USA, de John dos Passos

0
0
0
s2sdefault

 

"Paralelo 42", "1919", "O Grande Capital" são os títulos dos três livros que conformam a trilogia: "USA" - do celebrado autor norte-americano, John dos Passos. livros_johndospassos.jpg

 

Por meio de uma técnica narrativa complicada, mas extraordinariamente intrigante, Dos Passos faz uma crítica profunda do período talvez mais importante da história dos Estados Unidos- período que cobre os últimos anos do século XIX e as duas primeiras décadas do século XX. Foi o período da desilusão daqueles que acreditavam ser possível organizar, dentro do capitalismo e da dominação burguesa, uma sociedade aberta e uma democracia real.

 

Combinando quatro textos paralelos: narrativa ficcional; pequenos perfis biográficos das figuras marcantes da época (Theodore Roosevel, Woodrow Wilson, JPMorgan, Eugene Debs entre vários outros); evocações auto-biográficas; e reprodução de manchetes dos jornais da época, Dos Passos mostra a luta feroz entre os trabalhadores e a burguesia nos anos iniciais do século XX.

 

No meio da disputa - como acontece com todos os grandes narradores -, introduzem-se naturalmente as histórias ocultas das grandes invenções que fizeram o "século americano": as empresas de relações públicas; as firmas de propaganda; as indústrias do automóvel, do avião, do cinema.

 

Por meio da reprodução das manchetes dos jornais da época vemos como avanços e barbárie mesclaram-se.

 

O livro é triste, porque não há como não se comover com a amargura dos personagens acuados e arrasados ou politicamente ou moralmente pelo sistema, na medida em que este ia revelando, a cada passo, que, na ordem capitalista, não pode haver senão democracias restritas a disciplinar, rigidamente, vidas medíocres e machucadas.

 

A leitura da trilogia nos ajuda a entender a sociedade norte-americana de hoje - essa que ocupa militarmente o Oriente Médio, mantém prisões como as de Guantánamo e Abu-Graib, autoriza o assassinato de pessoas, espiona todo mundo em toda parte. Ela é herdeira daquela que John dos Passos dissecou com bisturi de cirurgião.

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados