A mídia ladra, Lula passa

0
0
0
s2sdefault

 

Como íamos dizendo, “até hoje o PT não perdeu eleições por razões éticas” (Dirceu e o Supremo Jiló).

 

Continua não perdendo. Tanto é que o partido aumentou em aproximadamente 80 municípios o seu número de prefeitos. O PSDB caiu, o DEM quase sumiu. A única diferença foi o crescimento do PSB e a eleição de alguns candidatos mais à esquerda, bem votados, como do PSTU e PSOL.

 

A oposição tucanada teve tudo que queria: julgamento do mensalão, transmitida ao vivo, condenação de petistas, mídia no ataque 24 horas por dia, enfim, como o diabo gosta. Foi a lavagem da alma da elite.

 

Nem por isso o resultado mudou. Como já dizíamos desde os tempos do mensalão em 2004, o povo tem razões pragmáticas para votar que a grande mídia parece não compreender.

 

Para piorar o humor das elites brasileiras, Chávez ganhou na Venezuela. O momento não está para os tubarões.

 

Para nós, enquanto uma oposição mais à esquerda, as grandes questões estiveram ausentes nessas eleições municipais: o saneamento básico, o controle das enchentes, a educação, a saúde foram temas apenas tangenciados. Aqui no sertão mal se falou na seca. Nem vamos falar das questões nacionais, como o soterramento do Código Florestal em plena campanha municipal.

 

Hoje eleição é um jogo de mídia, despolitizada e o PT vencedor eleitoralmente é completamente desfigurado em termos de suas propostas originais. Alimenta-se da satisfação popular, que vai perdurar enquanto a sensação de melhora do povo perdurar. É o que nos restou dos sonhos de uma nova política em um novo país.

 

Portanto, temos que dar o braço a torcer ao Lula: enquanto a matilha midiática late, Lula passa.

 

Roberto Malvezzi (Gogó) possui formação em Filosofia, Teologia e Estudos Sociais. Atua na Equipe CPP/CPT do São Francisco.

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados