Todo apoio ao MST!

0
0
0
s2sdefault

 

A ordem social no Brasil é profundamente injusta, violenta e desigual. Não há estudioso sério que desconheça a permanência secular de tal brutalidade que todos lamentam. No entanto, sempre e quando qualquer segmento social procura se organizar, política e democraticamente, para lutar contra a injustiça, a violência e a desigualdade, pode estar certo: vai tomar porrada.

 

A razão para semelhante paradoxo é simples. A ordem injusta não é castigo de Deus, nem obra da natureza, mas uma construção política meticulosa. Há os que ganham com ela, eles são poucos, mas muito poderosos. Essa minoria dominante usa, o tempo todo, da astúcia e da força para conservar e reproduzir seus privilégios. Domina os pontos fortes da economia, controla os aparelhos de comunicação de massas, tutela todos os governos, que sempre operam como guardiões da ordem injusta.

 

A campanha em curso contra o MST é apenas mais uma investida, entre tantas ao longo dos séculos da nossa história, na qual se tipifica o paradoxo identificado nos parágrafos acima. O objetivo é claro: demonizar, isolar, destruir aquele que é reconhecido internacionalmente como o mais importante movimento social brasileiro da atualidade. Segmentos populares organizados com autonomia, lutando para mudar a estrutura social injusta, é um perigo a ser conjurado. Imaginem se essa moda pega. Não pode. Antes que tal ousadia se alastre, jogam pesado para cortar o "mal" pela raiz.

 

A minoria dominante, apesar do imenso aparato de poder a seu serviço, tem medo do MST. A razão do receio não está naquele ponto para o qual apontam, em golpes de propaganda, os jornais do conservadorismo. Manchetes garrafais: assassinos. A direita togada exige punição exemplar. Os beneficiários da ordem injusta se rejubilam e pedem a cabeça dos "responsáveis" pela violência no campo brasileiro: os humilhados, ofendidos e acuados em sua precária moradia que recusaram a própria morte como galardão final. Uma mentira política na qual quem visita a história e acompanha os acontecimentos não pode acreditar. Todos sabem que o acuado, mesmo quando em desespero reage na mesma moeda, segue sendo vítima da violência.

 

Ao investir contra o MST, os donos do poder estão na realidade é com medo da História. Conselheiro em Canudos, Zumbi nos Palmares, Chico Mendes, Irmã Dorothy e tantos outros, anônimos, que tombaram na luta contra a ordem injusta. Nos caminhos de Trombas, Formoso, Corumbiara, Eldorado dos Carajás e tantos outros lugares assinalados em sangue pelo confronto secular. Os beneficiários da ordem desigual, em cada turno ao longo do tempo, sempre tiveram a "lei e a ordem" do seu lado e sempre se intitularam arautos do progresso. No entanto, o senhor de escravo, o senhor de engenho, o latifundiário e seu sucedâneo moderno, as grandes corporações do agronegócio, jamais serão cantados em prosa e versos pelos grandes da nossa cultura.

 

Os heróis da luta pela liberdade estão em outro lugar. Na "Tróia de taipa" que Euclides da Cunha viu em Canudos; nos "grandes sertões e veredas" que, segundo Guimarães Rosa, ocupam todos os espaços da urbe brasileira; no "Cio da Terra", onde Milton Nascimento e Chico Buarque cantam a saga daqueles que carregam o peso do Brasil nas costas. Os sem-terra, hoje, simbolizam a capacidade de luta e a resistência do nosso povo mais sofrido. Cultivam a esperança onde as condições de vida são as mais difíceis. Prodígios de organização e combatividade, que são exemplos para os demais trabalhadores. Por isso são atacados. Diante de mais este ato da contenda secular, a consciência digna da cidadania está definida: todo apoio ao MST!

 

Léo Lince é sociólogo.

 

{moscomment}

Comentários   

0 #4 Apoio irrestrito ao MSTMagno Oliveira 09-03-2009 09:05
O quadro que está se desenhando nos pronunciamentos e ações do Estado e da Oligarquia parece que já é uma investida na campanha presidencial de 2010. Sem dúvida, o PT não terá o apoio dos movimentos sociais instituintes, muito menos os já conhecidos reacionários PSDB, PMDB e DEM. Uma candidatura de esquerda comprometida com a mudança da estrutura social e econômica do nosso país será associada ao MST como forma de minar tal candidatura. Os ataques ao MST, não nos iludamos, vai se intensificar durante os anos de 2009 e 2010. Entretanto, é preciso crer que será possível estabelecer uma correlação de forças para que o povo brasileiro não seja enganado mais uma vez pelo Atual governo e pela oligarquia.
Citar
0 #3 apoiar o mst é essencialjurandi soares de moura 09-03-2009 05:58
O MST é um movimento independente e autonômo,por isso precisamos apoiar esse movimento que resiste ao tempo e é um grande exemplo de movimento social,não podemos aceitar que a direita deste país volte a dominar.
Citar
0 #2 Solidariedade a MST da noruegaMaria na noruega 07-03-2009 13:42
Caro/as.

O MST è o movimento lindo e soberano no Brasil. Eles mandam representas para nosso grupo na noruega.

Viva MST e seu povo soberano e livre.
Maria, brasileira na noruega a 30 anos e do grupo Latin americano na noruega
Citar
0 #1 Apoio ao MSTBruno Francisco Pereira 06-03-2009 11:52
Sem duvida o MST é o maior Movimento Social do Brasil e da América Latina, estes ultimos ataques vindo do Sr. Gilmar Mendes, segundo Stédile o Berlusconi brasileiro, é o retrato da furia das elites brasileiras representada pela dobradinha PSDB-Dem, e os seus braços ideológico Globo- Isto É- Veja e outros, fruto do fascismo politico exercido por estes setores da sociedade que pela primeira vez na história não tem seus interesses representados plenamente no palácio do planalto, é a crise a abstinência do poder. O MST como movimento que tem autonomia perante ao governo, esta certo em questionar a propriedade privada pois só assim garantiremos a efetivação de uma democracia pelna no campo e na cidade.
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados