topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
Jovens cubanos e mentiras da Globo Imprimir E-mail
Escrito por Altamiro Borges   
Terça, 19 de Fevereiro de 2008
Recomendar

 

Incensada no período da ditadura militar e da "guerra fria" contra o socialismo, a TV Globo está preocupada com os novos ventos na América Latina e combate, sem tréguas e sem ética, tudo o que há de progressista nesta região. Na semana passada, os vários telejornais da emissora fizeram alarde com um vídeo em que alunos da Universidade de Ciências Informáticas (UCI) de Havana aparentemente criticam duramente o regime cubano e o socialismo. Reproduzindo acriticamente o noticiário estadunidense, a ex-toda poderosa TV Globo informou que dois universitários teriam sido presos logo após a difusão do "incidente". No seu afã anticomunista, ela sequer conferiu as fontes. "O vídeo, de quase uma hora de duração, mostra o desencanto da juventude", decretou.

 

Na verdade, o episódio ocorreu em 19 de janeiro e só agora foi amplificado e manipulado pela mídia hegemônica. Tratou-se de uma reunião do presidente da Assembléia Nacional, Ricardo Alarcón, com os alunos da UCI, um projeto avançado de informatização do país. O vídeo não foi feito às escondidas, como insinua a TV Globo, mas sim transmitido livremente para os dez mil estudantes da escola. Ele retrata um debate natural, democrático, entre os jovens e o deputado, no qual são feitas críticas às dificuldades de Cuba – coisa comum de se ouvir nas ruas desta nação rebelde e irreverente. Não há qualquer repressão ou demonstração de "desencanto da juventude".

 

Manipulação e silêncio criminoso

 

A mentira da TV Globo é tão grotesca que ela nem divulgou a entrevista de Eliécer Ávila, o tal universitário preso, que apareceu recentemente, livre e faceiro, zombando das manipulações da mídia. Num outro vídeo, que a Rede Globo não transmitiu em horário nobre, o aluno afirma que o encontro com Alarcón tratou dos problemas da juventude e que as críticas foram no sentido de "fortalecer a construção do socialismo cubano". Segundo a Agência Reuters, Eliécer se mostrou indignado com as intrigas divulgadas, inclusive sobre a sua prisão. "Tudo o que estão dizendo é uma mentira total, que desvirtua o que opinamos... Agora me dei conta da maquinaria da mídia".

 

A TV Globo também não repercutiu o protesto público dos alunos da UCI contra o "terrorismo midiático". Também não registrou para os seus incautos telespectadores um manifesto assinado pelos estudantes, professores e demais trabalhadores da universidade que condena "a grosseira e mal-intencionada manipulação dos principais meios de comunicação do imperialismo e de seus lacaios". O documento informa que 99% dos alunos e funcionários da universidade votaram na eleição cubana de janeiro. "Ratificamos a nossa inquebrantável disposição de cumprir qualquer tarefa da revolução e de continuar lutando para merecer integrar a sua tropa do futuro".

 

"Invasão militar da Venezuela"

 

Já em dezembro passado, o programa Fantástico, que se vangloriava de ser um dos campeões de audiência do país e hoje está em declínio – talvez devido ao seu péssimo jornalismo -, apresentou reportagem provocativa intitulada "Brasil está preparado para a guerra contra a Venezuela". Nos dias que antecederam o programa, chamadas sensacionalistas incitavam: "Como reagiriam os brasileiros a uma invasão militar da Venezuela ao nosso país?". De forma grotesca, repórteres sem escrúpulos percorreram as ruas de Pacaraima (RR), cidade na fronteira com o país vizinho, num carro decorado com as cores nacionais, convocando a população a se "alistar para a guerra", fomentando o clima de hostilidade entre nações amigas, que têm vários acordos de cooperação.

 

A reportagem ridicularizou Hugo Chávez, apresentando-o como um militar truculento, e também ofendeu Evo Morales, tratado como "fantoche", e o presidente Lula, taxado de omisso diante do risco da invasão. Numa mentira deslavada, afirmou que os venezuelanos possuem "a maior força bélica da América Latina" – quando se sabe que seu contingente e equipamentos são inferiores aos do Brasil e Colômbia. No final, os apresentadores do Fantástico ainda provocaram: "Se o tempo fechar entre Brasil e Venezuela, será que estamos preparados? Qualquer movimento estranho na fronteira, ligue para Brasília e reclame com o síndico". Não por acaso, o programa foi ao ar quando Lula visitava os dois países citados para firmar acordos de cooperação.

 

O ocaso da "Vênus prateada"

 

Diante da vil manipulação, que fere os preceitos constitucionais favoráveis à integração regional, Ivan Pinheiro, dirigente do PCB, entrou com representação no Ministério Público Federal contra a TV Globo. Além de exigir o direito de resposta aos três governantes ofendidos, a representação requer que a Justiça analise a transgressão das leis que regulam a concessão pública de emissoras de televisão, "estudando a possibilidade de se postular a aplicação de sanções". No mesmo rumo, intelectuais e lideranças populares redigiram um abaixo-assinado solicitando que o governo Lula tome as providências cabíveis contra as grosseiras e corriqueiras manipulações desta emissora.

 

Por estas e por outras, a ex-toda poderosa TV Globo perde audiência e prestígio no país. Hoje ela já não conta com a "inocência" do governo Lula, que investe na rede pública, é acuada por outras emissoras, em especial pela Record, e teme os efeitos da chamada "invasão" das multinacionais das telecomunicações no processo de digitalização das imagens. Apesar do reconhecido "padrão Globo de qualidade" e mesmo do seu papel na produção da cultura nacional, a empresa atravessa a pior crise da sua história. A linha editorial dos seus programas jornalísticos, sob o comando do direitista Ali Kamel, e até da sua teledramaturgia, ajuda a entender o ocaso da "Vênus prateada".

 

Altamiro Borges é jornalista, membro do Comitê Central do PCdoB e autor do livro "As encruzilhadas do sindicalismo" (Editora Anita Garibaldi, 2ª edição).

 

Recomendar
Última atualização em Quarta, 20 de Fevereiro de 2008
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates