“Para Entender os Sindicatos no Brasil: Uma Visão Classista”

0
0
0
s2sdefault

 

‘Para Entender os Sindicatos’ é o segundo livro dessa dupla de autores formada por Waldemar Rossi e William Jorge Gerab. O primeiro, que está na sua oitava edição e permanece nas livrarias, é ‘Indústria e Trabalho no Brasil: Limites e Desafios (Ed.Atual/Saraiva-1997)’. Num esforço de síntese, numa linguagem bastante acessível e do ponto de vista dos trabalhadores, ambos as obras focam-se na construção de um entendimento básico sobre o processo de desenvolvimento econômico capitalista e na formação das classes sociais no Brasil, buscando caracterizar os seus interesses e posicionamentos.

 

Um paradidático nas escolas e uma ferramenta de luta para os trabalhadores

 

O trabalho do qual nos ocuparemos aqui possui um preâmbulo mostrando como a questão ambiental e do desenvolvimento sustentável tornou-se uma questão de princípio para todos os que buscam um mundo melhor, inclusive para os trabalhadores e sua luta sindical. Sempre preocupado em esclarecer os conceitos principais envolvidos no texto, sem perder o fio condutor histórico, a introdução define o que são os sindicatos e discorre sobre a importância deles. Fica claro, no entanto, que, muito mais do que introduzir o leitor ao conhecimento do papel dos sindicatos na sociedade, a finalidade do texto é a de constituir-se como uma ferramenta para a participação consciente na luta sindical.

 

A formação das posições políticas e ideológicas no processo de construção dos sindicatos

 

livro_para_entender_gd.jpgTendo a história universal e a do Brasil, em particular, como pano de fundo, o primeiro capítulo, ‘Do Nascimento dos Sindicatos à CUT’, percorre o caminho das lutas reais, mas vai situando os reflexos e influências institucionais e políticas mais gerais dessas lutas. Fala das primeiras leis trabalhistas, da posterior consolidação das mesmas, das lutas em torno da Constituição, das lutas pelas reformas de base e o início da ditadura militar nos anos 60, do surgimento de um novo sindicalismo enfrentando o sindicalismo pelego e/ou de resultados, dos seus impasses e do seu declínio no contexto das novidades trazidas pelo neoliberalismo e a globalização (ambos, também, conceituados e analisados), mostrando o caráter dessa crise social no momento de mais uma crise global do capitalismo.

 

Já, no segundo capítulo, ‘Classes Sociais e Sindicatos’, não se escapa da tarefa de conceituar as classes sociais, como acontece em boa parte dos trabalhos que abordam a luta de classes, inclusive comparando alguns dos conceitos existentes, buscando analisá-las num contexto bem atual, mostrando a complexidade da atuação delas na realidade e a inter-influência das mesmas, com suas conseqüências nos respectivos posicionamentos e embates no interior do movimento sindical. Por isso, pode-se falar numa CUT de ontem e numa CUT de hoje, além de colocar as novas responsabilidades do sindicalismo classista.

 

Ferramenta é para usar

 

O terceiro e último capítulo, ‘Um Exemplo Prático: O Governo FHC, Governo Lula e as Centrais Sindicais’, tem o objetivo de já colocar em uso os conceitos e a metodologia de análise sugeridos no livro. Mostra as contradições entre os discursos e as práticas desses governos nas suas relações com os trabalhadores e a oprimida e explorada maioria da população brasileira. Identifica, ainda, as reações populares, as formas e o grau de organização que a população atingiu, além das graves lacunas, que se evidenciam do ponto de vista dessa população, no quadro atual das suas lutas.

 

Mas, como após a entrega da sua obra ao público, os autores não podem mais controlar os destinos, as interpretações e a própria utilização da mesma. Com a palavra, agora, os leitores, os trabalhadores e militantes sociais e políticos, que poderão definir validade do trabalho apresentado.

 

A primeira atividade de lançamento do livro – que já está nas livrarias - será dia 15 de julho, quarta-feira, a partir das 19h, na APEOESP, localizada à Praça da República, 282.

 

Ficha

Título: Para entender os sindicatos no Brasil – uma visão classista

Autores: Waldemar Rossi e William Jorge Gerab

Editora: Expressão Popular

Ano: 2009

Preço: 13 reais

 

William Jorge Gerab é graduado em Sociologia e Política, cursou especialização em Gestão Ambiental, é sociólogo aposentado da Prefeitura de São Paulo e militante social e político há mais de 40 anos.

 

{moscomment}

Comentários   

0 #2 por aqui:gabriel 16-07-2009 15:52
em diversas livrarias, inclusive na Cultura e na Saraiva, além de, pela Internet, no site da própria Editora Expressão Popular: http://www.expressaopopular.com.br/loja/produtos_descricao.asp?lang=pt_BR&codigo_produto=425 .
Citar
0 #1 Lúcia 12-07-2009 03:55
Onde podemos encontrar o livro?
Obrigada
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados