Caminhos de Libertação

 

 

Nova Iguaçu abrigará o 6º encontro nacional do Movimento Fé e Política, dias 10 e 11 de novembro, no Sesc local. “Pelos caminhos da América Latina, uma nova Terra” é o tema do evento, que deverá reunir mais de 5 mil pessoas interessadas em articular sua militância social e política com a vivência da fé cristã.

 

No sábado, 10, o tema será abordado por João Pedro Stédile, da direção nacional do MST; Sandra Quintela, socioeconomista; e por mim. No domingo, o painel “Por uma Pátria Grande Solidária e Sustentável” contará com a participação de Leonardo Boff, ecoteólogo; Milton Schwantes, biblista luterano; e da pastora metodista Kaká (Maria do Carmo Moreira Lima).

As plenárias temáticas, no sábado à tarde, debaterão temas como Lutas e mobilizações das mulheres; Ecologia e aquecimento global; Economia solidária; Educação Popular; Ética e política; Mística e espiritualidade; Práticas alternativas de saúde; Diálogo inter-religioso; Movimentos sociais e governos populares etc.

O encontro enfocará as mudanças políticas e sociais ocorridas recentemente na América Latina, como o repúdio às velhas oligarquias e a eleição de presidentes identificados com as causas populares.

A relação entre fé e política sempre foi íntima e complexa. Íntima, porque não se pode praticar a fé sem fazer política. Todo gesto de solidariedade ou justiça realizado em nome da fé tem efeito político. Os valores professados pela fé – o amor ao próximo, um mundo de paz etc. – são o horizonte da política.

Complexa, porque fé e política são esferas distintas, embora complementares na vida social. Fazer política exclusivamente em nome da fé é ceder ao fundamentalismo. Professar a fé como mero artifício político é cair no oportunismo.

Hoje, graças à modernidade, não se misturam as esferas da religião e da política. No entanto, elas se entrelaçam em nossas vidas pessoais. O Estado é laico; a religião não pode pretender reinar sobre a sociedade, nem a política tem o direito de restringir a liberdade religiosa.

É essa autonomia do político e do religioso, e sua relação em nossas vidas pessoais e sociais, que o Movimento Fé e Política aprofunda em seus encontros e palestras. Assim, pode-se perceber com pertinência por que a fé é, em última instância, o horizonte da política, e a política, bem praticada, a forma mais perfeita de caridade. Por minha generosidade, posso matar a fome do mendigo com um prato de comida. Mas só pela política posso acabar com a mendicância e a fome, assegurando a todos condições dignas de vida.

Os interessados em participar do Encontro Nacional de Fé e Política podem fazer suas inscrições, no valor de R$ 15, até 1º de outubro, pelo site http://www.fepolitica.org.br ou através da secretaria do evento: Rua Dom Adryano Hipólyto 8 – Moquetá – Nova Iguaçu, RJ – Cep 26285-330. Telefax: (21) 2667-5441 ou (21) 2669-2259.

 

 

Frei Betto é escritor, autor, em parceria com Leonardo Boff, de “Mística e Espiritualidade” (Garamond), entre outros livros.

 

Para comentar este artigo, clique {ln:comente 'aqui}.

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados