topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

Wall Street e os OVNIS Imprimir E-mail
Escrito por Roberto Malvezzi (Gogó)   
Qui, 20 de Outubro de 2011
Recomendar

 

As manifestações dos “sobrantes” que acontecem em 82 países do mundo chegaram ao coração dos Estados Unidos. Ali, uma multidão de desempregados, tendo pizzas pagas por gente do mundo inteiro sem pedir um tostão a quem quer que seja, chacoalha o mundo mitológico americano. O mercado eletrônico pode viabilizar o pagamento da pizza por qualquer insatisfeito do mundo, more onde morar.

 

O país até há pouco tempo era inatacável, mas depois do 11 de setembro não é mais. Era infenso a fenômenos climáticos, mas depois do Katrina não é mais. Era imune a todo tipo de crise econômica, mas os sobrantes de Wall Street atestam que não é mais. Todos os filósofos da história sabem há tempos que o modelo civilizacional está em crise. Não é apenas o capitalismo. Porém, como ele é hegemônico, nele a crise é espetacular.

 

Mas, do ponto de vista da filosofia da história, nenhum império, nenhuma civilização, uma vez ameaçada, recua. Ao contrário, citando apenas o caso de Roma, ou do III Reich, ou do socialismo stalinista, os impérios seguem em frente, até desmoronar. Mas o que desmorona agora não é apenas um império, mas um modo de civilização, tido como o ápice da evolução social humana, particularmente nos últimos 10 mil anos. Portanto, sem pressa, o processo avança. Há espasmos de tranqüilidade, mas apenas até a próxima crise chegar.

 

Qual será o futuro humano? Não será o do bom senso. Nesses momentos impera a lógica do espólio, da vitória dos poderosos, sobre as cinzas dos derrotados. Os impasses civilizacionais se colocarão cada dia mais sem retorno, como a crise da água, dos solos, da biodiversidade, da energia, portanto, da fome, da sede, das guerras pelo controle dos bens naturais que restarem. Talvez ainda tenhamos saudades da democracia burguesa, diante dos destroços do direito e das ditaduras cada vez mais violentas do mercado.

 

Porém, lembrando Darwin mais uma vez, “não são os mais poderosos que sobrevivem, mas os que melhor se adaptam”.

 

Mas, o ser humano que emergir à frente, não será nem melhor e nem pior que o ser humano de hoje e de ontem. Será o velho ser humano, na sua grandeza e na sua miséria, incapaz de aprender com sua própria história.

 

Se ao menos os OVNIS que têm aparecido nos céus da China, de Jerusalém, da Noruega, fossem mesmo de extraterrestres, ainda teríamos uma esperança. Sairíamos dessa civilização provinciana e planetária, para enxergarmos nossa insignificância numa civilização universal.

 

Roberto Malvezzi, o Gogó, é assessor pastoral e membro da Comissão Pastoral da Terra.

Recomendar
Última atualização em Sexta, 04 de Novembro de 2011
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates