Pororoca pequena: marolinhas sobre a(s) Amazônia(s) de cá

0
0
0
s2sdefault

 

 

O livro trata de situações de tensão na região. A ser lançado no dia 31, sexta-feira, na Universidade Federal do Pará (UFPA), campi de Marabá, tem o patrocínio do Banco da Amazônia. O livro será lançado durante um evento que refletirá sobre a contribuição do sociólogo Florestan Fernandes, organizado pelo movimento Debate e Ação.

 

O projeto para a edição da obra concorreu com outros 862 de toda região, e foi classificado entre os 37 da seção de cultura. Rogério Almeida assina o livro. Ele é graduado em comunicação social e mestre pelo Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA\UFPA), com pesquisa laureada com o Prêmio NAEA\2008.

Vinte trabalhos dão corpo à obra. São artigos, reportagens e entrevistas, divididos em quatro seções: a) Estado e os grandes projetos; b) Araguaia-Tocantins – território em disputa; c) Belém- a cidade; d) entrevistas com dirigentes sindicais e populares, assessores e com o jornalista Lúcio Flávio Pinto.

 

O material compreende produções realizadas entre os anos de 2003 a 2009. A revista paulista Caros Amigos, o Laboratório de Políticas Públicas da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (LPP/UERJ), a Revista Democracia Viva do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (IBASE/RJ), Revista Estudos Avançados da USP, os sites da rede Fórum Carajás e Ecodebate foram alguns dos espaços que ajudaram na publicização do material.

 

As dinâmicas econômicas, sociais e políticas da Amazônia estão no centro da preocupação do trabalho. A ênfase recai sobre a disputa por territórios, os grandes projetos e os seus desdobramentos. O professor da UFPa Jean Hébette, reconhecida autoridade intelectual em temáticas amazônicas, assina o prefácio. Ele sublinha que “a linguagem do livro flui, escapando ao formato acadêmico, e que o mesmo constitui uma fonte preciosa de dados, coletados em fontes confiáveis”. O jornalista Lúcio Flávio Pinto é o responsável pelo texto da orelha.alt

 

O blog do autor (FURO) abrigou alguns produtos, além da Revista Sem Terra. Tem-se ainda a publicação de material em encontros nacionais de pesquisadores, a exemplo do 3º Encontro da Rede de Estudos Rurais, ocorrido em Campina Grande, Paraíba, em setembro de 2008. O artigo apresentado aborda os 20 anos de luta pela terra na região do Araguaia-Tocantins. Almeida produz conteúdos sobre a região há mais de uma década.

 

As realidades dos mundos rurais dão corpo ao projeto. A exceção é o capítulo dedicado à cidade de Belém. Duas reportagens pontuam nuances da metrópole. O primeiro trata da militância cultural centrada na música, a partir do grupo Coletivo Rádio Cipó. A trupe é nascida no bairro da Pedreira, conhecida zona boêmia. Dona Onete e mestre Laurentino, como reza o clichê, são as estrelas da companhia. O segundo recupera fragmentos dos 120 anos do Bosque Rodrigues Alves, um naco de floresta em meio à cidade.

 

Além de Marabá o livro será lançado em Belém, na manhã do dia 29, durante encontro de Educação Rural, na UFP. E também na noite do dia 18 de setembro durante a abertura do Encontro Nacional da Associação de Pós-Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade (Anppas). E ainda em São Luís, em data a ser fechada.

 

Lançamento do livro Pororoca pequena – marolinhas sobre a (s) Amazônia (s) de Cá.
Tributo a Florestan Fernandes – Movimento Debate e Ação


Campi da UFPA de Marabá
31 de agosto, 18h
Páginas – 212
Preço – R$20,00

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados