topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
Nosocômio Financeiro Imprimir E-mail
Escrito por Osiris Lopes Filho   
Quarta, 30 de Janeiro de 2008
Recomendar

 

A morte da CPMF provocou profundo trauma no governo Lula. A intensidade dos seus efeitos tem sido variável. Há certas áreas, Fazenda e Planejamento e parte da base política governamental no Congresso, em que a repercussão do fenômeno foi mais intensa, acarretando um surto de esquizofrenia financeira.

 

Não é fácil identificar a origem do surto esquizofrênico que se instalou na área tributário-financeira governamental. Essas doenças psicológicas ficam encobertas por um longo tempo. A doença se instala e vai evoluindo lentamente até que, em dado momento, aciona-se um gatilho, e dispara-se o surto da esquizofrenia a que o povo assiste perplexo.

 

A esquizofrenia se caracteriza por seu portador construir edifícios ideais, inexistentes na realidade, e o pior, morar dentro deles.

 

Desde 2003, quando foi promulgada a Emenda Constitucional nº 42, sabia-se que a CPMF iria se extinguir no último dia de 2007. É elementar na teoria orçamentária que a previsão de uma receita de natureza tributária só deva ser realizada se determinado tributo tiver validade jurídica no exercício em que se prevê a sua arrecadação.

 

É que preside a realidade tributária o princípio de legalidade. Só se cria ou aumenta tributo com base na Lei. Por maior razão, só se pode cobrar tributo cuja existência está estabelecida em lei, para viger no exercício dessa cobrança.

 

No caso da CPMF, ela estava com data marcada para se extinguir em 31 de dezembro de 2007. Data marcada para morrer, prevista na Constituição, nossa Lei maior e fundamental.

 

A despeito dessa evidência, o governo Lula criou uma realidade inexistente juridicamente, a da CPMF, a fornecer recursos durante o ano de 2008, da ordem de 40 bilhões de reais, para o orçamento da União, em especial para a saúde. Aplicação sagrada de recursos, transformada em instrumento de formação de imagem política.

 

Criou-se, artificialmente, uma perda de arrecadação inexistente no plano objetivo e jurídico, mas persistentemente presente nas formulações governamentais e de seus aliados.

 

O orçamento fiscal no Brasil, pelo caráter autorizativo da despesa e da sempre presente inflação, a subverter as receitas e despesas, tem sido designado como peça de ficção. Agora se agregou a contribuição da medicina psiquiátrica. Introduziu-se uma realidade produto da alucinação e da patologia – a perda de uma arrecadação inexistente, mas que produz efeitos e consome energias, que poderiam ser produtivamente utilizadas em objetivos sadios e construtivos.

 

É tempo de se cair na real. Apertar os cintos, moderar o gasto e parar de assustar o povo com aumentos de impostos e assombrações desse tipo. Só falta chamar além de psiquiatra, pregador, especializado em descarrego, para produzir o orçamento da República.

 

 

Osiris de Azevedo Lopes Filho, advogado, professor de Direito na Universidade de Brasília – UnB – e ex-secretário da Receita Federal. E-mail: osirisfilho(0)azevedolopes.adv.br

Recomendar
Última atualização em Quarta, 30 de Janeiro de 2008
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates