A quem interessa?

0
0
0
s2sdefault

 

Nas investigações policiais, o processo mais comum para deslindar crimes consiste em descobrir o motivo, ou os motivos. Em outras palavras, simplesmente começar pela pergunta "a quem interessa?".

Aliás, esta parece ser a pergunta que o povão está se fazendo diante da denúncia da campanha Serra sobre o suposto envolvimento da candidata Dilma na obtenção de dados sigilosos da filha e de correligionários do tucano-pefelista.

 

Como uma candidata, que está mais de 20 pontos na frente de seu concorrente, e periga ganhar no primeiro turno, pode ter interesse numa operação desse tipo? E, para fazer o quê? Numa situação de tal vantagem, somente alguém totalmente estúpido poderia cometer um erro tão grande. Portanto, não é preciso ser um luminar de inteligência para chegar à conclusão de que a candidata Dilma não tem interesse ou motivo algum para cometer um crime como esse.

 

Por outro lado, o mesmo não se pode dizer da campanha do candidato Serra. Não deixa de ser suspeito que sua denúncia tenha aparecido logo após as pesquisas de opinião haverem indicado que as preferências eleitorais em torno de seu nome estavam em queda livre, enquanto a candidata petista apresentava uma tendência de ascensão.

 

Também não deixa de ser suspeito que o próprio candidato tucano-pefelista tenha se apressado a dizer, com a certeza de quem conhece o fio da meada, que o PT e a ex-ministra Dilma eram os responsáveis pela suposta quebra do sigilo de sua filha. No jargão popular, isso se parece muito com a história do ladrão que, para escapar da perseguição, se torna a principal voz nos gritos de "pega ladrão".

 

O histórico do candidato Serra, nesses tipos de armação, também é público e notório. O que parece lhe haver rendido inimigos históricos, como o ex-presidente Sarney e sua filha Roseana, envolvidos num rumoroso caso policial no Maranhão, cuja origem teima em apontar para o ex-governador de São Paulo. Algo idêntico parece haver ocorrido na disputa entre os pré-candidatos tucanos ao governo de São Paulo, em 2006, na qual o pré-candidato Alckmin saiu razoavelmente chamuscado por denúncias anônimas.

 

A descoberta de que a fraude na assinatura da petição dos dados da filha do candidato Serra à Receita Federal (até agora não se sabe se os dados foram realmente obtidos) foi cometida por um contador de Mauá, filiado ao PT, em 2003, permanece nebulosa. Ela parece tanto com descoberta das "provas" plantadas pelos órgãos repressivos da ditadura militar para incriminar seus prisioneiros quanto com a "compra" de serviços de pessoas dispostas a cometer vilanias por algum dinheiro. Na história das eleições brasileiras, jamais se deve esquecer o caso Lurian como um paradigma nesse comércio de ações vis.

 

Na situação atual, para piorar, a evidência do desespero diante do espaço aberto pela candidatura Dilma sobre seu concorrente aponta este último como único interessado. Apenas ele tem motivos para criar um fato político desse tipo, mesmo tenebroso, para reverter o processo. Nessas condições, se a polícia fizer um bom perfil dos envolvidos e dos interesses de cada um, ela provavelmente deslindará a trama com certa rapidez.

 

Por outro lado, essa ação também traz à luz o que realmente está em disputa. E acaba com as ilusões daqueles que achavam possível realizar uma disputa eleitoral civilizada e não se prepararam para uma ocasião como essa.

 

A vitória do PT e Dilma, mesmo numa coalizão que inclui agrupamentos políticos de direita, representará um acerto de contas fatal para qualquer soerguimento da ideologia e das políticas neoliberais. Elas até continuarão existindo, mas sua expressão política como direita reacionária se verá obrigada a uma reestruturação para a qual não se preparou, abrindo chances para um avanço ainda maior das políticas democráticas e populares do governo.

 

O impacto da derrota da direita reacionária, cuja expressão é a coalizão PSDB-PFL (DEM é só para quem não sabe do engano), também será fatal para aqueles setores da esquerda que se aliaram a essa direita, formal ou informalmente, mesmo fingindo supostamente ter saído pela esquerda contra o governo Lula. Não por acaso a candidata Marina se apressou, afoitamente, a responsabilizar o governo pela fraude na assinatura da filha do candidato tucano-pefelista. Ao invés de uma candidata independente, pareceu, cada vez mais, uma voz ou um braço auxiliar do tucanato, numa trama suja da qual não precisava participar.

 

Wladimir Pomar é escritor e analista político.

 

{moscomment}

Comentários   

0 #13 A quem interessaxarada 14-09-2010 08:36
Quem se lembra da disputa partidária dentro da cúpula PSDB, Serra x Aécio a presidênica ?
Pode ser o PT...estranho, mas tudo pode. Pode ser disputa partidária, também pode, tudo pode. Pode ser disputa MG x SP, PSDB, também pode ...
Citar
0 #12 direita reacionariaMagrao 13-09-2010 14:55
......Sr. Pomar, o seu partido é aliado de banqueiros, latifundiarios, grandes empreiteiros, multinacionais, só pra citar a NATA DO PODER, então antes de criticar a direita reacionária poderia esclarecer onde voces se colocam no espectro politico?
Citar
0 #11 Desesperoinacio 10-09-2010 14:58
Se o sigilo foi quebrado quando o Serra ainda liderava nas pesquisas, então porque esses dados não foram divulgados em nenhuma parte?
Qual seria o interesse? É algo no mínimo estranho.
Agora, que espécie de político é esse que na mesma hora sai atacando ao adversário? Alguém com o mínimo de decência diria algo do tipo "espero que os fatos sejam apurados" antes de sair atacando.
Para quem acompanha a história deste país, esse fato não foi nada surpreendente.
Citar
0 #10 TUDO É POSSIVEL SE DESEJAR MUITO!!!ZECA PEDRA 10-09-2010 14:42
pensar num senso comum dizendo por ai que o governo lula é o melhor do mundo é de fato perde a razão do ridiculo, todos nós militantes e progressistas sabemos da enorme dificuldades que e governar o
Brasil; agora afirma que tudo isso e armação ai não dá!!!! tambem pensar que todos são inimigos só porque estão desconfiando dos fatos!!!!! policia federal na corrupção e espionagem!! pelo direito ao segundo turno!!!!
Citar
0 #9 A quem interessa?Francisco de Assis N. de Castr 10-09-2010 08:57
Existe um ditado popular que diz: quem disso cuida, disso usa. Acreditar nas versões tucano-demonistas é ingenuidade ou tendenciosidade grosseira. Dilma ainda não era candidata, nem tinha a certeza que seria escolhida pelo PT, embora fosse a preferida de Lula. Na nossa história certos setores de esquerda não tem cerimônia em se alinhar com a direita para desgastar governos de caráter progressista, sob o argumento capenga que tais governos contribuem para a despolitização e desmobilização das massas. Tais luminares só não dizem se consultaram as massas ignaras sobre esse tipo de análise e vão se mantendo descolados da realidade do país.
Citar
0 #8 Não acredito!!!!!!!!Naaman Sousa de Figueiredo 09-09-2010 19:34
Será que tem alguém que realmente acredita que a Dilma ultrapassou o Serra nas pesquisas porque quebraram o sigilo fiscal da filha dele?
Deve fazer parte da turma que acredita que se o Brasil está tão bem hoje em dia é porque o fhc deixou tudo acertado pro Lula não precisar fazer absolutamente nada nos 8 anos de governo.
E também acredita na existência do Papai Noel e do Curupira.
Citar
0 #7 Quebra de sigiloHélio Querino Jost 09-09-2010 18:36
Nem Serra nem Dilma estavam na frente das pesquisas porque sequer eram candidatos. A insistência de Serra, -que não fala outra coisa- é que deu efeito contrário. A quebra de sigilo houve, mas como os prejudicados souberam? Alguém do PT contou prá eles? - Alguém viu os dados sigilosos? - Onde está o USO desses dados? - Cadê a comprovação de que esse fato resultou em vantagem prá Dilma? Se o Serra insistir nisso vai ficar em terceiro lugar.A baixaria é tanta que o Correio tem que falar sim. O que Serra (PSDB e DEM) fazem, afinal, ofende a CIDADANIA. Se quem acessou os dados, deles fez mau uso, polícia e punição nele.
Citar
0 #6 CapciosoNayala Maia 09-09-2010 13:34
Jornalista, só lhe lembrando. Esses sigilos começaram a ser violados em 2009, quando Seera estava ainda na frente das pesquisas. Então , para assegurar, eles começaram a fazer o serviço de espionagem com antecedência, caso se precisasse. Como não precisou pois Dilma está na frente, o imbroglio já estava feito e veio agora à tona. Entendeu?
Citar
0 #5 A Quem Interessar PossaRaymundo Araujo Filho 09-09-2010 12:48
Ante ao enfadonho "embromation" do WP, ofereço a leitura de algo que, talvez, possa interessar alguns. O Artigo, escrito em 2009 chama-se Igres de Papel, e ainda tem 2 links. Tudo contra a mesmice e o marasmo oficial.
O PT adere à bandidagem, sob a justificativa dos intelectuais de plantão. Já vi esdte filme antes. Depois reclamam...

O artigo vai no link http://titaferreira.multiply.com/market/item/1259
Citar
0 #4 vale tudochico grande 09-09-2010 12:07
aqui no Pará o palanque do PT tem de mensaleiro a pedofilo..... por isso temos que ter o segundo turno no Brasil!!!!!!!!!!! pra ver quem é quem!!!
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados