topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
A Chevron e o Equador Imprimir E-mail
Escrito por Luiz Eça   
Segunda, 23 de Setembro de 2013
Recomendar

 

 

Lamenta-se em Brasília a desistência da Chevron e três outras grandes petrolíferas de concorrerem no primeiro leilão do pré-sal.

 

É possível que, no caso da retirada da Chevron, o mal tenha vindo para bem.

 

Talvez ela não seja uma boa companhia para a Petrobras na partilha da exploração do campo de Libra.

 

Recorda-se que a multinacional está suja com a população do estado do Rio de Janeiro por ter, em 2011, causado um vazamento de 3.100 barris, na Bacia de Campos.

 

No entanto, tem mais. A Chevron foi responsável por um verdadeiro desastre ecológico na Amazônia equatoriana.

 

Com autorização do governo militar, ela operou na província de Sucumbios, entre 1964 e 1992.

 

Ao retirar-se, finda a exploração, deixou centenas de piscinas de petróleo, água de formação e outros elementos tóxicos.

 

Desse modo, causou danos terríveis e irreparáveis ao ambiente de uma vasta região. A população local processou a empresa, primeiro nos EUA, há 20 anos.

 

Por solicitação da própria Chevron, o processo passou para a justiça do Equador, que, em 2011, condenou-a a pagar uma indenização de 19 bilhões de dólares. Somente para remediar a contaminação.

 

A Chevron pretende agora abrir um processo contra o governo do Equador na corte internacional de Haia, alegando que, como não tem mais ativos no país, não tem como pagar a indenização.

 

Comentando o affair, o presidente Correa afirmou que se trata de um dos maiores desastres ambientais de todos os tempos.

 

Os danos causados pela contaminação na Amazônia teriam sido ainda mais graves que os ocorridos nos incidentes da British Petroleum, no Golfo do México, e da Exxon Valdez, no Alasca.

Luiz Eça é jornalista.

Website: Olhar o Mundo.

Recomendar
Última atualização em Quarta, 25 de Setembro de 2013
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates