Oposição Sindical Metalúrgica de São Paulo: Presente!

0
0
0
s2sdefault

 

Neste ano de 2011 tivemos em São Paulo dois eventos políticos de grande importância, os dois referentes ao Movimento Operário de São Paulo, denominado Oposição Sindical Metalúrgica de São Paulo (OSMSP), de grande particularidade e influência no Brasil nos anos 70, 80 e 90. Agora, parece ressurgir com certa força no cenário político, a partir do resgate de sua história e ideologia, através das homenagens, documentários e estudos sobre os seus principais militantes (vivos e já mortos – alguns deles assassinados pela ditadura militar), além da referência aos produtos de suas ações políticas, notadamente no âmbito do Sindicalismo Autônomo e combate à ditadura militar e à estrutura sindical acoplada ao Estado, inspirada na Carta Del Lavoro, do fascista Mussolini, imposta a nós pelo ditador Getúlio Vargas.

 

No dia 15 de outubro de 2011, na esteira do Dia Mundial de Lutas Anticapitalistas, estimulado e promovido majoritariamente pelas forças políticas mais independentes da institucionalidade, e que reuniu muitas centenas de milhares (alguns poucos milhões, segundo alguns) de pessoas em todos os quadrantes do planeta, tivemos uma homenagem à OSMSP no Memorial da Resistência (antigo DOPS de São Paulo, de triste memória), onde cerca de 500 pessoas lotaram o salão e as dependências das antigas masmorras, hoje um belo museu, para que a memória destes tempos não se apague jamais, como uma vacina permanente contra os desmandos, a perseguição política e o terrorismo de Estado, seja de que forma ou indumentária for.

 

Estavam presentes neste evento histórico simpatizantes, amigos e companheiros dos militantes mais antigos que fizeram e fazem a história da verdadeira e basista Oposição Sindical, combatentes contra a ditadura militar e o sindicalismo pelego, que ainda produzem grandes ensinamentos para os momentos atuais que vivemos. Não citarei nenhum aqui, por receio de omitir personagens históricos, o que seria injusto. Mas o Projeto Memória da OSMSP- IIEP SP cuidou para que TODOS (ou quase) fossem homenageados, em bela exposição fotográfica dos lutadores deste país, em caderno de muito boa qualidade gráfica, à disposição no IIEP-SP (Intercâmbio, Informação, Estudos e Pesquisa) (http://www.iiep.org.br), além de outros materiais históricos.

 

Esta jornada foi filmada e será, certamente, disponibilizada pelo projeto Memória da OSMSP – IIEP-SP, em documentário que todos nós aguardamos com muita expectativa.

 

O segundo evento deste ano realizou-se dia 1 de dezembro, na sede da APEOESP (Associação dos Professores do Estado de São Paulo - gentil e graciosamente cedida, com equipamentos), com a projeção do Documentário “Waldemar Rossi e Maria Célia Vieira Rossi: a história por quem a fez”, no qual é documentada a vida e militância destes dois grandes ativistas da OSMSP, das Pastorais Operárias e Movimentos Comunitários de São Paulo, cujas experiências ganharam o Brasil, em diversas regiões.

 

Foram pouco menos de cem pessoas reunidas em um ambiente fraterno e generoso, com a projeção do documentário (cerca de 60 minutos) e quase duas horas de debates e considerações, em um (re)encontro de militantes e companheiros, alguns que não se viam de longa data, além de jovens que se achegam a esta perspectiva militante. Depois, é lógico, comes e bebes para todos, pois a pajelança é sempre uma boa oportunidade para o bom convívio.

 

A produtora do Documentário, a Moviola Presa Produções Cinematográficas Independentes, disponibiliza cópias DVD, ao custo de R$20,00 cada uma + Frete Postal, sendo que os pedidos podem ser feitos ao Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. São apenas 250 cópias numeradas e autografadas pelos protagonistas, dinheiro apenas para cobrir os custos financeiros da produção, que teve a mão-de-obra doada ou cobrada muito abaixo do mercado pelos técnicos envolvidos.

 

O motivo da divulgação do documentário APÓS a Sessão Prévia é que as instalações da APEOESP não comportariam uma grande afluência de interessados, o que de fato se comprovou, tendo esta sessão sido feita com a casa praticamente lotada. Mas nada impede que se façam novas projeções, com debates deste documentário, bastando uma comunicação prévia e convite, por parte dos que desejem promover novas sessões.

 

Raymundo Araujo Filho é médico veterinário e ativista social.

Comentários   

0 #1 Oposição Sindical Metalúrgica de São Paulo: Presente!valéria maurício 07-12-2011 03:14
Parabéns OSMSP!
É justa a homenagem feita aos militantes sindicais que,lutaram com coragem contra a ditadura militar,através de um documentário fez,reviver a memória de tantos que hoje já não se encontram mais entre nós.Um Sindica to que sobreviveu após tantas lutas como oposição,merece ser homenageado.
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados