topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
E as adutoras do Nordeste? Imprimir E-mail
Escrito por Roberto Malvezzi   
Terça, 19 de Agosto de 2008
Recomendar

 

Diante da insignificância a que foram reduzidas as eleições municipais, inclusive aqui no Nordeste, seria muito interessante que os batalhadores pela "convivência com o semi-árido", inclusive no meio urbano, pautassem a discussão das adutoras sugeridas no Atlas do Nordeste nesse processo eleitoral. Afinal, segundo a Agência Nacional de Águas, se essas adutoras não começarem a ser feitas agora, até 2015 mais de mil municípios em todo o Nordeste poderão entrar em colapso hídrico. Está em jogo a sede de 34 milhões de nordestinos só no meio urbano. Portanto, o tema é municipal e crucial.

 

Vale a pena citar a quantidade de municípios estado por estado: Maranhão (121), Piauí (52), Ceará (139), Rio Grande do Norte (69), Paraíba (74), Pernambuco (150), Alagoas (63), Sergipe (38), Bahia (282), Minas Gerais (124). Para quem quiser pesquisar o que está proposto estado por estado, município por município, é só acessar o site e averiguar como está a avaliação de seu município e qual obra está sendo proposta. O site é http://parnaiba.ana.gov.br/atlas_nordeste/.

 

Depois de acessar o site é fácil navegar e localizar os estados e dentro deles cada município.

 

O governo federal e alguns governadores – de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte – apenas se preocupam com a transposição. Wagner (Bahia), Aécio (Minas) e Wellington (Piauí) se omitem. Apenas Marcelo Deda (Sergipe) tem constantemente se manifestado contra a transposição, embora também não se manifeste pelas adutoras. Quanto aos deputados, desapareceram depois do terremoto da China ou pelo menos já não sabemos mais se eles ainda existem. Ou alguém viu algum por aí?

 

O próprio governo admitiu nessa semana, em matéria publicada no Estadão, que a água disponível no São Francisco é de apenas 360 m³/s e que o consumo de água no Vale do São Francisco vai atingir 262,2 m³/s em 2025. O restante, quase 1.500 m³/s, é exclusividade da CHESF para gerar energia. Desses, só o Ceará leva aproximadamente 500 m³/s de água em forma de energia. Portanto, haverá conflito nos seus múltiplos usos, inclusive com a transposição. Em conseqüência, já se ressuscita a transposição do rio Tocantins para o São Francisco. Nada de novo em relação a tudo que já dissemos. Por isso, muito ao contrário de solucionar um problema, esse governo está plantando um conflito pela água que deixará como bomba relógio para seus sucessores.

 

Vamos à luta pelas adutoras. Nada de bom acontece nesse país sem que o povo se mexa.

 

Roberto Malvezzi (Gogó) é coordenador da CPT (Comissão Pastoral da Terra).

 

Recomendar
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates