Um discurso ambientalista

 

Fui convidado para participar da apresentação da companheira Soraya Tupinambá, provável candidata a governadora do estado do Ceará. Soraya é uma militante, guerreira de várias batalhas, porém ateve-se a um discurso essencialmente ambientalista.

 

Chegou a dizer que a proposta de sua candidatura seria a de promover o desenvolvimento sustentável. Tive o ímpeto de perguntar a companheira se seria exeqüível um projeto de desenvolvimento sustentável no âmbito do capitalismo.

 

É evidente que a bandeira de defesa do meio ambiente não somente é pertinente como essencialmente vital. Mas não é de bom alvitre desvincular a luta pela preservação da natureza, ou melhor, pela preservação da vida, se não associamos diretamente a luta contra o capitalismo, deixando bastante clara a dependência íntima entre essas duas bandeiras.

 

Pelo que eu conheço da companheira, a sua candidatura se pretende fundamentalmente a fazer a denúncia do capitalismo, incluindo nela os nossos protestos aos baixos salários, ao desemprego, à violência, à corrupção e tantas mazelas próprias do sistema sócio-econômico vigente.

 

Se no passado o capitalismo foi progressista, hoje ele se exauriu e se transformou em uma monstruosidade, e o planeta já não suporta a sua sobrevivência. Também as massas dos despossuídos não suportam mais a vigência desse sistema.

 

Tudo pela preservação do meio ambiente. Mas, quem o agride? Quem o depreda? Quem destrói o nosso planeta? E a resposta inequívoca e clara deve ser uma só: o capitalismo.

 

Eis a questão fundamental. Eis o que deve ser dito ao povo e a campanha eleitoral poderá ser uma ótima oportunidade de conscientização das massas populares. Sem esse propósito não faria sentido que nós, socialistas, participássemos desse processo.

 

Feitas essas considerações, aproveitamos para apelar não só a Soraya, como a todos os candidatos de perfil anticapitalista, para que viabilizem o discurso ‘anti esse sistema’ e proclamem a única solução, a única saída que se coloca para a humanidade diante da ameaça de sua própria destruição: o socialismo.

 

Gilvan Rocha

CAEP- Centro de Atividades e Estudos Políticos

www.gilvanrocha.blogspot.com/

 

{moscomment}

Comentários   

0 #2 um discurso ambiento-anticapitalistaguimarães s. v. 26-05-2010 02:37
concordo com você, companheiro Gilvan, em gênero, número e grau. e não é só a esquerda que vem se furtando ao discurso anticapitalista. grandes figuras de proa de nossa intelectualidade, Boff e frei Betto entre outros, vêm omitindo a palavra "capitalismo" em seus discursos. talvez por uma questão tática de não "agredir" os seus leitores. os textos, na realidade, estão prenhe de insinuações anticapitalistas, mas o combate frontal é deixado de lado. está certo que assim ajam, mas, isto não pode ser concedido à esquerda. ela não precisa evitar "afrontar" seus leitores e ouvintevidentes com o "palavrão" capitalismo. ao reverso, é dever dela travar às claras o combate contra o capitalismo. aceite pois o nosso abraço de parabéns. cá de meu cantinho, mantenho fogo cerrado contra a hidra de sete cabeças, ou serão cem, do cruel, desumano e perverso sistema de organização econômica chamado capitalismo e que hoje é também um sistema de organização política, social e cultural do mundo.
abração psolcomunista.
Citar
0 #1 capital e meio ambienteeder 17-05-2010 09:01
parabens pelo comentário. compartilho da mesma opinião, não saída ambientalmente sustenrtável neste sintema, o modo de produção capitalista é essecialmente destrutivo, essa caracteristica intrinsica não ´so distroi o meio ambiente como a a condição humana, não é atoa que a cada dia vemos nos meio de comunicação de massas os crimes mais absurdos, isso é o traço mais nitido de uma sociedade doente, uma sociedade que ja descobriu a cura pra tantas doenças, que é tão ou mais retrogata que as sociedades passadas onde a racionalidade não era tão desenvolvida, mas no capitalismo a racionalidade atingui seu ápice, chegou as masi fabulosas descobertas, decobriu que tem que preservar o meio ambiente, afinal quem nunca a viu uma propaganda da Vale( que não é mais do RIO DOCE motivando a preservação ambiental. HA quem diga que ela está finaciando um programa de recuperação de florestas nativas numa fazenda em Minas do nosso bom Sebastião Salgado, talvez seja o pagamento de seus onorarios pelas propagandas realizadas por conta do plebiscito da vale. enfim não é objetivo fazer análise aqui é ´s um comentário, mas não da pra deixar de dizer que racionalidade capitalista é ignorante, com sua racionalidade parcial como nos diz Mészáros, pois a racionalidade do capital é o lucro, por isso se aprpriam até do discurso ambiental, mas o que me admira é o fato de a esquerda incampar um discursinho ambietalista ridiculo, já que deixam de lado o combate ao capítal, meio ambiente e capitalismo são antagonicos, é como o trabalho é como proletários e burgueses ou os derrotamos, ou seremos aniquilasdos por eles.
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados