Eleições no Paraguai e miopia da imprensa brasileira

 

Impressiona a cegueira ou miopia dos grandes Meios de Comunicação Social brasileiros. Desde algum tempo, como sabemos, vêem dando ampla cobertura ao processo eleitoral dos Estados Unidos. Os candidatos à presidência desse país, tanto do partido democrata quanto republicano, têm desfilado com uma freqüência inusitada, seja nas páginas dos principais periódicos, seja nos rádio e telejornais diários.

 

Em contrapartida, o que sabemos, ou melhor, o que sabe o povo brasileiro sobre o processo eleitoral do vizinho Paraguai? Quem são os candidatos à presidência e quais as novidades do atual processo? Ora, enquanto as eleições estadunidenses representam um cenário mais ou menos familiar, sem grandes rupturas com o passado, no país vizinho, ao contrário, verifica-se um fato novo que, por si só, mereceria maior atenção da mídia e dos cientistas políticos em geral.

 

O fato novo chama-se Fernando Lugo, um dos atuais candidatos à presidência da República Paraguaia. Trata-se de um ex-bispo, historicamente vinculado às lutas camponesas, e que, segundo as pesquisas, vinha ameaçando a hegemonia política do partido colorado, há mais de seis décadas no poder. Da mesma forma que Lula e Evo Morales, Lugo tem suas raízes mergulhadas nos movimentos e nas causas populares.

 

Ao lado de Fernando Lugo, outros candidatos disputam a presidência: Lino Oviedo, autor de um golpe de Estado fracassado, ex-exilado político no Brasil e recente prisioneiro político no Paraguai; Blanca Avelar, pelo partido colorado, abertamente apoiada pelo atual presidente, Nicanor Duarte Frutos; e Pedro Fadul, por um partido de oposição.

 

Convém lembrar que Oviedo teve sua prisão suspensa pelo Poder Judiciário com a clara intenção de comprometer a preferência do eleitorado por Fernando Lugo. E convém não esquecer, ademais, que o presidente Lula e seu governo, embora com uma trajetória política semelhante à de Lugo, parecem pender mais para Lino Oviedo, que na verdade representa a continuidade da política paraguaia, onde, notória e escandalosamente, a corrupção está na ordem do dia.

 

Tudo isso vem sendo ignorado ou conscientemente encoberto pela grande imprensa brasileira. Com maior estranheza, ainda, se consideramos que as eleições no Paraguai estão às portas, marcadas para o mês de abril, ao passo que nos Estados Unidos ocorrerão somente no final do ano. No ar fica a pergunta: quais as razões desse silêncio? O certo é que, como em épocas passadas, o Brasil mais uma vez vira as costas para a história de seus vizinhos hispano-americanos e se rasga em notícias diante dos acontecimentos da Europa e Estados Unidos.

 

No caso das eleições paraguaias, há um agravante. É sabido que Fernando Lugo, por estar fortemente ligado às causas populares, promete rever, entre outras coisas, o contrato binacional da hidrelétrica Itaipu. O contrato foi firmado no tempo dos militares e apresenta cláusulas lesivas aos interesses do povo vizinho.

 

Talvez uma forma de reverter esse quadro de desconhecimento quanto ao que ocorre do outro lado da fronteira fosse incorporar na agenda dos debates nacionais a revisão do tal contrato entre os governos brasileiro e paraguaio. Não será essa uma dívida que “seguimos teniendo con nuestros hermanos paraguayos”?

 

Pe. Alfredo J. Gonçalves

{moscomment}

Comentários   

0 #9 dino canatto filho 03-12-2008 23:04
de onde o py iria tirar sua energia, que hoje e jogada fora, se nao fosse a itaipu, o br garantiu financiamento sozinho só isso ja basta para termos mais direito sobre o uso e preço que benificie diretamente o brasil, ou querem que sejamos madre teresa de calcuta, construimos para termos vantagem mesmo, penso que se nao fosse itaipu estariamos cheios de reatores nucleares pela região sul e sudeste do br, ai sim nossos irmão iriam ver o que e politicas de protecionismo e esmagamento sobre eles, melhor deixar como esta, em 2023 o py vai começar encher o caixa de dolares que nao terao onde gastar quando a divida for paga e o br usar e pagar diretamente ao py o que usa, e nao aos orgãos financiadores do projeto.
Citar
0 #8 eleições no paraguaimarco antonio costa 02-04-2008 11:27
O Brasil não deve dar importancia nehuma mesmo para as eleições no Paraguai. Deve sim dar atenção as eleições nos Estados Unidos, este sim é nosso maior parceiro comercial. E outra coisa, deixa estes paises como, Bolivia, Venezuela e agora Paraguai dar andamento nas suas ideias marxistas porque logo eles vão ter um novo muro da vergonha que foi durrubado na europa aqui na America do Sul. Muito bom, assim ficamos isolados desta gente.
Citar
0 #7 Não, Daniele ... Não Paulo ...lucas 28-03-2008 15:21
Citem, por favor, um único caso de sucesso da esquesda mundial desde 1917 que eu me rendo! Já foi tentado de tudo, das formas mais brandas ãs mais radicais, e tudo que a árvore do socialismo trouxe foi a tirania, desgraça, pobreza e milhões de mortes. A árvore só produz frutos envenenedos! Quanto ã Itaipú, sugiro que os esquerdistas se informem um pouco melhor antes de opinar, pois o Paraguai não investiu sequer um dolar na construção de Itaipú, e tem direito à metade da energia produzida. ele a vende ao Brasil por 75 u$ o MW/H, o que está longe de ser uma pechincha, pois o Brasil paga valores entre 45 e 95 MW/H pela energia que consumimos das hidrelétricas do país. O que deve ser levado em conta, ao dar uma opinião, são os fatos reais e não teorias abstratas de defensores "gritões". PAULO, não está sendo constrida base americana no Paraguai, isso é span de internet, procure se informar um pouco e ... parem de colocar a culpa nos EUA, e vamos trabalhar !
Citar
0 #6 Cadê o MERCOSUL?Daniele 20-03-2008 18:26
Ao ler este tipo de nota e ver os comentarios postados me vem a pergunta: cadê o MERCOSUL nessas horas? Somos uma região e trabalhar em comum com nossos vizinhos só nos trará beneficios, mas lembrem-se que trabalhar em conjunto não quer dizer saquear aos mais fracos em beneficio proprio, o Brasil não precisa disso nem tem vocação para isso, devemos re-ver o contrato de Itaipu sim e isso não vai contra os interesses do país, mas em favor de uma relação mais equitativa e mais justa com nossos vizinhos!
Citar
0 #5 PreocupanteFábio Max 02-03-2008 09:03
Preocupante ver um brasileiro afirmando que o contrato de Itaipu é lesivo ao povo paraguaio. Esse esquerdismo cego que existe no Brasil, prefere abrir mão dos interesses internos para beneficiar um demagogo populista de uma republiqueta mediocre, do que cuidar em primeiro lugar dos interesses do Brasil
Citar
0 #4 Artigo oportunoPaulo Rodrigues 08-02-2008 19:50
muito oportuna e boa esta matéria sobre as próximas eleições paraguaias.
Apenas gostaria de complementar que o candidato Fernando Lugo também se opõe à presença das tropas estadunidenses em seu país, em base militar em construção, que querem se apossar do Aquífero Guarani, entre otras cositas más.
Os brasileiros/as precisam acompanhar de perto esta importantíssima eleição no Paraguay.
Citar
0 #3 Reinaldo 08-02-2008 08:29
O que passa entre a imprensa brasileira e a américa-latina não é muito diferente do que se passa com o Brasil mesmo - ignorância pura.Aqui não se edita notícias, mas juízos. Como para a maioria dos donos de jornais e jornalistas o Paraguay é só motivo de galhofa, não há nada para ser noticiado. É mais ou menos como agem os jornais europeu e americanos com referência nossa realidade: se tem crime é notícia, senão é uma questão para o Tarzan!
Citar
0 #2 Podia ter maisRenato Mayer 08-02-2008 05:13
O artigo acima é importante, mas
fica apenas como uma pequena nota. Poderia investigar mais a
real situação da política no país vizinho, quais as chances de Lugo, quem o apóia, que tipo de movimento social pode decorrer de sua luta, etc. E também por que o pêndulo do Brasil pende para o tradicional e não para o novo naquele país.
Citar
0 #1 Defensa del PobreAlejandro Chuquimbalqui Guelac 07-02-2008 22:50
Solidaridad con el canditato que camina con el Pueblo Pobre, Fernándo Lugo.
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados