topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
As esquerdas no México e no Brasil Imprimir E-mail
Escrito por Antonio Julio de Menezes Neto   
Sábado, 04 de Junho de 2011
Recomendar

Estou no México realizando pesquisa sobre as escolas zapatistas. Encontrei muitas dificuldades para adentrar nos centros dos municípios autônomos zapatistas. Eles vivem um momento de fechamento e, assim, tive de vivenciar uma realidade de pessoas mascaradas que praticamente se recusavam a conversar. Mas isto fica para outro artigo.

 

Por ora, apresento um quadro da esquerda mexicana e faço uma comparação com a brasileira. Esclareço que a política é dinâmica e, consequentemente, não é necessário dizer que as posições das esquerdas são eivadas de táticas e estratégias diferentes.

 

O México vive uma realidade política em que duas esquerdas, incomunicáveis, coexistem. Uma é a esquerda institucional, que atua com objetivos eleitorais e poderia ser enquadrada como uma social-democracia tardia, moderada e liberal, porém com maiores preocupações sociais. Tem à frente o PRD e seu candidato à presidência Lopez Obrador, que nas últimas eleições perdeu para Calderón por uma diferença de 1% dos votos. Seria a esquerda moderada, “responsável” e oficial. É apoiada, dentre outros, pelo Partido Comunista Mexicano.

 

A outra esquerda, não institucional e socialista, não participa de eleições e nem apóia candidatos. Tem o zapatismo como uma forte referência. É apoiada pelo EZLN, pelo Congresso Nacional Indígena (CNI), que representa a ala esquerda do indigenismo mexicano, por jovens desvinculados de partidos, como os anarco-zapatistas (apesar de o zapatismo não ser anarquista) e por pequenos partidos, como o Partido Comunista do México. Recusam-se a aceitar as diversas bolsas para os pobres que são distribuídas no México. Atualmente atuam em torno da “Outra Campanha”, proposta pelos zapatistas.

 

Sua principal debilidade seria a pouca influência no movimento sindical mexicano. A esquerda brasileira apresenta um quadro com proximidades e diferenças. Se no México temos duas posições, no Brasil teríamos três. Pela direita, temos uma “esquerda liberal”, com preocupações sociais e de mercado e muito hegemônica no atual contexto. É liderada pelo PT e apoiada pelo PSB e o PCdoB. Tem o apoio das mais importantes centrais sindicais, como a CUT, e da UNE. É fortemente institucionalizada e está no poder desde o início dos anos 2000. Ainda possui quadros da esquerda socialistas, mas são muito minoritários. Poderíamos, grosso modo, fazer um paralelo com o PRD e seu candidato Obrador.

 

Pela esquerda socialista, não temos uma esquerda radicalmente anti-institucional, como no México, nem, logicamente, um movimento como o zapatismo, mas temos dois campos. No primeiro, temos uma esquerda partidária, aguerrida e importante, mas com pouca base social e sindical. É o caso do PSOL, PSTU e do PCB. Fazem oposição ao lulismo pela esquerda e buscam construir uma “Frente de Esquerda”, apesar das dificuldades decorrentes das diferenças entre eles. Participam das eleições com candidaturas próprias.

 

Ainda no campo da esquerda socialista, temos uma segunda posição, hegemonizada pelo MST, pela Consulta Popular e pela Assembléia Popular (o MST participa de ambos). Esta última agrega importantes movimentos sociais e pastorais. Diferenciam-se da “Frente de Esquerda” pelo fato de, apesar de críticos, não fazerem oposição explícita ao lulismo e, eleitoralmente, defenderem o chamado “voto útil” nos candidatos petistas para derrotar os candidatos do PSDB. Analiso que são fundamentais, mas a maior fragilidade estaria no não rompimento explícito com o lulismo e o conseqüente apoio eleitoral, o que pode levar a confusões ideológicas para as bases.

 

Assim, temos dois quadros em que a esquerda se move de modos distintos e próximos. As realidades dos países apresentam diferenças, mas também muitas semelhanças. Assim, temos uma “esquerda”, em ambos os países, institucional e eleitoral, liberal e hegemônica e, pela esquerda socialista, temos diferenças nas ações táticas e estratégias. Ainda é difícil traçar um quadro, mas, com todas as dificuldades, a esquerda socialista se move em ambos os países.

 

Antonio Julio de Menezes Neto é sociólogo e professor na UFMG.

 

 

 

 

 

 

Recomendar
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates