topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Aug   September 2016   Oct
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
252627282930 
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
Voltando aos biocombustíveis Imprimir E-mail
Escrito por Wladimir Pomar   
Quarta, 19 de Setembro de 2007
Recomendar

 

Como a vida continua, apesar das trapalhadas de não poucos senadores, as lideranças camponesas e seus intelectuais continuam enfrentando a questão das necessidades e interesses das classes sociais com as quais precisam aliar-se para levar a sucesso a luta pela reforma agrária. Mas, suas dificuldades permanecem grandes, como podemos ver, voltando aos biocombustíveis.

 

O uso de fontes fósseis de energia, principalmente derivadas do petróleo, aliado ao desmatamento florestal, à desertificação dos solos e à poluição das águas, está causando danos consideráveis ao meio ambiente, à saúde e à vida sobre a Terra. Produzir energia "limpa" tornou-se uma necessidade da humanidade, embora os lobistas do petróleo considerem que isso não passa de balela.

 

Por outro lado, há alguns que só aceitam, como fontes "limpas" de energia, o calor do Sol e os ventos. Tudo o mais, como a utilização das quedas d'água, marés, urânio, gás natural, gramíneas, cereais, leguminosas, raízes, tubérculos, oleaginosas e restos orgânicos em decomposição, capazes de produzir eletricidade e combustíveis bio-renováveis, deveria ser considerado energia "suja", causador de diferentes tipos de danos ambientais. Esquecem que a produção de células fotovoltaicas, e de aerogeradores, não é totalmente "limpa".

 

No caso dos biocombustíveis (etanol, diesel "verde", e metano), a crítica deles é ainda mais forte porque supõem que sua produção reforçaria a concentração fundiária e capitalista, como se a produção de energia solar e eólica estivesse isenta dessa característica concentradora, que faz parte da natureza do capitalismo. Do mesmo modo que os ludistas, no século 19, não aprenderam ainda que o problema não está nas máquinas ou na tecnologia, mas no tipo de propriedade exercido sobre elas.

 

Os tecidos, fabricados pelos teares mecânicos, transformaram-se em commodities porque eram uma necessidade social. Os biocombustíveis estão se tornando commodities pelo mesmo motivo. E, como antes, o capitalismo procura aproveitar-se ao máximo de tal necessidade, sendo capaz de cometer barbaridades para também dominar totalmente seu processo produtivo, como vem fazendo com quase todas as necessidades sociais.

 

Nessas condições, o problema da humanidade consiste em aprender como bater-se, não contra os biocombustíveis ou as novas tecnologias, mas contra o capitalismo, que os utiliza apenas para seu lucro exclusivo. Sob este ângulo, os camponeses poderiam redirecionar sua luta, para aliar-se às classes e segmentos sociais que enxergam nos biocombustíveis uma nova oportunidade de sobrevivência. E, do ponto de vista econômico, talvez essa seja uma boa oportunidade tecnológica para os camponeses cultivarem plantas produtoras de biocombustíveis, adaptáveis às pequenas e médias propriedades. Assim, além de ampliar a luta pela proteção do meio ambiente, poderiam resgatar a força econômica de seu movimento, como forma de enfrentar a concentração da renda e do capital.

 

 

Wladimir Pomar é escritor e analista político.

 

Para comentar este artigo, clique comente.

Recomendar
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates