Homossexualidade

0
0
0
s2sdefault

 

Eis uma questão sobre a qual uma discussão esclarecedora é difícil de se realizar, tantos são os preconceitos e a passionalidade. Fala-se, com toda pertinência, nos direitos dos homossexuais. Pelo que nos parece, tais direitos encerram-se em um único: o direito de sê-lo, sem restrição, sem repressão, sem discriminação. Esse seria o único direito a ser conferido aos homossexuais.

 

Deixemos claro que a homossexualidade não é uma questão de classe ou camada social. Ele permeia todas as classes e segmentos sociais. Está presente entre os miseráveis aos mais ricos. Sendo assim, não se pode conferir ao movimento homossexual um caráter intrinsecamente socialista ou reacionário. Essas opções políticas dependem unicamente dos indivíduos, do grau de suas informações e dos seus diferentes interesses.

 

Não é verdade que a burguesia seja, por si, homofóbica. Aliás, ela tem um único objetivo: auferir lucros e administrar sua permanência no poder. Para bem servir-lhe, pouco importa à burguesia se o indivíduo é homem, mulher, negro, homossexual ou operário. Existem casos em que o lenhador (Abraham Lincoln) e o metalúrgico (Luiz Inácio Lula da Silva), com a devida presteza e talento bem serviram aos interesses do grande capital.

 

Em última instância, portanto, os chamados preconceitos de conduta sexual, raça, gênero e idade têm valor menor do que se presume.

 

E, falando em preconceitos, descuramos dos maiores como o cultural e, mais ainda, o social, e eles estão presentes na sociedade em geral e, em algumas vezes com mais intensidade, entre certos grupos de homossexuais que abominam os incultos, os ditos "pés rachados", "os baixa-renda", enquanto reverenciam a elite, o chique, o charmoso, o classudo.

 

Trazer os movimentos homossexuais para a causa anticapitalista terá que levar em conta se são eles trabalhadores, excluídos, classe média ou se são abonados burgueses, naturalmente conservadores. Caso contrário, estaremos atropelando o caráter de classe da luta socialista.

 

Gilvan Rocha é Presidente do Centro de Atividades e Estudos Políticos (CAEP).

Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

{moscomment}

Comentários   

0 #11 Luiz MottAugusto Patrini Menna Barreto 31-07-2009 12:35
o professor Luiz Mott do departamento de História da UFBA afirmou recentemente em entrevistas à revista Caros Amigos:
"Infelizmente. As igrejas cristãs – católicas e protestantes, sobretudo as neopentecostais – tem as mãos sujas de sangue. Através da pregação homofóbica, intolerante, preconceituosa que pastores e padres fazem nos cultos, eles fornecem argumentos para homofóbicos que matam os homossexuais. Há a exceção do candomblé e de uma ala do espiritismo, que têm sido mais simpatizantes aos direitos humanos. As igrejas têm que se modernizar e acompanhar o que acontece Europa e nos Estados Unidos, onde bispos são assumidamente gays, onde há até casamentos abençoados por denominações religiosas. Essas igrejas fundamentalistas cristãs do Brasil agem como se fossem muçulmanas, que são as mais intolerantes com os homossexuais no mundo inteiro."
Citar
0 #10 Entre o cor de rosa e o vermelho sangue”Augusto Patrini Menna Barreto 31-07-2009 12:05
Entre o cor de rosa e o vermelho sangue

Fundador do Grupo Gay da Bahia, Luiz Mott critica os altos índices de homofobia no país da maior parada gay do mundo

Por Tatiana Merlino

O Brasil é o país onde mais se mata homossexuais. Em 2008, foram registrados 190 assassinatos, um a cada dois dias. Os números superam as estatísticas de 2007, quando houve 122 homicídios dessa natureza. Os dados, apresentados pela pesquisa do Grupo Gay da Bahia, indicam que o Brasil é o campeão mundial em crimes de homofobia, seguido pelo México – que apresenta média de 35 crimes por ano – e Estados Unidos – com 25.

As estatísticas são no mínimo estranhas para um país que há dez anos sedia a maior parada gay do mundo. Em sua ultima edição, a manifestação realizada anualmente em São Paulo reuniu cerca de três milhões de pessoas.

Para o antropólogo Luiz Mott, fundador do Grupo Gay da Bahia, entidade mais antiga de defesa dos direitos dos homossexuais no país, “apesar do Brasil proclamar através de suas lideranças que teve a primeira conferencia GLBT do globo e o primeiro presidente a apresentar um programa nacional para os gays, estamos na rabeira de outros países que possuem menos organização em termos de parada”.

Para quem quiser ler e se informar um pouco antes de escrever asneiras: http://carosamigos.terra.com.br/index_site.php?pag=revista&id=128&iditens=216

Pergunto-me se em breve os leitores deste jornal defenderão campos de concentração para gays por eles não estarem de acordo com a bíblia ou o que eles consideram o certo.

Os psicanálistas já cansaram de explicar que preconceito contra os GLBTs trata-se na verdade de desejo gay reprimido. Quem não reprime seus desejos não se incomoda em ver dois homens se beijando. Talvez seja justamente por isso que os padres da igreja catôlica sejam notórios por sua homofobia.
Citar
0 #9 Diante de fundamentalistas religiosos e Augusto Patrini Menna Barreto 31-07-2009 11:50
Diante de fundamentalistas religiosos e homofóbicos que relacionam homossexualidade x AIDS x promiscuidade x pecado - o melhor é se calar. Quem o faz, está apenas imerso na IGNORÂNCIA - A CIÊNCIA E A POLÍTICA provam que os fatos e as verdades não estão com eles.

Agora me espanta muito do Correio da CIDADANIA publicar esse tipo de comentário reacionário e preconceituoso.

Lembro mais uma vez, para quem não sabe que o Estado brasileiro é legalmente Laico - ou seja não tem religião - então nada mais justo do que reconhecer o direito de todos de não terem seus direitos negados (29 no caso da comunidade GLBT) ou serem agredidos ou discriminados.

O fato de eu achar que a idéia de DEUS seja apenas um delírio de gente ignorante não me dá direito de discriminar ninguém, e o fato que eu não creio em jesus, a bíblia, ou outros livros de mitologias acropofas não me dá o direito de defender a proibição destes livros ou cultos.

Existêm duas formas de discriminação: a ativa e a passiva. Qual delas vocesc escolhem?
Citar
0 #8 Livre ArbítrioFelipe Sá 31-07-2009 05:43
A mente humana, por ser limitada, não consegue entender o quão maravilhoso é a comunhão com o seu criador, sendo necessário, segundo o ensinamento de Jesus, um renascimento individual para restabelecer algo outrora perdido.
Quando há o verdadeiro renascimento, o ser humano começa a enxergar com olhos espirituais coisas que outras pessoas não enxergam, por serem cegas.
O homossexualismo é uma realidade que existirá enquanto o homem não enxergar a sua situação como um ser que foi feito a imagem e semelhança do seu criador, ou seja, possuidor de uma amor inefável por todos os demais seres humanos e por tudo o que foi criado.
A falta deste entendimento leva o homem a cometer torpezas e atrocidades contra si mesmo e contra o planeta, o que explica a atual situação caótica em que vive a humanidade, correndo até o risco de ver a destruição do próprio planeta onde vive.
Sem essa consciência, ou seja, desta inteligência divina, o homem está fadado a se auto-destruir, conforme já está escrito e previsto em profecia.
\\\\\\\"Porque se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá terremotos em diversos lugares, e haverá fomes e tribulações. Estas coisas são os princípios das dores.\\\\\\\"
Eu sempre digo, e se digo é porque acredito, que as coisas vão piorar e muito, pois a humanidade sofrerá em si mesmo as consequências da sua própria ingnorância.
A homofobia, juridicamente falando, não existe, pois, pelo princípio constitucional da anterioridade da lei penal, \\\\\\\"não há crime, sem lei anterior que o defina...\\\\\\\"
Sociologicamente falando, normalmente, a maioria do preconceito já se inicia na própria vítima, ou seja, por se sentir inferior aos demais acaba reagindo até agressivamente.
Enfim, declaro, em defesa, que não sou preconceituoso nem descrimino os homossexuias, pois o meu Deus me ensinou a não fazer acepções de pessoas
e amar (amor ágape) todos os seres humanos.
Deus deu o livre arbítrio para cada um escolher o que quiser. Ninguém poderá impedir se uma pessoa decidir ser homossexual ou heterossexual. Neste mesmo raciocínio, ninguém também pode impor a outra pessoa a aceitação do homossexualismo como normal. Tentam nos impor outros assuntos como normal, como o adultério, a pedofilia, o uso de drogas, denre outras coisas.
Cada um terá a sua opinião baseada na sua crença e no exercício do seu livre arbítrio (direito este garantido, inclusive, na Constituição Federal). Por isso, também posso expressar a minha.
Que Deus abençoe a todos.
Citar
0 #7 Vicente 30-07-2009 19:15
Tem um sujeito aí acima, q agora quer que aceitemos a POLIGAMIA HOMOSSEXUAL!!??? Dá um tempo, fala serio meu, onde estaria o limite entao !!??? Que o homossexualismo é promiscuo por natureza todos sabem, lembrem-se da AIDS... E se continuar assim daqui a pouco vai ter gay QUERENDO CASAR ATÉ MESMO IRMÃOS ou PAI COM FILHO etc, e quem for contra será chamado de preconceituoso...
Citar
0 #6 Homofobia manifesta em carta 4 do leitorAugusto Patrini Menna Barreto 27-07-2009 15:26
O leitor Felipe Sá não deixa dúvida co caráter nefasto na homofóbia brasileira, disfarçada de civilidade é o retrato do mais duro preconceito. Preconceito este que levou a Parada Gay de SP neste último ano a ser atacada com uma bomba de fabricação caseira, preconceito este que coloca o Brasil em primeiro lugar em assasinatos de homossexuais. O preconceito do leitor pode ser explicado por uma tranferência pscanálitica do seu próprio desejo homossexual reprimido ou pior de uma concepção sectária e proconceituosa da humanidade. Ele esquece porém que uma República digna deste nome não pode possuir qualquer caráter religioso, e que deve ser laica (será que ele sabe o que isso quer dizer?) Ele também parece desconhecer que na história da "humanidade" não há nenhum plano predeterminado! Pois então, sendo assim, quem será o desviado? Aqueles que aceitam as multiplicidades culturais e humanas, e os valores diversos ou aqueles anacrônicos que adotam apenas uma verdade e um certo. Certamente para mim, é mais desviado aquele que acredita de forma fundamentalista na idéia delírante que é Deus, entretanto-o por justamente respeitar a diversidade humana rerespeito-o enquanto delírio humano daqueles que têm medo da própria liberdade. Felizmente concepções estas impregnadas de "pecado" e moralismo religioso estão felizmente historicamente finitamente determinadas a um limite orgânico.
Citar
0 #5 interdição do debate e o politicamente cRoberto 27-07-2009 14:26
Caro Gilvan, parabéns pela inciativa e por que não dizer coragem! Pois alguns debates para esquerda são dogmáticos...ou vc é a favor ou vc é reacionário! Assim é, p.e, com o aborto! A luta por liberdade sexual só pode ser vista como parte da luta pelo socialismo se esses grupos compreenderem que não há vedadeira liberdade sob o capitalismo!
Citar
0 #4 HomosexualismoFelipe Sá 27-07-2009 11:49
Dar um status político à classe dos homossexuais, se assim pode-se considerar, é começar a legalizar uma atitude controversa.
No passado vários valores eram preservados, tais como a família, o respeito aos pais e aos mais velhos, o pudor nas relações sexuais. Hoje vemos vários valores serem desprezados e serem considerados "caretas".
Assim também caminha a humanidade em relação aos desviados homossexuais... Assim já ocorreu em Sodoma e Gomorra.
Deus ama o pecador, mas não compactua com o pecado.
A paz.
Citar
0 #3 Preconceito?Adriano 26-07-2009 22:16
SERA Q AMAR É SINGULAR? OU PLURAL? E, SE PLURAL, PLURAL DE QUANTOS? EXPLICO... FULANO AMA BELTRANO, QUE AMA SICRANO, E SICRANO AMA FULANO. DAÍ PQ IMPEDIR Q ESSE AMOR SE CONCRETIZE? DEIXEMOS Q AS PARTES ENVOLVIDAS SE RESOLVAM... N-Ã-O PODEM HAVER PRECONCEITOS CONTRA O AMOR. SE,1, 2, 3, 4 OU 5 OU 6 PESSOAS SE AMAM E PRETENDEM LEGALIZAR ESTE AMOR, PQ PRECONCEITO??? AH? NÃO PODE? JÁ SEI, SENTIMENTOS PEQUENOS BURGUESE TEIMAM EM AFLORAR. ONDE ESTÁ O; "Caso contrário, estaremos atropelando o caráter de classe da luta socialista." ?
Citar
0 #2 Tá e daí?Augusto Patrini Menna Barreto 25-07-2009 16:03
Não entendo em quê este texto contribui para a libertação homossexual. Saber que existem homossexuais em todas as classes não muda o fato de que 29 direitos garantidos aos heterossesuais brasileiros são atualmente negados aos homossexuais brasileiros - e isso não é baseado na sua classe, mas sim na orientação sexual heteronômica deles... a luta por liberdade sexual não faz parte da luta de classe, mas da luta por liberdade humana, civil e de expressão.
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados