topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
Opção pelos pobres e volta ao latim Imprimir E-mail
Escrito por Frei Betto   
Sexta, 26 de Julho de 2013
Recomendar

 

Com o rosto visivelmente cansado, o papa Francisco celebrou, nesta quarta-feira, missa na basílica de Aparecida sem fazer eco, em sua homilia, ao apelo de cardeal Raymundo Damasceno por “uma Igreja comprometida com os pobres”.

 

A homilia do Pontífice, dirigida aos jovens, restringiu-se a exaltar a esperança, a entrega a Deus e a alegria como marcas da fé cristã. Nada teve, porém, de moralismo, e ressaltou que “aquilo que é pecado se transforma em vinho novo na amizade com Deus”.

 

Na quinta-feira (25), papa visitou, pela manhã, a favela de Varginha. Este roteiro não constava da agenda do papa Bento XVI, que estaria no Rio caso não tivesse renunciado. Foi incluído por exigência de Bergoglio, que insiste em sinalizar uma Igreja mais próxima dos pobres.

 

Há quem julgue a “opção pelos pobres” uma proposta da Teologia da Libertação. Nada mais equivocado. Nos quatro evangelhos, a condição para se aderir a Jesus é, primeiro, defender o direito do pobre a uma vida digna. “Pai Nosso” e “Pão Nosso” são os refrões da oração ensinada por Jesus. Só deve se sentir no direito de chamar Deus de “Pai” quem não busca apenas para si o pão, símbolo das condições materiais de vida, mas para todos.

 

A pobreza é um mal que resulta da injustiça social. Não há um único versículo na Bíblia que afirme ser a pobreza agradável aos olhos de Deus. O pobre, sim, é bem-aventurado, porque Deus assume a sua causa, como proclama o Sermão da Montanha. Na verdade, o que existe são pessoas empobrecidas, levadas involuntariamente a uma vida de carências e sofrimentos.

 

Às 19h, Francisco teve o primeiro grande encontro com os jovens, na Praia de Copacabana. Na celebração, foi lido o evangelho da Transfiguração de Jesus (Lucas 9, 28b-36) — uma crítica à acomodação da Igreja e ao espiritualismo farisaico.

 

Pedro, Tiago e João subiram a montanha com Jesus e o viram em toda a sua glória divina, em companhia de Moisés e Elias. Sugeriram armar tendas e ali permanecer, proposta prontamente rejeitada por Jesus: “Pedro não sabia o que dizia”. Queria fugir da missão.

 

A bênção final será em um idioma que, com certeza, pouquíssimos jovens compreendem: latim!

 

O que significa essa sutil volta ao latim na liturgia da Igreja? Um anacronismo. Desde o Concílio Vaticano II, o latim foi extinto da liturgia católica, que passou a adotar a língua vernácula. Isso provocou forte reação da ala conservadora da Igreja, que considera o abandono do latim uma “profanação” da instituição bimilenar.

 

Bento XVI cedeu às pressões e autorizou as “missas tridentinas”, em latim, sem, no entanto, impedir o vernáculo. O fato de Bergoglio proferir, no Rio, várias orações em latim pode sinalizar uma respeitosa concessão ao papa renunciante, com quem ele convive no mesmo território do Vaticano, ou, na pior das hipóteses, certa simpatia pela restauração tridentina na liturgia.

 

O latim na liturgia é como os símbolos da monarquia britânica. Quase ninguém sabe o que significam, mas causam bom efeito para revestir a nobreza de respeitável auréola. Nesse mundo globalizado, o inglês é, hoje, a língua internacional, como foram o grego no mundo dominado por Alexandre Magno e o latim no mundo governado pelo Império Romano.

 

Jesus falava aramaico. Talvez soubesse hebraico, por frequentar a sinagoga, e um pouco de latim, por viver numa região sob jugo dos romanos. Quando a liturgia da Igreja se prende a seus aspectos exteriores, ganha o senso estético e perde a profundidade espiritual.

 

Leia também

A que vem o papa Francisco

Esses jovens têm fome de quê?


Frei Betto é escritor, autor do romance "Aldeia do Silêncio” (Rocco), entre outros livros. http://www.freibetto.org- twitter:@freibetto.


Copyright 2013 – FREI BETTO – Não é permitida a reprodução deste artigo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do autor. Se desejar, faça uma assinatura de todos os artigos do escritor. Contato – MHPAL – Agência Literária (mhpal(0)terra.com.br).

Recomendar
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates