topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
O mundo em marcha Imprimir E-mail
Escrito por Gabriel Perissé   
Terça, 05 de Julho de 2011
Recomendar

 

Marchas nas ruas, a céu aberto. Marchas para frente ou para trás? As marchas e contramarchas que o mundo dá.

 

Marcha, soldado! Quem não ouviu essa canção quando criança? Marchava-se com cabeça de papel. E quem não marchava direito ficava preso no quartel.

 

Marcha não é só andadura dos soldados, tanto mais imponente quanto mais prepotente a ditadura. Marcha pode ser andada democrática. Todos podemos marchar em nome de causas que nos pareçam justas.

 

As marchas se entrecruzam nas esquinas. Os cidadãos de todas as idades marcham pela cidade, levantam cartazes, reclamam do governo, do mundo, da vida e da história. Vários pelotões com bandeiras várias vão marchando pelas avenidas paulistas, cariocas, brasilienses, brasilianas, africanas, europeias, marchando em asfalto, pedras e areia, vão marchando de qualquer maneira.

 

A marcha da maconha marcha sem vergonha, fazendo barulho para defender o seu bagulho.

 

A marcha para Jesus vai marchando e rezando, quer ultrapassar as antigas procissões católicas.

 

A marcha das vadias é a marcha da ironia na via pública, contra os desvios próprios do machismo.

 

A marcha gay é parada que não pára de marchar, pular, cantar, dançar. É só alegria, embora às vezes dê o maior pau.

 

As marchas vão marchando, com dezenas ou milhares de pés, sobem ladeiras, invadem praças, desafiam pequenas e grandes desgraças. As marchas têm sempre no protesto a sua marca. E na marcha há muitas caras, pintadas, lavadas, com nariz de palhaço e apitaço.

 

Toda marcha tem um pouco de marcha fúnebre. Para enterrar algum morto. Fazer do luto uma outra vida em sociedade.

 

Toda marcha tem um pouco de marcha nupcial. Para celebrar o casamento de uma ideia com seus protetores, de uma causa com seus defensores, de um sonho com seus sonhadores.

 

Toda marcha tem um pouco de marchinha de carnaval. Para batucar e desfilar um enredo, um medo, uma vontade de sorrir, antes e depois do choro.

 

Marchar não é caminhar pelo caminho de sempre. Marchar é desbravar, esbravejar. Toda marcha é caso de polícia, e sabem, muitos dos que marcham, as marcas do cassetete.

 

Marchar é reivindicar com os pés e a voz: cobrar salário, emprego, segurança, educação, atenção, terra, teto, respeito.

 

Há marchas que são marcha a ré. Outras são evolução.

 

Cada marcha tem seu destino, sua convicção.

 

Diga-me a sua marcha, e lhe direi... se vou.

 

Gabriel Perissé é Doutor em Educação pela USP e escritor.

Website: www.perisse.com.br

Recomendar
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates