Dois projetos?

0
0
0
s2sdefault

 

A esquerda francamente direitosa representada pelo PT, PSB e PC do B esforça-se por fazer crer que no pleito eleitoral que se avizinha, outubro de 2010, estarão em disputa dois projetos. Um projeto de direita e outro projeto indevidamente chamado de esquerda.

Isso é uma bela mentira, se é que a mentira pode ser bela, pois desde o lançamento do Plano Real no governo Itamar foi instalada uma política econômica e financeira que sobreviveu a todos os governos e se propõe a sobreviver através das candidaturas postas: José Serra, Dilma Rousseff e Marina Silva.

 

É bom esclarecer que Lula, antes de ser eleito, deixou bem claro através de um documento chamado de CARTA AO POVO BRASILEIRO que respeitaria a política econômica de FHC. Com isso ele procurava tranqüilizar os grandes industriais, o agronegócio e especialmente os banqueiros. Prometeu e cumpriu zelosamente. Manteve os pilares da política econômica lançada desde o governo Itamar Franco.

 

Dizer que o governo de Luiz Inácio Lula da Silva representou um avanço é cometer uma idiotice. O Brasil atual ocupa vergonhosamente o nono lugar entre os países de maior nível de desigualdade social na América Latina. A realidade sócio-econômica que vivemos repousa no fato de existirem, fundamentalmente, duas classes sociais com interesses antagônicos e inconciliáveis: a burguesia e os trabalhadores.

É impossível servir a dois senhores. Na verdade, Lula serviu e serve muito bem ao grande capital, enquanto engana o povo com medidas populistas, financiando a miséria através do Bolsa Família que bem serve ao capitalismo, pois evita tensões sociais enquanto pratica uma política de engessamento dos movimentos populares às custas do erário, mantendo as centrais sindicais e centrais estudantis no mais profundo imobilismo.

 

Não foi à toa que Barack Obama definiu Lula como "o cara". Não foi sem razão que os representantes mundiais do grande capital resolveram agraciar Lula como o político do ano em 2009. Tudo isso é um reconhecimento de que o metalúrgico Lula se tornou um precioso quadro a serviço do capitalismo, assim como o seu colega metalúrgico polonês, Lech Valessa, fez em seu país.

 

Gilvan Rocha é presidente do Centro de Atividades e Estudos Políticos – CAEP.

Blog: http://www.gilvanrocha.blogspot.com/

 

{moscomment}

Comentários   

0 #2 Dois Projetos?Guilherme Hartung 06-08-2010 07:48
Só gostaria de fazer uma pergunta.

Onde anda o Lula que sirgiu no ABC paulista nos anos finais da ditadura?
O que vemos hoje, é um Lula pefeitamente afinado com o capitalismo selvagem.
Quem te viu e quem te te vê!
Citar
0 #1 Ezio José 05-08-2010 09:12
Comparo as situações político-econômica efetivada em nosso país como aquelas mães que botam os filhos no mundo para os outros criarem e educar.
Realmente tivemos planos bons e de boas intenções para o crescimento econômico do Brasil. Planos esses aprovados à décadas, porém, por que nunca deram frutos? Por que nunca souberam colocá-los em prática? Do Itamar ao Lula é bastante tempo e tempo que consumiu vidas, sonhos e objetivos. No Brasil, quase não precisamos criar mais nada. Está tudo pronto. Pronto no papel. Estiveram bolsas issso e bolsa aquilos e etc. Mas cadê um bom administrador para colocá-los em prática?
Na realidade, de teorias estamos cheios. Falar e escrever é muito fácil. Difícil é praticar e isso acontece em qualquer grupo social desde as igrejas, passando pelas pequenas empresas, até as esferas públicas também.
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados