topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Aug   September 2016   Oct
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
252627282930 
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

A ousadia do povo novo: criticar a democracia Imprimir E-mail
Escrito por Paulo Spina   
Sexta, 26 de Julho de 2013
Recomendar

 

 

 

“A minha dor está na rua Ainda crua Em ato um tanto beato, mas Calar a boca, nunca mais! O povo novo quer muito mais Do que desfile pela paz”


Trecho da música “O Povo novo” de Tom Zé sobre as manifestações

 

Estamos em julho de 2013 com muitas pessoas tentando entender, ou melhor, disputar as interpretações das manifestações no Brasil do mês anterior. Tem se falado atualmente em levante de junho, pois foi neste mês que iniciou um processo massivo de tomada das ruas. Mas, talvez, não tenha acabado o processo. Pode ser que no futuro sejam manifestações de 2013 ou de uma década inteira se a ousadia for realmente levada até o fim!

 

A ousadia de uma juventude que há anos tem assistido ao interesse das negociatas empresariais determinarem a organização da vida de todas as pessoas. O que são os 0,20 centavos em São Paulo senão uma disputa com o interesse econômico do lucro das empresas de ônibus? Ou as manifestações contra os gastos da Copa, cobrando investimento em políticas universais de educação e saúde?

 

Para este povo novo, a democracia liberal, que no Brasil foi fruto de uma transição consensuada com o poder militar de outrora, não é considerada conquista ou valor a ser ufanamente defendido, mas alvo concreto de questionamento. Assim foi nas manifestações, a democracia foi criticada de diversas formas, desde frases rechaçando todos os políticos e partidos como “o povo unido protesta sem partido” até ocupações de espaços do poder como o congresso nacional.

 

A crítica à democracia deve ser entendida no sentido certo. Não algo totalitário de menos participação, pelo contrário, a reivindicação ousada da juventude é por mais soberania com participação real, menos alienação e organização da sociedade a partir do interesse popular. Isto é o significado de parcela dos manifestantes rechaçarem os partidos políticos, que na visão comum são os que em nossa democracia representam as negociatas dos interesses particulares. E, por outro lado, o sujeito singular em contraposição ao interesse particular manifesta-se com o símbolo concreto de defesa do universal, a bandeira da nação com a palavra de ordem: “meu partido é meu país”.

 

A estrutura institucional existente é incapaz de reconhecer possibilidades de participação que correspondam a processos de indeterminação e conflito dos sujeitos singulares. Nossa democracia representa, sobretudo, os interesses particulares dos grandes poderes econômicos, alienando o singular de cada sujeito e abandonando o interesse universal.

 

Interessante pensar que no Brasil, com a consolidação da democracia após a década de 90, parecíamos condenados à impossibilidade de agir conjuntamente. A sensação era não haver motivos capazes de fazer as pessoas tomarem as ruas.

 

Possivelmente nos considerávamos autônomos, realizávamos nosso dever de votar a cada dois anos com a crença de que, se o povo elege políticos, estes se comprometem com o interesse dos seus eleitores, para poderem ser eleitos novamente. Esse formalismo, onde a tomada de decisão está fundamentada em um dever de procedimentos formais que exclui as contradições da sociedade, faz com que a discussão da cidade, estado ou país seja sem conteúdo, sem mudança real possível, levando à paralisia. A ousadia do povo novo levou ao curto circuito desta lógica, atacou políticos e os poderes que a constituem: o econômico e a mídia. “o povo não é bobo, abaixo a Rede Globo”.

 

Então, como viabilizar o reconhecimento institucional de uma demanda de sujeitos que questionam o que se entendia como universal, a partir de modos singulares de confrontação?

 

Este impulso das manifestações deve ser o conteúdo e também a motivação para agir. Agir fazendo pressão e agir propondo outra realidade, que não mais seja formalista e exclua os impulsos indeterminados, mas que possibilite uma lógica que contemple avanços. Para isso precisamos entender que são condições da liberdade irmos contra o medo, darmos voz às paixões singulares dos sujeitos e criarmos uma estrutura de poder popular. Estrutura que seja capaz der retirar as pessoas de sua individualização e atomização social, avançando para uma participação efetiva de defesa do universal, na perspectiva da classe trabalhadora com uma democracia real de alta densidade.

 

 

Paulo Spina é militante do Fórum Popular de Saúde do Estado de São Paulo.

Recomendar
Última atualização em Sexta, 26 de Julho de 2013
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates