D. Cappio volta ao jejum

0
0
0
s2sdefault

 

Ainda que por um dia, 18, D. Luís Cappio voltará a Sobradinho e também ao jejum. Com ele um incontável número de pessoas ao redor do mundo, articuladas na Via Campesina, numa jornada de jejum contra a fome, a partir do dia 16. Nós, aqui no São Francisco, incluímos também na causa o jejum contra a insegurança hídrica, que vitima 1,2 bilhão de pessoas na Terra, 300 milhões a mais que a fome.

 

Nessa data D. Luís receberá o prêmio de direitos humanos concedido pela Pax Christi International, por sua defesa do rio São Francisco e do povo que habita sua bacia. Com o bispo, serão homenageados todos aqueles que lutam pela defesa do rio.

 

Nossa jornada também começa no dia 16, com uma sessão na câmara de vereadores de Sobradinho. No dia 17, um seminário sobre a realidade do rio e do semi-árido. No dia 18, jejum e uma celebração ecumênica pela boca da noite. A partir das 20 horas, uma romaria da capela ao rio São Francisco, quando acontecerá a entrega do prêmio, concluindo com show musical pela madrugada. Uma festa, uma celebração, uma caminhada.

 

Vamos relembrar ao governo brasileiro - e ao povo brasileiro - que jamais esqueceremos que a transposição continua de pé e que as adutoras para abastecer com água as populações abandonadas do semi-árido não estão sendo feitas. Vamos lembrar que o governo retirou a construção das cisternas das mãos da sociedade civil para entregá-las aos governadores, que as utilizaram fartamente para suas finalidades eleitoreiras nessas eleições. Vamos lembrar que não se brinca com a sede humana, não se manipula as necessidades primárias das pessoas para fins eleitoreiros. Vamos sinalizar que não mudamos de pensamento e atitude. Nossa luta continua de pé e, dessa vez, o jejum será por apenas um dia.

 

Temos que olhar esse país de frente. Não queremos que ele se transforme numa cratera lunar, cheia de rios mortos, buracos de mineração e florestas devastadas. É o modelo fundamental de desenvolvimento que está em jogo. Diante da crise ambiental que ameaça a comunidade da vida, essa crise financeira dos mercados é absolutamente irrelevante. Não estamos olhando a árvore, mas a floresta.

 

Que aqueles que têm sensibilidade e respeito pela comunidade da vida somem-se a esse gesto internacional, nessa jornada internacional contra a fome, contra a sede, em defesa de nossos rios, particularmente o São Francisco.

 

Roberto Malvezzi (Gogó) é coordenador da CPT – Comissão Pastoral da Terra.

 

{moscomment}

Comentários   

0 #1 REGINA LÚCIA FEITOSA DIAS 21-10-2008 09:57
Estive nessa oportunidade em Sobradinho e pude testemunhar como foi importante o exemplo cristão que D. Cappio deu à humanidade, quando dedica-se integralmente à luta contra a transposição. Nós, Brasileiros, precisamos acordar para o fato deste projeto, além de fortalecer os vetores da dgradação ambiental e da exclusão social, carreará enorme volume de recursos financeiros para as empreiteiras. Estes recursos poderiam resolver muitos dos problemas do povo brasileiro. D. CAPPIO, ESTAMOS COM VOCÊ.
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados