topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

O sigilo do voto do parlamentar Imprimir E-mail
Escrito por Plinio Arruda Sampaio   
Qui, 04 de Julho de 2013
Recomendar

 

 

Uma Comissão da Câmara dos Deputados acaba de aprovar projeto de Emenda Constitucional que elimina o sigilo do voto do parlamentar. Se essa decisão for referendada pelo Plenário, o público ficará informado sobre todos os votos dados pelos deputados.

 

A maioria das pessoas aprovará essa decisão. Muitos a atribuirão aos efeitos das marchas de protestos, tal como aconteceu com a rejeição do PEC 37.

 

Considerariam essas pessoas que se trata de uma medida moralizadora, pois impedirá que os parlamentares frustrem os interesses populares.

 

O funcionamento do Congresso não é de fácil entendimento para quem não é parlamentar. Por isso, surgem dúvidas acerca de algumas de suas regras. Uma delas diz respeito ao sigilo do voto dos parlamentares em relação a questões de repercussão social.

 

Aparentemente, é uma regra feita para favorecer o parlamentar que se esconde atrás do sigilo para votar algo que sabe não estar de acordo com seus eleitores. Na verdade, não se trata disso.

 

O sigilo do voto visa proteger, não os deputados, mas os eleitores destes. Como? Muito simples: o deputado que vota contra uma proposta de interesse do governo corre o risco de que o governante, a fim de puni-lo, tome medidas contra os eleitores dele. O sigilo do voto impede que isto aconteça, pois, salvo na improvável hipótese de votação unânime, o governante não tem como saber quem votou contra sua proposta.

 

Só uma exceção deveria caber à regra do sigilo: na votação de proposta de cassação de mandato de parlamentar feita pela Comissão de Ética da Câmara dos Deputados, ou pela Comissão de Ética do Senado, o voto deveria ser aberto, pois, nesses casos, o sigilo favorece o corporativismo e impede que parlamentares faltosos sejam punidos.

 

Plínio Arruda Sampaio foi deputado federal em 1963/1964 e 1985/1986, além de Membro da Assembleia Nacional Constituinte entre os anos de 1987 e 1991. É diretor do Correio da Cidadania.

Recomendar
Última atualização em Sábado, 06 de Julho de 2013
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates