Alckmin punirá Ecovias por acidente?

0
0
0
s2sdefault

 


O mega-engavetamento na rodovia Imigrantes, na semana passada, maculou a imagem vendida pelos tucanos sobre o paraíso das estradas paulistas e sobre o sucesso da privatização do sistema. Segundo a Polícia Rodoviária, o acidente envolveu cerca de 300 veículos. As cenas de destruição, incêndios e pessoas sangrando foram dramáticas. Uma pessoa morreu e mais de 50 ficaram feridas.

Medidas depois da tragédia

Diante do desgaste, o governador Geraldo Alckmin afirmou que a empresa responsável pelo sistema Imigrantes-Anchieta, a Ecovias – que aufere bilionários lucros com a cobrança dos pedágios mais caros do país – “poderá” ser punida. “(Vamos) primeiro aguardar as apurações que estão sendo feitas”, ponderou o tucano.

A empresa privada tem sido duramente criticada pelas falhas na operação de monitoramento em caso de neblina na serra que liga a capital ao litoral paulista. “A Artesp, que é a agência reguladora de transporte, já está trabalhando com a concessionária” para aperfeiçoar o serviço, garantiu o governador. Depois da casa arrombada, agora o governo providencia a fechadura.

O cinismo da empresa “privada”

A Ecovias, por sua vez, tenta tirar o corpo fora e culpa a natureza pelo mega-acidente. Procurada pelo portal R7, a assessoria de imprensa da companhia afirmou que “a neblina é uma condição climática que não pode ser evitada. Dessa maneira, a Ecovias não pode ser responsabilizada pelo ocorrido”. O cinismo da lucrativa empresa, porém, não convenceu os usuários.

O vendedor Fernando Augusto de Souza, que viu seu automóvel de trabalho Palio virar sucata, é um dos que já decidiram processar a empresa por danos materiais e morais. “Você paga pedágio para ter segurança, conservação, essa é a finalidade. A rodovia tinha a obrigação de saber se tinha neblina ou não”, argumenta o seu advogado. Outras vítimas do engarrafamento também devem acionar a Justiça.

Lucros exorbitantes e protestos

A privatização tucana das rodovias paulistas tem gerado cada vez mais críticas da sociedade. Tanto que o tema motivou intensos debates entre os candidatos ao governo estadual nas eleições de 2010. Usuários do sistema privatizado inclusive têm organizado vários movimentos de protestos, como o “pedagiômetro”, que mede o lucro exorbitante das concessionárias.

Segundo levantamento parcial, em 12 anos, de 1998 a 2010, as 12 concessionárias que atuam nas rodovias de São Paulo tiveram um lucro R$ 4,8 bilhões. Só a Ecovias garantiu um lucro líquido – líquido!!! – de R$ 997 milhões no período. Em 2009, ela arrecadou R$ 567 milhões nos pedágios do sistema Imigrantes-Anchieta; investiu uma parte em infra-estrutura e embolsou R$ 192 milhões de lucro líquido.

 

Altamiro Borges é jornalista.

Comentários   

0 #1 RE: Alckmin punirá Ecovias por acidente?Fábio Dias Junqueira 04-10-2011 15:11
Nesse último sábado (01/11) utilizei a rodovia imigrantes para descer a Serra e antes do pedágio os luminosos avisavam o procedimento da "operação combôio". Fiquei um pouco assustado devido a ocorrência trágica daquele acidente, apesar de ainda não ver os sinais da neblina. Uma grande lentidão já se formava logo depois do pedágio e para minha surpresa (e alívio) não atravessei qualquer sinal de neblina, a não ser uma leve diminuição de claridade, como em qualquer dia nublado, mas nada de serração, condições de visão perfeita de começo a fim.
Eis mais uma forma de "providenciar a fechadura"... ou seja, depois de tamanha incompetência querem mostrar DESserviço, porque amarraram o trânsito a troco de nada. A volta, no domingo, ao entrar no sistema por volta de 18:20hs cheguei no planalto (sem combôio) 20:40hs. Vão fazer mais quantas Imigrantes?... Vejam se tiram pelo menos os dez centavos dos absurdos R$ 20,10 cobrados. Um atentado ao dinheiro dos cidadãos.
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados