topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
Exemplo edificante Imprimir E-mail
Escrito por Osiris Lopes Filho   
Segunda, 25 de Fevereiro de 2008
Recomendar

 

Exames e pesquisas realizadas no nosso sistema educacional, nos seus vários níveis, concluíram ser insuficiente o grau de leitura e compreensão dos estudantes brasileiros.

 

Chego à idêntica conclusão em relação a nossa casta dirigente, em especial, ao presidente Lula, aos ministros que nos últimos cinco anos têm ocupado o Ministério da Previdência e à direção do Instituto Nacional do Seguro Social – INSS.

 

É que acabo de ler a obra "O Livro Negro da Previdência – 2007", editado pela Associação Nacional dos Servidores da Previdência Social – Anasps. Trata-se de impressionante libelo contra a incompetência dos gestores da previdência social pública, que a têm desgastado por má administração, despreparo técnico, ausência do planejamento adequado, comprometendo um patrimônio que não é do governo federal, mas dos segurados da previdência pública, seus contribuintes. Toda a sorte de equívocos e desvios tem ocorrido nessa instituição. Ali o interesse nacional tem sido, na formulação das reformas que o órgão sofreu, submetido à orientação servil do Fundo Monetário Internacional – FMI, em processo de sua erosão, para futura ocupação da área pelos fundos de pensão estrangeiros.

 

Tem-se tentado, ao longo dos anos, sistematicamente, minar a previdência social pública. Este livro relata pormenorizadamente esse processo de destruição de um patrimônio constituído pela contribuição do povo trabalhador do país e das nossas empresas. Está em jogo a sorte da maior seguradora da América Latina, que realiza pela sua ação a maior redistribuição de renda no país, e as denúncias, as alternativas de ação propostas pela Anasps, são ignoradas pelos detentores do poder, que permitem à direção dessa instituição seguir o roteiro do desastre que leva à sua extinção. "Não há previdência que resista ao saque e à pilhagem das hordas políticas oportunistas, carreiristas e aproveitadoras", eis uma afirmação do presidente da associação, Paulo César Régis de Sousa, na apresentação do trabalho.

 

Ao longo de minha vida profissional, formei uma convicção de que grande parte das deficiências da ação governamental decorre da ausência de uma razoável administração pública, que cumpra a sua missão adequadamente, com respeito à lei, observando as técnicas de controle e avaliação do desempenho dos agentes públicos. Em suma, haja fiscalização eficaz.

 

Impressiona a análise feita nesse livro. As atividades efetuadas no âmbito da previdência social, durante 2006, são descritas e estabelecidos o seu desenvolvimento e efeitos, geralmente desastrosos.

 

Tem-se imputado aos órgãos representativos dos servidores públicos, suas associações e sindicatos, ação eminentemente corporativa, de defesa de seus direitos e interesses. Este livro, de leitura necessária a quantos se interessem pelo bem-estar do nosso povo e aperfeiçoamento de nossas instituições, mostra uma ação construtiva da representação profissional. A defesa da organização em que trabalham, procurando preservar-lhe a existência e a observância plena da sua missão – no caso, constitucional e de elevadíssimo interesse público.

 

Põe-se o dedo nas feridas, que já são chagas, e se aponta a correção. O diagnóstico é de quem está imbuído da relevância da instituição e objetiva preservá-la. Constitui exemplo para o setor público, de ação da representação funcional. Merece reflexão e ação corretiva, pelo governo. Mãos à obra.

 

Osiris de Azevedo Lopes Filho, advogado, professor de Direito na Universidade de Brasília – UnB – e ex-secretário da Receita Federal. E-mail: osirisfilho(0)azevedolopes.adv.br">osirisfilho(0)azevedolopes.adv.br

 

Recomendar
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates