topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Aug   September 2016   Oct
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
252627282930 
Julianna Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
Quem ganha na conciliação de classes? Imprimir E-mail
Escrito por Milton Temer   
Segunda, 25 de Abril de 2016
Recomendar

 

 

 

 

A história está repleta de exemplos. Quando os trabalhadores optam por alianças com segmentos das classes dominantes, sem levar em conta os limites históricos e materiais de concessões em tais alianças, terminam por virarem bucha de canhão na recomposição das classes dominantes.

 

Banqueiros, empreiteiros e latifundiários do agronegócio brasileiros não traíram ninguém. Quem traiu foi quem achou que, representando os trabalhadores, pensou em contar com a eterna cobertura desses segmentos da classe dominante por conta de um pacto conservador que, mais dia menos dia, chegaria a um ponto de contradição de interesses. E a saída não poderia ser outra senão as reveladas nos exemplos anteriores.

 

Usam a forca, a guilhotina, o golpe militar ou o mais suave, mas não menos cruel, golpe institucional, como meio de reconduzir os setores oprimidos a seu devido lugar, em maior grau de exploração do que o antes vivido.

 

Esse é o caso brasileiro, hoje escandalizado com a ostensiva adesão dos "amigos", '"novos companheiros" e "aliados" que Lula reverenciou durante sua trajetória palaciana ao golpe que pode levá-lo à prisão.

 

E poderia não ser assim, como os defensores incondicionais do lulopragmatismo insistem em questionar? Claro que poderia, ou teríamos de concordar que a história já chegou a seu fim com a vitória do "livre mercado" predador, o que a vida real vem mostrando não ser verdade.

 

Primeiro, na América Latina, com os exemplos consolidados de Evo Morales e Rafael Correa, a superar obstáculos insuperáveis e não se submeter à lógica do lulopragmatismo e sua "governabilidade". Mas mais significativamente com a constatação de uma nova consciência rebelde, até revolucionária, se manifestando nas potências capitalistas, através de Jeremy Corbyn na liderança do Labour Party inglês, e Bernie Sanders, nos Estados Unidos.

 

Ambos são socialistas declarados. Não só de palavras, mas por programas governamentais ostensivamente anticapitalistas. O êxito político, e mobilizador, de suas empreitadas quebra a arrogância e deixa os operadores de Wall Street e da City londrina à beira de um estado de nervos.

 

Ou seja: é onde as lideranças da esquerda ousam enfrentar a hegemonia do senso comum, que tenta impor o pensamento único da inevitabilidade do liberalismo capitalista como alternativa, que a esperança de vida mais justa e socialmente democrática se afirma sobre a perspectiva de barbárie e autodestruição que a globalização financeirizada potencializa.

 

Luta que Segue!

 

Leia também:


“O Brasil foi confrontado com o colapso final do sistema de representação política tradicional”


 

Gilmar Mauro: “A sociedade brasileira está dividida em cisão característica da luta de classes”

 

“É uma vergonha Eduardo Cunha comandar o impeachment” – entrevista com o deputado  federal Ivan Valente

 

Guilherme Boulos: “Se passar pelo impeachment, governo poderá ter de se recompor com o pântano parlamentar”

 

“O pântano no volume morto: degradação institucional brasileira atinge ponto mais agudo" – entrevista com o sociólogo do trabalho Ricardo Antunes


Afinal, o que quer a burguesia?


A necessidade de reconhecer a derrota sem nos sentirmos derrotados

 

Belo Monte e a democracia

 

Jogo jogado?

 

Das injustiças e dos arbítrios

 

A agenda das contrarreformas no Congresso: 63 ataques aos direitos sociais

 

“Na política brasileira, está em jogo, acima de tudo, repactuação do poder e estancamento da Lava Jato” – entrevista com o deputado federal Chico Alencar

 

Assumir as derrotas, construir as vitórias

 

Brasil fragmentado na expectativa do dia seguinte

 

Sobre a vontade generalizada de ser massa de manobra

 

O buraco negro da conjuntura política nacional

 

A classe trabalhadora volta do paraíso

 

‘Governo arruinou a Petrobras; Brasil já perdeu janela aberta pelo Pré-Sal pra se alavancar’ – entrevista com o cientista político Pergentino Mendes de Almeida

 

O que pretendem os setores dominantes com o impeachment de Dilma: notas preliminares

 

“Lula é o grande responsável pela crise" – entrevista com o economista Reinaldo Gonçalves

 

Fábio Konder Comparato: “A Operação Lava Jato perdeu o rumo”

 

Sobre crises, golpes e a disputa do Planalto

 

Lula na Casa Civil: o que muda para a esquerda?

 

Referendo revogatório: que o povo decida

 

Não é por Dilma e Lula

 

‘Sistema político derrete em meio a dois clãs em disputa pelo aparelho de Estado’ – entrevista com o cientista político José Correia Leite

 

"Lula e o PT há muito se esgotaram como via legítima de um projeto popular" – entrevista com a socióloga Maria Orlanda Pinassi

 

Precisamos construir outro projeto de país, longe dos governistas

 

“A Operação Lava Jato ainda não deixou claro se tem intenções republicanas ou políticas” – entrevista com o filósofo e pesquisador Pablo Ortellado

 

“O Brasil está ensandecido e corre risco de entrar numa aventura de briga de rua” - entrevista com o cientista político Rudá Ricci.

 

 

Milton Temer é jornalista e ex-deputado federal pelo PT (1998-2006).

Recomendar
Última atualização em Qui, 28 de Abril de 2016
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates