Eu sou uruguaio

 

Torci, obviamente, pelo Brasil contra a Holanda. Mas, torci também pela Argentina contra a Alemanha e pelo Paraguai contra a Espanha. Acho totalmente irracional, alguns brasileiros torcerem por qualquer país que vá enfrentar a Argentina. Os argentinos são nossos irmãos e são muito mais parecidos conosco do que muitos europeus. Precisamos acabar com esta rixa alimentada por grupos radicais dos dois lados. Apesar de eles não terem tido influência da cultura negra, nem da indígena, têm uma identidade constituída de forma similar à nossa.

 

Ambos os países foram colônias de países europeus católicos, durante mais de trezentos anos, e eram colônias destinadas à exploração pelos colonizadores, que nunca pensaram em estabelecer na América novos reinos, que passariam a compor Reinos Unidos junto com os países europeus. O caso brasileiro, em que a corte portuguesa, fugindo de Napoleão, aqui se estabeleceu, é uma exceção imposta por um acidente histórico. A lei que era válida nas Colônias não era a mesma do Reinado ou Império europeus. Pulando centenas de anos, a onda neoliberal dos anos 90 varreu o continente sul-americano por igual, então, na dor da exploração, somos vítimas idênticas. É impossível, portanto, não ser solidário a qualquer país sul-americano!

 

Entretanto, confesso que fiquei um pouco em dúvida para quem torcer no jogo Uruguai versus Gana, pois o Uruguai é nosso, mas a África conseguiu ser mais sofredora que a América do Sul. Trata-se de um continente em que seu povo foi seqüestrado, transferido para bem longe, acorrentado e surrado para oferecer sua força física. Não se pode entregar a taça a eles gratuitamente, pois é necessário possuir o mérito para recebê-la, mas ninguém irá me proibir de torcer por eles.

 

Assim, meu critério de escolha para que um país seja aquinhoado com meu desejo de sucesso, meus gritos de incentivo e minhas mandingas e ansiedades é simples: em primeiro lugar, o Brasil; em segundo, os países do Mercosul; em terceiro, os demais países da América Latina; em quarto, os países da África; em quinto, os demais países subdesenvolvidos; e em último lugar, os países desenvolvidos. Se dois times de países do berço ocidental da exploração econômica humana, ou seja, dois times europeus, estiverem jogando, posso reconhecer até um futebol de excelente nível, mas nenhum ganhará minha torcida. Só torcerei por uma seleção européia no dia em que os alienígenas baixarem na Terra, quiserem jogar um campeonato galáctico e a seleção de um país europeu estiver representando a raça humana.

 

Vejo no futebol um caminho de superação da exploração a que fomos submetidos durante séculos, de início pela força e, hoje, pela sutil dominação cultural, com apoio de traidores pertencentes aos povos dominados. O Uruguai, neste intervalo de quatro dias entre as quartas e a semifinal, representa a esperança de todo um continente. Vibrarei por sua vitória como vibrei em todas as cinco copas ganhadas pelo Brasil e chorarei, se por acaso for derrotado, como chorei em todos fracassos da seleção do meu país.

 

Pode não valer grande coisa, mas a seleção do Uruguai é, no momento, meu instrumento de libertação. Até os próximos jogos, e tomara que até o fim da Copa, serei, com muito orgulho, uruguaio.

 

Paulo Metri é conselheiro da Federação Brasileira de Associações de Engenheiros

 

{moscomment}

Comentários   

0 #4 RE: Eu sou uruguaioRicardo 14-01-2014 18:38
Concordo com o Sidney, e inclusive o idioma quichua também é oficial (Assim como o guarani em Corrientes) em algumas provincias do Norte argentino. A Argentina eu diria mesmo que tem mais influncia indigena em sua cultura do que o Brasil.
Citar
0 #3 Eu sou UruguaioValdir 09-07-2010 14:34
E eu sou BRASILEIRO, torço para todos os times Sulamericanos, execessão da ARGENTINA. Você nunca frequentou as praias (do Sul) nas tempoadas de verão. Nunca rodou pelas BR 282 ou BR 285. E Nunca rodou pela Argentina. Nunca ouviu comentários de Maradona. Aliás nunca ouviu um Argentino pedir desculpas. É a mão de Deus...
Citar
0 #2 Não é isso!venceslau souza 09-07-2010 09:59
Belo artigo, Paulo. Mas, nosso anti-argentinismo
está longe de se tratar de mera "rixa alimentada por grupos radicais dos dois lados". O buraco é mais embaixo!
Citar
0 #1 culturasidnei 08-07-2010 16:29
Concordo com o artigo e tenho um procedimento semelhante. Porém é necessário ressaltar que a Argentina, sim, possui uma importante influencia cultural indígena, em particular as provincias da chamada mesopotamia, misiones, corrientes e entre-rios, em que o aporte guarani é fortissimo, haja visto corrientes, onde o guarani é co-oficial e se sente nas ruas a vibrante cultura indígena, também posde-se dizer o mesmo de formosa, chaco, etc. Ao noroeste Jujuy, salta, etc de influência quechua..., e assim vai.....
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados