Haiti e Japão

0
0
0
s2sdefault

 

A tragédia japonesa – embora ainda longe de ser avaliada em todas as suas dimensões – põe em crise algumas afirmações extremamente arrogantes do universo da ciência e da técnica, particularmente aquelas postas a serviços de setores poderosos no mundo de hoje.

 

Em primeiro, quando aconteceu o terremoto no Haiti, houve unanimidade em dizer que "se fosse no Japão praticamente não teria conseqüências". Claro, a tecnologia japonesa evitou o que poderia ser muito pior. Entretanto, os mortos já contados, os milhares de desaparecidos ainda não devidamente contabilizados, mostram que, diante da fúria da Terra em transe, nenhuma tecnologia é tão poderosa que possa evitar todas as tragédias.

 

Segundo, com a retomada do programa nuclear brasileiro, começando aqui pelo São Francisco, o argumento posto na praça é que "hoje existe uma segurança que não havia no tempo de Chernobyl". Mais uma vez a assertiva não se sustenta. A Terra em fúria é capaz de pôr em risco qualquer pretensa segurança nuclear.

 

Ainda mais, como os resíduos têm efeitos ativos por cerca de mil anos, ninguém sabe como será nosso planeta durante esse milênio. O certo é que será muito diferente do que é hoje. Portanto, mais que a arrogância da técnica e da ciência, espera-se uma boa dose de bom senso e responsabilidade com as gerações atuais e futuras.

 

Finalmente, existe uma pergunta crucial: há alguma relação entre o aquecimento global e o aumento dos fenômenos sísmicos?

 

Nenhum cientista põe a mão no fogo para dizer que sim. Entretanto, há várias insinuações de que pode haver. No encontro para debater catástrofes no Brasil, na Câmara dos Deputados, uma professora da UNB insinuou que poderia haver uma correlação, mas não se aprofundou.

 

Fiz essa pergunta numa lista latinoamericana de pessoas envolvidas com o debate sobre mudanças climáticas. Um climatologista da Universidade de Buenos Aires, Eduardo Agosta, assim respondeu:

 

"Em geral a teoria diz assim: o aquecimento global, entre outras coisas, gera um aumento do nível do mar (por expansão e/ou derretimento do gelo), o qual, por sua vez, gera mudanças na distribuição da massa superficial da Terra, a qual, por sua vez, muda a velocidade angular da Terra (variações na velocidade de rotação da Terra).

 

Estas mudanças de velocidade de rotação podem alterar o movimento do magma terrestre, gerando variações na pressão interna sobre as placas tectônicas e, portanto, alterações na atividade sísmica da Terra. Contudo, se deveria estudar cada uma destas fases, antes de asseverar a relação direta entre Aquecimento Global e terremotos."

 

Portanto, guardadas todas as devidas restrições, é bom pôr a barba de molho.

 

Roberto Malvezzi é assessor da CPT (Comissão Pastoral da Terra).

 

{moscomment}

Comentários   

0 #3 uma boa argumentaçãojc.pompeu 16-03-2011 06:09
uma boa argumentação contra a nossa ilusão antropocêntrica...
emissário dos xamãs frente aos PACs da vida...
“A Natureza é objetiva e não projetiva; porém, a ação humana é muito mais
uma atividade projetiva consciente que objetiva”.
Jacques Monod, biólogo molecular e pensador francês, Nobel de 1965.
Quem será que está no controle: a Natureza objetiva de 20 bilhões de anos… na existência de rios, vales, florestas, montanhas, continentes, ilhas, nuvens, oceanos e mares, rochedos e geleiras, planícies, planaltos, ventos, chuvas, climas, desertos, pedras, estrelas e galáxias, energias e luzes, seres vivos, sociedades, inteligências, consciências... e que pelo livre jogo de forças físicas e químicas universais a que não podemos atribuir, com certeza, nenhum projeto ou lei geral que seja, divino ou cósmico...
Ou os PACs e os projetos de uma vida... os projetos de mercado&consumo&ganância; os projetos de governança dos impérios globais de nosso efêmero momentum de ilusão antropocêntrica frente à Natureza objetiva "sem causas finais, nem causas eficientes, senão, o jogo do acaso e da necessidade?"
jc.pompeu, emissário dos xamãs, abril 2010
Citar
0 #2 aumento do nivel do maredmundo 15-03-2011 16:29
roberto, sou seu admirador pelo que escreve, desmistificando a visão capitalista, de tudo que ocorre com o meio ambiente. entretanto quero colocar minha colher nesse assunto, para dizer que a quantidade de água do planeta não aumenta ou diminui. o derretimento do gelo pode resultar em maior quantidade líquida da água, mas ela já estava lá em forma sólida antes de derreter. não sou nenhum expert no assunto mas entendo que a massa da terra, superficial ou não, enquanto volume é a mesma, enquanto o centro estiver quente. se esfriar o volume diminui. abraços.
Citar
0 #1 Haiti .. Japãoguimarães s. v. 15-03-2011 13:48
mais uma vez foste claro, conciso e correto! companheiro Gogó, e meteste o dedo na ferida da consciência dos cientistas e, por via de consequencia, da midia GG e nao tao GG assim, e do povão quesabe e pode ler, ver e ouvir. sou solidário vc bem sabe. o veterano Sérgio Guimarães dos idos de 1981/1987.
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados