto demais o Lulla! E tão diminuto moralmente,quanto seus ?adversários? da direita tradicional,a esta altura preterida pelos EUA,que dá clara mostra de sua preferência pelo Lulla,para operar a entrega do país,com jeitinho de homem do Povo.
Legaliza os transgênicos,inclusive o milho (proibido em seus países de origem),e nada faz pela obrigatoriedade de rotulagem. Paralisa a Reforma Agrária,concede os píncaros de benesses e perdões aos ruralistas e mantém os Sem Terra na base da humilhante Bolsa Família. Impõe a Transposição do Rio São Francisco (impedida agora pelo previsto assoreamento) e de quantas Usinas Nucleares quiserem,sem dar satisfação a ninguém. Compra aviões e submarinos,em claro acordo espúrio com a França do Sarcozy (justiça seja feita,foi o primeiro a dizer sobre o Lulla ?essse é o Cara?,só que ?en français?).
Transforma um projeto de desenvolvimento PAC,em um Plano de Auxílio às Construtoras. Permanece o BNDES como a viúva rica das corporações privatistas. Triplica a Dívida Interna em seis anos,a juros mais altos que a externa,afinal ?paga? ao FMI,e ainda empresta R$10 bi ao Fundo,enquanto recebe igual quantia da China,mas com o compromisso de reserva de mercado de 200 mil barris dia de petróleo,durante 10 anos,exonerando a moeda forte (Petróleo) e acumulando o combalido dólar,em larga escala,em atitude Lesa Povo,por muitas gerações. E pagando este empréstimo a juros de 7% ao ano (atrativos segundo fontes do governo),mas que abaterá em cerca de 30% o preço do barril do petróleo ?vendidos? à China (é uma questão aritmética simples).
Faz ?acordos de governabilidade? com uma escória política inominável (e inatingível) de sarneys,renans,temers,barbalho s,collors,mozarildos,jucás e Cia (literalmente),que o povo já derrotara eleitoralmente,mas ressuscitados como no clip Thriller,de Michael Jackson,mas sem nenhuma beleza estética.
Faz o PT (a doce virgem complascente) a chafurdar em todos os descompromissos com o Brasil,os quais foram a base de sua já demolida e longínqua construção.
Enquanto isso,troca figurinhas e come churrasco com seu amigo Stan,o macabro Stanley Gacek,o agente internacional de maior importância estratégica para a defesa dos interesses dos EUA na AL. Na recente viagem aos EUA,para se avistar com Obama,e reafirmar o acordo de entrega do país,feito com Bush,não se furtou o nosso presidente traidor,em visitar a sede da AFL-CIO,onde foi recebido pelo sorridente e vitorioso fascínora Stanley Gacek,seu íntimo amigo.
Ora! Se o PT e o governo querem nos enfiar pela goela a versão mentirosa que Lina Vieira,ex chefe da Receita Federal foi ?plantada? pelos tucanos (menos o tucano Jorge Rached,que defendeu o governo Lullo-Tucano) no coração do governo brasileiro,por que não posso acreditar que Lulla se deixou cooptar por esta articulação geopolítica de dominação,de alto baixo nível?
Cartas à redação!
E uma advertência aos pelegos de plantão:Estarei lhes apontando esta postura entreguista,e os questionando até que minhas forças acabem.
Não é à toa que não vemos por parte,notadamente das lideranças petroleiras,nenhuma defesa mais peremptória aos movimentos de Chávez em apossar para os venezuelanos,o Petróleo de lá,e fortalecer a PDVSA como impulsionadora do desenvolvimento venezuelano e regional (ALBA),denunciado pelo desinteresse do presidente da AEPET em ir visitar e estreitar laços com a Venezuela,além do SINDIPETRO RJ manter em sua diretoria membros de Partido,o PSTU,que em plena crise de desestabilzação de Chávez,fez eco ao Bush,maldizendo esta tentativa de barrar o Império,que o Povo Venezuelano deposita em Chávez. Dos sindicalistas petroleiros,não tenho dúvida que acham a PDVSA não como uma Co-Irmã,mas uma concorrente. Resta saber o que faz o PSOL nesta diretoria pelega. Ou será que sei? Acho que sim…
E,dirijo-me também à direitada que acha (ou diz sem achar) que Lulla é um subserviente ao Chávez,como se o presidente brasileiro fosse de esquerda,(e não um Macbeth pasteurizado da reação),lhes digo que com este discurso histriônico se tornam apenas nos maiores fornecedores de votos para Lulla,tão ridículos que são. Além de serem motivos de felizes chacotas pelos atuais ocupantes do poder.
Como acreditar em algum viés popular,em um governo,o de Lulla,que literalmente dorme (e acorda) com o operador da tentativa de golpe contra Chávez,e membro importante da mais perniciosa entidade sindical pelega do mundo,a AFL-CIO,além de comprovadas políticas populistas e desnacionalizantes de nossas riquezas?
Cartas ao PT e partidos aliados,à CUT e congêneres pelegas!

Fonte: http://zequinhabarreto.org.br/blog/?p=5945
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados