topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

E tudo começou no carnaval...
Segunda, 21 de Março de 2011
Recomendar

 

A menina Inezita Barroso

 

Foi no dia 4 de março de 1925, um domingo de carnaval, quase segunda, no bairro da Barra Funda, na capital paulista, que nasceu Ignez Magdalena Aranha, hoje famosa no país como Inezita Barroso, na infância chamada de Zitinha

 

(...) Enquanto primos e primas brincavam com boizinhos e cavalos de verdade, Zitinha, com seus sete anos de idade, corria feito uma doida para ouvir os peões cantarem um monte de modas ao som de violas. Às vezes, ela chorava de emoção. E em vão ela pedia, rogava mesmo, que lhe ensinassem a tocar qualquer coisa, qualquer música, mas eles diziam de maneira imperativa que não podiam fazer isso. O motivo? Tocar viola, eles diziam, não era brincadeira; tampouco de menina. E nem de mulher. Mesmo assim, Zitinha não arredava pé e ficava ouvindo durante horas e horas as cantigas que eles cantavam e tocavam. Ouvi-los tocar, podia...

 

Trecho do livro infanto-juvenil "A Menina Inezita Barroso", que trata da vida e trajetória da paulistana Inezita Barroso, cantora, folclorista e apresentadora do programa ‘Viola Minha Viola’, há 30 anos no ar pela TV Cultura de São Paulo. livro_ameninainezita_gd.jpg

 

O livro do jornalista e estudioso da cultura popular Assis Ângelo é todo ilustrado com xilogravuras do consagrado, nacional e internacionalmente, artista plástico Ciro Fernandes. Nas 72 páginas do livro, Assis conta desde o nascimento de Inezita até o momento em que ela assiste a uma apresentação de Carmen Miranda no Rio de Janeiro e decide virar cantora, tão importante e famosa como a portuguesinha Carmen.

 

De maneira simples, natural, Assis Ângelo primeiro descreve a cidade de São Paulo das décadas de 1920 e 1930 para depois contar a história de Zitinha (Inezita Barroso), que no correr do tempo se tornaria uma das maiores estrelas da música popular brasileira. É um livro escrito para leitores de todas as idades, como ele diz: "Dos oito aos oitenta, para ser lido num fôlego só".

 

Quando criança, Inezita, a Zitinha, adorava ver o pai ouvir música num gramofone que fica à mostra na sala de visitas. Ele – e ela – ouvia Noel Rosa, Chico Alves, Paraguassu, Gastão Formenti e mais um monte de grandes artistas, incluindo Vicente Celestino cantando Noite Cheia de Estrelas... Ela gostava de ouvir todas as modas de viola de seu tempo, cantadas por Torres & Florêncio, Zico Dias & Sorocabinha e Mariano & Caçula. E se emocionava especialmente com a moda Jorginho do Sertão...

 

A história começa em pleno domingo de carnaval e segue pela vida de Zitinha até quando viaja de férias ao Rio de Janeiro, aos 15 anos, quando Carmen Miranda se apresenta no extinto Cassino Atlântico, ao lado do ator Grande Otelo.

 

E foi assim, conta Assis Ângelo, "que surgiu uma das maiores estrelas da música popular brasileira: Inezita Barroso, que até hoje encontra no folclore e no cantar do povo a alegria da sua vida". No final do livro, lê-se um depoimento de Inezita objetivo e de certo modo emocionado.

 

Nota de redação: A primeira apresentação profissional de Inezita Barroso aconteceu no Teatro Santa Isabel, em Recife, PE. Seu disco de estréia, um 78 RPM, foi lançado em 1951, com as canções Funeral de um Rei Nagô, de Hekel Tavares e Murilo Araujo; e Curupira, de Waldemar Henrique.

 

Ficha Técnica

 

Título: A menina Inezita Barroso

Autor: Assis Ângelo

Ilustrador: Ciro Fernandes

Editora: Cortez Editora

Páginas: 72

Preço de referência: R$ 32,00

 

Recomendar
Última atualização em Segunda, 25 de Novembro de 2013
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates