topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

Bahiabio: 20 vezes pior que a Transposição Imprimir E-mail
Escrito por Roberto Malvezzi   
Terça, 20 de Maio de 2008
Recomendar

 

O governo da Bahia lançou em um de seus sítios o programa Bahiabio (www.seagri.ba.gov.br/bahiabio.asp). Ele se propõe simplesmente em plantar 870 mil hectares de cana para produção de etanol e 868 mil hectares de oleaginosas para produzir biodiesel. Avisa logo na apresentação: "não é para produzir alimentos". Portanto, sequer a idéia de consorciar. Monocultura em estado puro.

 

Outro detalhe fundamental é que 510 mil hectares de cana serão no vale do São Francisco. Portanto, cana irrigada. Cerca de 300 mil no Oeste Baiano, 20 mil no projeto Salitre, 60 mil no Canal do Sertão, 40 mil no Baixio do Irecê, 60 mil no Médio São Francisco, 30 mil no rio Corrente. E o sertão vai virar cana. O restante será implantado na região sul (300 mil hectares) e Sudoeste (60 mil hectares), com regularidade de chuvas, dispensando a irrigação. No Oeste Baiano dizem que a irrigação será "suplementar".

 

Oras, os técnicos em irrigação nos dizem que um hectare irrigado consome um litro por segundo em média. Entretanto, embora seja segredo trancado a sete chaves no Brasil, já descobrimos através da Índia que um litro de etanol consome 3.600 de água pra ser produzido em cana irrigada. Portanto, para irrigar 510 mil hectares são necessários 510 mil litros por segundo em média, ou seja, 510 metros cúbicos. Entretanto, na cana irrigada pode ser muito mais.

 

É de se perguntar, com toda obviedade, de onde vão tirar essa água. Os próprios dados do Comitê de Bacia do São Francisco, dados praticamente pesquisados e oferecidos pela Agência Nacional de Águas (ANA), nos dizem que o São Francisco só tem para múltiplos usos 360 metros cúbicos de água. O restante pertence à Chesf para gerar energia elétrica. Desses 360, 335 já estariam outorgados, sabe-se lá para quem e para quê. Portanto, restariam 25 metros cúbicos por segundo, que o pessoal da Transposição tomou para si. Portanto, o que resta é zero.

 

O chocante nessa história de megalomania e irresponsabilidades é perceber que a água necessária para irrigar essa cana – ainda não estão contabilizados os 80 mil hectares complementares do projeto Canal do Sertão para o estado do Pernambuco – é 20 vezes maior que a demandada pela transposição, que é de 26 metros cúbicos por segundo.

 

Nesse caso é preciso dar razão para aqueles que dizem ser "insignificante o que a transposição vai levar para os outros estados". Se essa água é necessária mesmo por lá ou não é outra história, mas a quantidade é mesmo pequena diante do Bahiabio. A verdade é que vão devorar o São Francisco nas suas melhores manchas de solos e nos seus grandes volumes de água.

 

Nesse momento em que os predadores tomam conta da nação, devorando a Amazônia, o Cerrado, o Pantanal, cegados pelos agrocombustíveis, se faltava algo para nos enterrar de vez nas margens do Velho Chico, já não falta mais: chegou o Bahiabio.

 

Roberto Malvezzi (Gogó) é coordenador da CPT.

 

Recomendar
Última atualização em Terça, 20 de Maio de 2008
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates