topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
Livro não se empresta... Imprimir E-mail
Escrito por Gabriel Perissé   
Sexta, 13 de Abril de 2007
Recomendar

 

 

“Nem se devolve”, completava um amigo nosso, useiro e vezeiro em guardar eternamente os livros que lhe emprestávamos. “Livro não tem dono, por isso eu tomo!”, repetia ele, risada diabólica, olhos argutos, dedos compridos. E ficávamos com receio de deixá-lo entrar em nossas modestas bibliotecas.

 

A dele não era modesta. Tinha livros por toda a casa. Em cima da geladeira, dentro dos armários e gavetas, na mesa da cozinha, no banheiro, debaixo da cama, porque todas as estantes já estavam ocupadíssimas, e as estantes cobriam todas as paredes, na sala, no quarto, no corredor.

 

Esse amigo era o terror das livrarias e sebos. Sem que se soubesse como, furtava os livros e desaparecia com eles, e a essas livrarias e sebos retornava como se nada tivesse acontecido. Nunca ninguém conseguiu flagrar, filmar, fotografar, mas todos sabíamos que era ele.

 

Não empregávamos a palavra “ladrão” para qualificá-lo. Seria ele talvez um pobre monocleptomaníaco — sua idéia fixa eram os livros, sobre os mais variados temas, nos mais inusitados idiomas.

 

Esse amigo não pretendia casar-se. Não tinha espaço para dividir. Nem na casa nem no coração. Chegara a ficar noivo de uma livreira... mas a moça percebeu que o interesse dele não era por seus belos olhos e sim por seus belos livros.

 

Feira de livro é com ele mesmo. Horas e horas por entre os estandes, livros misteriosamente escondidos dentro de seu casaco — ninguém se dá conta.

 

Nós sabíamos. Deveríamos ter denunciado o nosso amigo à polícia? Deveríamos ter obrigado nosso amigo (ele se sentia muito mais amigo dos livros do que nosso...) a consultar um psiquiatra?

 

Ladrão incomum, não pensava em dinheiro, não revendia os livros. Passava as noites lendo romances e tratados científicos, pensamentos poéticos e versos filosóficos. Não lia para ministrar aulas e palestras. Lia para satisfazer sua vontade de ler, estranha conduta...

 

Lia para experimentar a dor e o prazer, a saudade, o entusiasmo. Não era só monocleptomaníaco, mas também bibliomaníaco irrecuperável. Sua obsessão: ver, cheirar, tocar os livros. Ao dormir, cobria-se com enciclopédias. E como travesseiro, um dicionário, que lhe parecia macio, recheado de lã e nuvens.

 

Vãs foram nossas tentativas de reeducá-lo. Chegamos a levar nosso amigo a um padre, que talvez pudesse exorcizá-lo daquele demônio. Mas o padre o expulsou da paróquia quando viu que ele queria roubar a sua bíblia.

 

 

Gabriel Perissé é doutor em Educação pela USP e escritor.
Web Site: www.perisse.com.br

 

Para comentar este artigo, clique comente

 

 

Recomendar
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates