Mensagem aberta ao senador Crivella

0
0
0
s2sdefault

 

 

 

Caro senador Crivella,

 

Estive presente à posse do engenheiro Francis Bogossian na Presidência do Clube de Engenharia, em setembro de 2009. O convidado de honra desta festa era o ex-vice-presidente José Alencar, que, por sinal, neste dia, lá estava na condição de presidente interino do Brasil.

 

Outro convidado ilustre era Vossa Excelência. Apesar de parecer ser um rasgar de seda, afirmo que seu discurso foi o mais bonito desta festividade. Sempre gostei de ouvir um discurso bem concatenado, objetivo, com português perfeito e de um orador eloquente. Vossa Excelência enalteceu, durante seu discurso, a pessoa do vice-presidente, o que o tornou mais bonito ainda.

 

Dentre suas frases, pinço a seguinte: “Francis, você não poderia ter escolhido um político que represente no Brasil a dignidade e a honradez em serviço público melhor que o presidente José Alencar. Eu seria aqui fastidioso se nominasse as monumentais realizações dessa dupla, Lula e José Alencar. (...) Mas eu queria ressaltar apenas a questão do salário mínimo, que representa 70% da capacidade de consumo dos 10% mais pobres da população. Vinte e três milhões de brasileiros saíram da pobreza no governo do presidente Lula e José Alencar. Isso é extraordinário porque nós formamos no meio da crise uma economia de massa. (...) Os pobres estão tendo dinheiro para comprar.

 

Vossa Excelência contou a luta ferrenha contra o câncer que retirava a vida do ilustre convidado. Citou, também, a coragem de José Alencar, seu amor pela vida e sua bravura indômita, que lhe causaram melhora surpreendente. Vossa Excelência bem descreveu sua alma doce de Minas Gerais, o cidadão com fé no trabalho, o empresário criativo, inteligente, humano e honesto. Lembrou que era um dos maiores industriais do setor têxtil do mundo. Estadista, amigo de todos, servidor do povo, exemplo de dignidade, honrado e cumpridor de sua missão pública com grandeza foram algumas das características lembradas por Vossa Excelência que o elevavam “de maneira destacada aos píncaros na vida pública brasileira”.

 

Seguem suas últimas falas. “Eu não encontraria melhores palavras para terminar esse meu singelo discurso, senão aquelas que o gênio de Shakespeare colocou nos lábios de Marco Antônio diante do cadáver mutilado de Brutus: ‘Dos honrados, ele era o mais honrado, dos dignos, o mais digno, dos elementos que compunham seu ser, nele de tal maneira se conjugavam que a natureza inteira podia se erguer e clamar ao universo: Ai está o homem’”.

 

Se a presença do nobre José Alencar, cuja essência é revelada no seu discurso, ainda pudesse ser desfrutada por nós e se ele fosse senador, como, aliás, ele foi, Vossa Excelência acredita que ele votaria a favor do impeachment da presidente Dilma?

 

Quando Vossa Excelência foi candidato a governador do Rio de Janeiro, inclusive o candidato em quem votei, se cercou de Carlos Lessa, Samuel Pinheiro Guimarães, José Carlos de Assis e Darc Costa para trabalhar no seu programa de governo. Todos eles com posições opostas, para a maioria das situações, às que Temer está tomando. Não seria o caso de Vossa Excelência conversar com estes intelectuais amigos, antes da votação do impeachment, sobre o que eles recomendam de melhor para o povo brasileiro?

 

Paulo Metri.

 

Paulo Metri é conselheiro do Clube de Engenharia e colunista do Correio da Cidadania.

Blog do autor: http://paulometri.blogspot.com.br

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados