topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
É preciso superar a psicose belicosa Imprimir E-mail
Escrito por Jaime Caicedo   
Terça, 15 de Janeiro de 2008
Recomendar

 

Reconhecer a insurgência como força beligerante é uma proposta razoável. A negação do contrário é uma atitude irracional.

 

A qualificação de "terroristas" para as organizações guerrilheiras colombianas foi imposta pelo governo estadunidense. O Plano Colômbia, de aparência inicial anti-narcóticos, tornou-se projeto anti-guerrilheiro com a mudança de Bush na política exterior ianque, em 2001. A União Européia adotou esse critério ulteriormente.

 

A política de "segurança democrática" fundamenta-se na teoria de que na Colômbia não existe um conflito político e social e sim uma "ameaça terrorista". Em 2008 o governo triplicou o orçamento de guerra para custear a ofensiva gera contra-insurgente. Não existe uma política de paz e sim de guerra. Uma nova lei pretende converter a contra-insurgência e a repressão social em política institucional.

 

A libertação de Clara Rojas e Consuelo González mostra fatos novos, não só a esperança de libertação para pessoas em poder da insurgência. Para vários governos da América Latina há na Colômbia um regime surdo, cego e insensível perante a dor humana e frente ao imperativo de uma saída não-militar ao conflito realmente existente. Esse regime nega-se a reconhecer esse conflito e os seus adversários políticos insurgentes. Simultaneamente, tenta dar status políticos aos chefes dos esquadrões da morte vinculados ao narco-paramilitarismo. A extrapolação da "segurança democrática" aos países limítrofes e a corrida armamentista estimulada pela ajuda militar dos Estados Unidos estende a preocupação pelo curso da situação colombiana ao resto do continente.

 

Desbloquear o fechamento do regime colombiano converte-se numa prioridade da América do Sul e áreas vizinhas. Trata-se de uma janela para a solução política, não-militar, de um problema real e inegável. O drama humanitário é a sua faceta mais aguda.

 

O ex-presidente Andrés Pastraña, o qual diz que o pedido de Chávez é "uma chantagem", dialogou com as FARC e o ELN nessa qualidade. O retrocesso que vivemos em termos de busca da paz é evidente.

 

A França e o México reconheceram a FMLN salvadorenha, em 1982. A partir daí uma solução dialogada, negociada entre as partes, e apoiada internacionalmente, foi possível.

 

Publicado originalmente por http://www.resistir.info.

 

 

Jaime Caicedo é secretário do Partido Comunista Colombiano.

Recomendar
Última atualização em Terça, 26 de Fevereiro de 2008
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates