Fogo nos malfeitos governo, mas também nos fariseus

0
0
0
s2sdefault

 

A queixa por "denuncismo" da imprensa, como justificativa pela limitada Ideli Salvatti para as crises atuais do governo Dilma, é absurda. Mas também é verdade que a fúria investigativa atual da mídia conservadora só encontra paralelo na oficialismo leniente com que tratou o governo FHC. O que denota uma clara ideologização hipócrita do combate à corrupção, tanto dessa mídia quanto da parceria PSDB-PFL e seus subprodutos, como se nada tivessem a ver com fenômenos semelhantes promovidos durante o mandarinato de FHC. Só para citar como exemplo, imaginemos o que teria ocorrido nas manchetes caso a emenda da reeleição, valendo para o próprio mandato, tivesse ocorrido em outro governo que não o de FHC.

 

Mas há muito mais, e tão grave quanto.

 

A crítica, hoje universal, aos governos que privatizaram o lucro e socializaram prejuízos dos banqueiros ianques e europeus na crise de 2008, "generosidade" que tem muito a ver com a crise atual das dívidas públicas das potências capitalistas, deveria ter tido alvo pioneiro no Brasil.

 

Estou me referindo ao Proer, instrumento gerado pelo BC presidido por Gustavo Loyola, e por onde se entregaram R$ 40 bilhões a banqueiros brasileiros, preferencialmente os mais próximos das caixas de campanha tucano-pefelistas, sem nunca ter merecido uma investigação jornalística.

 

Muito pelo contrário, o que se escreveu foi um apoio quase incondicional da grande mídia, embora ainda corram processos promovidos pelo Ministério Público contra alguns dos responsáveis pela medida. Responsáveis públicos de então, mas hoje convertidos em "consultores" e diretores de grandes bancos, ou até em importantes banqueiros privados. Sem nada antes, de capital inicial, a não ser a passagem pelo serviço público.

 

Nesse contexto, é preciso estar atento, a partir de um olhar crítico da esquerda combativa, tanto nos movimentos sociais quanto nas esferas institucionais. Nenhuma concessão à bandalheira posta em prática pelos que privatizam o Estado de forma criminosa pode ser desculpada. Mas nenhuma concessão pode ser feita aos fariseus que, quando no poder, foram tão ou mais predadores do que os que agora tentam alvejar com suas versões "ético-moralistas".

 

É fundamental atacar de forma contundente as concessões feitas pelo governo Dilma, na esteira do lulo-pragmatismo, o "polulismo", que destrói de forma perigosamente irreversível a alma geradora do PT como partido de luta. Mas sem permitir que passem em brancas nuvens as semelhanças entre os malfeitos atuais e os que foram protegidos pelos que hoje, de forma ilegítima, os atacam pela simples razão de não estarem se locupletando na mesma esbórnia.

 

Milton Temer é jornalista.

Comentários   

0 #2 Fariseus.Isnard carvalho 17-08-2011 08:46
Por favor,cite nomes e fatos comprováveis.
Ajudará na credibilidade do texto e tb em futuros embates.
Citar
0 #1 RE: Fogo nos malfeitos governo, mas também nos fariseusIsnard carvalho 17-08-2011 08:43
Gostaria que o sr. nos desse exemplos,sob pena de cair no mesmo "denuncismo" caso não cite fatos e nomes.Obrigado.
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados