Combate à corrupção é bandeira da direita

 

A notícia do momento é mais um escândalo de uso dos recursos públicos para finalidades pessoais de congressistas. Desta vez, a lama respingou até no Gabeira e na Luciana Genro.

 

É o tipo de assunto do qual mantenho sempre distância. Antes de mim, que eu me lembre, o Paulo Francis adotava a mesma posição.

 

Por um motivo simples: a desproporção entre o dano causado ao cidadão comum pelos ladrões de galinha da política e as atividades corriqueiras dos capitalistas é incomensurável.

 

O capitalismo nos acarreta:

 

- emergências ecológicas como as alterações climáticas que ameaçam a própria sobrevivência da nossa espécie;

 

- recessões desnecessárias como a atual (que ainda não se sabe se evoluirá ou não para depressão);

 

- a condenação de parcela considerável da humanidade a vegetar em condições subumanas;

 

- o desperdício criminoso do potencial ora existente para assegurar-se a cada habitante deste sofrido planeta o mínimo condizente com uma sobrevivência digna;

 

- a mobilização permanente dos homens para atividades improdutivas e desnecessárias ao invés da redução da jornada de trabalho para que todos possam desenvolver-se plenamente como seres humanos;

 

- etc. (muitos, muitos etcéteras!).

 

E, se quisermos ficar no confronto simplista de números, ainda assim o peso da corrupção política no orçamento de cada família continuará sendo uma fração ínfima do custo do capitalismo.

 

Eis um exemplo bem didático: levantamento da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade, numa pesquisa de junho a agosto de 2002, constatou que os gastos mensais com despesas financeiras atingiam 35,43% da renda familiar para as situadas entre 1 e 5 salários mínimos, que compram mais a prazo do que os ricos; 33,62% para famílias entre 5 e 10 salários mínimos; e 32,95% para famílias com renda familiar entre 10 e 20 salários mínimos. A média geral para todas as faixas de renda é 29,83%.

 

Ou seja, apenas o ágio que nos é extorquido pelos agiotas do sistema financeiro já consome ao redor de um terço da nossa renda familiar.

 

E a estratosférica desproporção entre o custo de fabricação de cada produto e seu preço final? Vejam uma interessante avaliação do economista Ladislau Dowbor sobre o preço de produtos como os Redoxons e Cebions:

 

"Por caixa, em média, esses produtos têm R$ 0,03 de ácido ascórbico. Você paga R$ 7,00 a caixa, ou seja, o custo do produto é multiplicado por cerca de 200 (multiplicado, não estou falando em 200%). E, com isso, você está tirando do mercado a vitamina C, um produto sumamente importante para a saúde de dois terços da população brasileira. No entanto, o consumidor está financiando o papelzinho dourado, a embalagem, a propaganda." (ensaio Economia da Comunicação, 2002)

 

Então, interessa aos defensores do capitalismo fazer a patuléia acreditar que a razão maior de seus apuros econômicos são os impostos, que estes acabam sendo em grande parte desviados pelos políticos e que isto, só isto, impediria nosso país de deslanchar.

 

Ademais, as intermináveis denúncias de corrupção acabam minando as esperanças do cidadão comum na transformação da realidade por meio da ação política. Se tudo não passa de um lodaçal, as pessoas de bem devem mesmo é cuidar de sua vida...

 

De quebra, fornecem pretextos para quarteladas, sempre que os meios de controle democráticos das massas não estão funcionando a contento.

 

Então, Paulo Francis dizia e eu assino embaixo: denúncias de corrupção política são bandeira da direita, que acaba sendo sempre sua beneficiária final, a despeito dos ganhos momentâneos que proporcionem à esquerda.

 

Esta deveria, isto sim, demonstrar que o capitalismo em si causa prejuízos imensamente maiores para o cidadão comum do que os desvios de recursos dos cofres públicos; e que a moralização da política não se dará com medidas policiais, mas sim com uma transformação maior da sociedade.

 

Não o faz. Desatinadamente, algumas de suas tendências reforçaram as denúncias que culminaram no suicídio de Getúlio Vargas em 1954 e as que deram pretexto à dita redentora de 1964 (que, claro, nada mudou, exceto a relação dos beneficiários do butim).

 

Agora, o PSOL chega a acompanhar o apocalíptico delegado Protógenes Queiroz em sua tentativa de implodir o sistema, provocando uma crise que não deixaria pedra sobre pedra no Executivo, Legislativo e Judiciário.

 

Ingenuamente, parece crer que se beneficiará com o descrédito absoluto das instituições, sem perceber que isto criaria, isto sim, cenários favoráveis ao golpismo de extrema-direita.

 

Então, digo e repito: em vez de pegar carona nos temas que a imprensa burguesa prefere magnificar, cabe à esquerda definir sua própria pauta e explicá-la aos cidadãos.

 

A corrupção política não é nossa prioridade, mas sim o combate ao capitalismo, verdadeira raiz dos principais males que infelicitam os brasileiros.

 

Precisamos ter a coragem de assumir a posição correta diante do povo, ao invés de tentar combater o inimigo num jogo de cartas marcadas, travado no terreno que só a ele convém.

 

Celso Lungaretti é jornalista e escritor, mantém os blogs http://naufrago-da-utopia.blogspot.com/ e http://celsolungaretti-orebate.blogspot.com/

 

{moscomment}

Comentários   

0 #5 Habeas CorpusDr. Alienista 07-12-2009 13:12
A "tese" de que a luta contra a corrupção é bandeira da direita é, na verdade, uma espécie de ação cautelar, muito conveniente a determinados setores da esquerda. É que eles também estão envolvidos em sacanagem...
Citar
0 #4 Ermelinda Maria Dias Coelho 26-04-2009 17:02
Acho que o combate à corrupção é obrigação de todos os brasileiros. Principalmente os de esquerda, porque ela acaba com a possibilidade de fazer chegar ao trabalhador qualquer dos seus direitos.
Ademais, a corrupção no Brasil atingiu um estágio mais do que preocupante. Comprometedor da divisão dos poderes. Quando temos juizes, desembargadores, funcionários dos Tribunais de Contas e até o Presidente do STF e outros ministros (até agora, Gilmar Mendes e Eros Grau)recebendo de aluguel de moradia a passagens aéreas de congressistas, como podemos pensar que há "independência" e "harmonia" entre os poderes. A correspondência de Sarney para o ex-ministro Francisco Rezek (que defendeu o Governador Jackson Lago no processo de cassação)denuncia cobrança de favores antigos - te indiquei para o cargo você me deve fidelidade para toda vida-. A cobrança feita a Rezek foi publicada, mas vale questionar - para quantos mais e em que condições cobranças semelhantes são feitas a Ministros, juizes, promotores e delegados? Quantos funcionários públicos são coagidos a servir aos poderosos de plantão ao invés de ao público, como deveria ser sua função?
Fico assustada com a profundidade e a extensão da corrupção. E, claro ela está também nas despesas financeiras que nos atingem, no custo dos remédios e de todos os produtos que consumimos.
E, atingiu todo o Estado brasileiro. Até os mais desfavorecidos, quando aparece a oportunidade, se valem dela para se beneficiar. É institucional.
E, me parece hoje muito mais preocupante que uma quartelada, mesmo porque ela seria a responsável, com já foi, por sua ocorrência. Se devemos pautá-la de forma diferenciada de como a midia o faz, acho muito bom. Mas ignorá-la como um mal menor, é um erro. E, defender Dilma pelo que já foi, é como ignorar o que Lula anda fazendo enquanto Presidente.
Citar
0 #3 Antonio Julio 25-04-2009 14:45
A corrupção é de direita. É a direta que faz qualquer coisa por dinheiro. É a direita que retira dinheiro público dos investimentos sociais para apropriação privada. Por favor, a esquerda não pode fechar os olhos para este problema!!!
Citar
0 #2 As Novas Pautas não excluem o Combate à Raymundo Araujo Filho 24-04-2009 09:29
Venho aqui novamente discordar do amigo, a quem respeito e que, ao meu ver, tem a melhor tese sobre o "imbroglio" da anistia e punição dos torturadores, mas que, ao meu ver, defende aqui uma tese equivocada, jogando a criança fora, junto com a água do banho.

1) Paulo Francis quando disse esta "tese" que "combater corrupção é bandeira da Direita", já estava confortavelmente sob às expensas da Rede Globo em Nova Iorque. O falso ceticismo e niilismo dele, nada mais era, ao meu ver, que um cômodo disfarce para destilar o seu ódio à nossa incompetente esquerda e também, talvez, às frustrações de sua vida que se aproximava da infalível vehice. AZo meu ver, a revolta de PF era contra ele mesmo, mas deixo para os psicanalistas esta investigação.

2) Ninguém pode ser tachado de amante de regimes de Delegados, ou a favor de um Estado Policial, por se colocar a favor do óbvio, que Protógenes deve ser defendido, mesmo que tenha e venha a cometer equívocos táticos, ou mesmo excedido algum preceito normativo (o que ele nega). Engrossar as fileiras dos críticos de Protógernes, ao meu ver, é proteger o Daniel Dantas e o governo Lula. É impossível não ver, que ele tocou em uma ferida enorme, primeiro a mando do min. da justiça Tarso Genro. Mas a coisa foi longe demais e ele passou a investigar também as ramificações petistas com Daniel Dantas. Tornou-se perigoso, pois ganhou autonomia funcional e exposição midiática, e está sendo perseguido. Até inquérito por ter usado passagem aérea da dep. Luciana Genro, a PF abriu contra ele. Ora! Ele recebeu uma passagem de uma deputada, se houve algum dolo é dela, e não dele. E a Luciana defendeu-se muito bem, pois não usou a passagem para nenhum lazer.

3)Então caro Celso, querer que a esquerda faça a sua própria pauta, e ainda dizendo que combate à corrupção é de direita (logo no Brasil...), mas começando por rifar Protógenes, parece ate brincadeira, embora tristemente sei que não é (antes fosse..).

Relaciono abaixo, algumas pautas a serem formuladas pela esquerda, livrando-se da pauta governamental e da direita

1) A natureza e estratégia para a exploração, exportação e consunmo de Petróleo, e o subsídio para pesquisas, implantação e barateamento de sistemas Energéticos de Fontes Renováveis e Limpas.

2)A difusão da proposta de Voto Nulo, ao menos para cargos executivos, como resposta à pauta do Sistema Político Sequestrado que temos, em colocar as eleições como única fonte de Poder Opinativo da População

3) Discutir D. Dilma Roussef, não através da pauta imposta por viúvos da ditadura que as atacam pelo seu pasasado. Mas discutir D. Dilma sob as suas perspectivas ideológicas de hoje, em clara traição aos Pobres e Trabalhadores, ew quais as garantias do cumprimento dos acordos que diz que vai fazer, pois até aqui, o governos que reporesenta, descumpriu TODOS os acordos celebrados com os Trabalhadores.

4) Não permitir e denunciar que muitos tentam transformar as grandes questões nacionais em uma espécie de Fla-Flu político, onde uns que se dizem de "esquerda", transformam qualquer bandeira em luta Político Partidária-Eleitoral.

5) Em vez de discutir o melhor remendo para esta "crise", poropor a extanquização desta sangria do erário para os particulares, em uma ousada estratégia não denunciada, justamente por quem apóia a tese que denunciar a corrupção é algo menor.

etc....

Quero dizer com isso, caro amigo Celso Lungaretti, que a Mudança de Pauta para os progressistas, definitivamente não passa e nem pode ter como prioridade, o ABANDONO do combate à corrupção, nem que se permita rifar protógenes, ou propor que ninguém seja indiaciado, igualando ladróes e gente proba (sem fazer nenhum juízo de valor quanto as táticas e idéias do Protógenes).

E quanto a acusar o Protógenes e o PSOL (ao qual não sou filiado e nem eleitor "a priori", de arriscarem a quebra e desprestígio das instituições, desculpe-me, mas chega a ser uma ignonímia. Um caso destes das passagens aéreas na Câmara e senado, maculam muito mais e fortemnente estas instituições do que possíveis excessos que o delegado afirma que não cometeu.
Citar
0 #1 Cabe a quem?Homero 23-04-2009 18:16
Cabe a quem combater a corrupção, já que não é à esquerda, nem à direita, muito pelo contrário? Seria prioridade de alguém o combate à corrupção?
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados