Alstom, Yeda Crusius e a mídia tucana

0
0
0
s2sdefault

 

O jornalista Nelson de Sá, que monitora atentamente o que rola na mídia e ainda preserva certa imparcialidade nas páginas da Folha, confirmou nesta semana o que muitos já sabem: a imprensa burguesa protege descaradamente tucanos e demos. Com o título "Um mês depois", ele ironizou: "Por qualquer razão, o Jornal Nacional (da TV Globo) deu o caso Alstom na sexta-feira, um mês depois de sair em manchete no Wall Street Journal. E nada de mencionar o PSDB ou o governo paulista, só o Metrô, ‘sob suspeita’ por um contracheque de 1994". Noutro caso mais cabeludo, o colunista lembrou que "o escândalo no Rio Grande do Sul só chegou ao JN, enfim, no sábado".

 

As duas denúncias sepultaram a imagem dos tucanos e dos demos, que pousavam cinicamente de guardiões da ética. No primeiro caso, a empresa suíça foi privilegiada em contratos para obras no Metrô, inclusive ficando livre de licitações. Mas a mídia, inclusive a Folha, não dá destaque nem esclarece o assunto. Como reagiu indignado o blogueiro Eduardo Guimarães: "No caso Alstom, a denúncia contra Alckmin, Kassab e outros não vem de brasileiros ou de pessoas físicas. Quem denunciou que a multinacional andou dando dinheiro para as campanhas políticas em troca de gordos contratos com o governo de São Paulo foram o Wall Street Journal e a justiça suíça".

 

Já no caso da governadora Yeda Crusius, a situação é mais dramática. Não há apenas indícios de corrupção, mas provas concretas. O próprio vice-governador, do insuspeito Demo, já apresentou fitas comprovando que as estatais gaúchas fizeram "caixa-2" para a campanha tucana e mantém um esquema ilícito para garantir a sua governabilidade. Desesperada e abandonada por tucanos de alta plumagem, Yeda exonerou quatro secretários e até montou um gabinete da crise. Mesmo assim, cresce o movimento pelo impeachment da governadora tucana. A CPI do Detran acumula provas que justificariam a cassação do mandato, o que seria o maior vexame nacional do PSDB.

 

A mídia hegemônica, que durante a chamada crise do "mensalão" pediu a cabeça do presidente Lula, agora nada fala sobre o impeachment da atual governadora e ex-ministra de FHC. Cadê os editoriais e as chamadas no horário nobre de televisão sobre a queda iminente da nobre tucana? Cadê os vestais da ética do PSDB e do ex-PFL? O Demo até fala em expulsar o vice-governador linguarudo. FHC e Serra simplesmente sumiram. Vale até recordar um discurso hidrófobo da ex-senadora Yeda Crusius, em julho de 2005, contra "o mar de lama da corrupção que se instalou no Palácio do Planalto" e também a sua singela pergunta: "Não é o caso de impeachment?".

 

Altamiro Borges é jornalista, membro do Comitê Central do PC do B e autor do livro recém-lançado "Sindicalismo, resistência e alternativas" (Editora Anita Garibaldi).

 

{moscomment}

Comentários   

0 #3 correçõesfernando lima 17-06-2008 11:56
A delirante governadora do Rio Grande do Sul foi Deputada Federal e não Senadora, além disso, foi Ministra do Planejamento no governo do Itamar (se bem que por apenas alguns dias quando da implantação do Real). Além desse curriculo, Yeda foi celetista da RBS (Rede Brasil Sul, empresa afiliada da Globo) onde dava pitacos de economia para os pecuaristas e arrozeiros locais.
Citar
0 #2 ALSTOM E YEDA CRUSIUSElor Tori 16-06-2008 06:04
Sr. Altamiro Borges.
Acredito que sr. não a melhor pessoas para criticar PSDB E DEM, haja vista que a corrupção destes partidos quando governo todos nós já sabiámos que evistia. Mas a corupção do do atual governo de SINDICATO(s) do Sr. Lulla, esta sim é de se surpreender pois o mesmo sempre criticou durante mais de vinte anos de oposição e quando entrou no governo a corupção é pior do que PSDB/DEM, pois alem da mesma existe o demandos e os maus gestores(todos seus amiguinhos de sindicato) neste governo do PT. Por fim quero lhe dizer que sr deveria olhar para trás e ver que PT É IGUAL OU PIOR DO QUE OS OUTROS.
Sem mais
Elor Tori
Cascavel, Pr.
Citar
0 #1 E na PB?Hudson Luiz Vilas Boas 13-06-2008 16:40
Além desses casso cabeludos dos tucanos em SP e no RS, há o caso na PB em que o governador Cássio Cunha Lima conseguiu ter o mandato cassado "duas" vezes pelo TRE.

Escrevi um artigo sobre o "jeitinho tucano de governar". Quem se interessar está no meu blog:

www.blogdohudson.blog.ig.com.br
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados